Décima primeira parte - A canção do bardo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Décima primeira parte - A canção do bardo

Mensagem por Samyaza em Qui 10 Out 2013, 21:45

Enviado por: Maedhros - segunda-feira, 5 de novembro de 2012 15:27:26
Depois de escutar as palavras da sentinela, respondo:

Sim, eles viram. Eu irei buscá-los, enquanto isso, vocês Aponto para os outros façam o que disse e tudo ocorrerá bem. Nós te alcansaremos o mais rapido possivel. Alias, você disse que eles estavam na porta do templo?

Caso Derin confirme, digo:

Levem estas provissões junto. Me atrapalham a caminhar sorrateiramente. Até logo então.

Deixo a bolsa que peguei na casa de Rarurg. Amarro um pano no rosto, deixando apenas os olhos de fora para não me reconhecerem e depois disso sigo o mais escondido possivel para o templo de Blator.

(off: Samyaza, por acaso tem que jogar algum dado para ações furtivas? Caso sim tá indo.)

Dado.

[1d20]

Enviado por: Maedhros - segunda-feira, 5 de novembro de 2012 15:29:08
(off: me tornei uma sombra invisivel com esse dado! kkkkk...)

Enviado por: arabedoido77 - segunda-feira, 5 de novembro de 2012 16:08:55
Paro para pensar um pouco e comento:

Talvez seja possível sair daqui sem despertar muitas suspeitas... Pelo que sei, se estiverem nos procurando, estarão à procura de um humano grandalhão e uma elfa dourada. Talvez isso possa ser um pouco mudado, com alguns artifícios simples. Uma maquiagem e eu poderia trocar a cor de meus cabelos, me passar por uma sombria. Ele poderia fazer algo parecido, se passar por uma senhora ou então um sombrio também.

Acredito que o importante agora é sair da cidade sem chamar a atenção da guarda. Uma vez fora, voltamos ao que somos.

Enviado por: Mingo - segunda-feira, 5 de novembro de 2012 16:50:09
sigo conforme o orientado, de preferencia serei o primeiro...

dados se necessário [1d20]

Enviado por: Ares - segunda-feira, 5 de novembro de 2012 18:12:46
Confirmo o que disse antes deles estarem a porta do templo e vou logo após o Uther(se ele não cair com esta dado).

Enviado por: Blanchard - segunda-feira, 5 de novembro de 2012 18:23:24
Não digo mais nada à Malfas. Quando vejo o sacerdote seguir eu digo:
Que Pammala nos perdoe, não fico nessa cidade nem por mais um minuto.

Ao ver que o mago se adianta penso: esses estudiosos acham que conhecem o mundo de fora como se fosse suas bibliotecas. Seguro Derin e jogo a mochila do sacerdote para ele, enquanto lhe digo:
Você é ótimo em escalada, não é? Então leve minha mochila também...

(Persuasão, caso precise) [1d20]

Entrego minha mochila para ele.

Enviado por: Ares - segunda-feira, 5 de novembro de 2012 19:13:58
-Não precisa ser um grande escalador para subir uma escada.

Enviado por: †_Junior_† - segunda-feira, 5 de novembro de 2012 20:32:34
Me assusto quando Gloin começa a engasgar e dou uns tapinhas em suas costas para ajudá-lo.

(vou aguardar o gloin voltar para a aventura)

Enviado por: Aurhus - segunda-feira, 5 de novembro de 2012 20:49:31
Vou fazer a patrulha do jeito de sempre: Me passando de louco perambulando pelas rua e só quero garantir que a área esta "tranquila"

Enviado por: bcsaulo - terça-feira, 6 de novembro de 2012 9:35:58
Falo comigo mesmo - Então não tem outro jeito! Já consegue andar dona Pammala?

Enviado por: Vercenorax - terça-feira, 6 de novembro de 2012 15:35:28
Acordo assutado tossindo e pergunto a Sam quando o vejo em minha frente:
Cof, Cof, Cof... o que está havendo pequeno Sam estamos entrando em um combate? Parece-me acossado por alguma coisa, o que é?

Sento-me na cama para escutá-lo enquanto esgrego os olhos para mandar o sono embora.

Enviado por: Samyaza - terça-feira, 6 de novembro de 2012 15:47:23
CALION, UTHER E DERIN:

Vc´s sobem as escadas e ao chegar lá encima encontram uma escada feita de cordas com dois ganchos numa ponta e um saco, com algo que vc´s supõem serem areia ou alguma coisa granulada na outra ponta.

prendendo os ganchos na saída da guarita e arremessando o saco a escada feita de cordas se equilibra e dá maior estabilidade para a descida.

Enquanto montavam a escada vc´s perceberam uma outra corda, enrolada no chão, ela serve para um de vc´s passarem os equipamentos pela corda, evitando que desçam com os equipamentos.

Calion é o primeiro a descer, ao chegar lá embaixo ele ajuda a segurar a escada de cordas e facilitar a descida de Uther que desce em seguida. Do alto Derin não perde tempo e enquanto Uther desce da escada ele vai atravessando os equipamentos.

Assim que as mochilhas são atravessadas Derin é o próximo a descer.

Em menos de 10 minutos vc´s estão do outro lado do muro.


CONNOR, PAMMALA E BAELOR:
Após os cuidados de Norne a dor cessa. O pé de Pammala só dói quando ela toca o chão.
Norne diz:
Fiz tudo o que estava dentro do meu alcance, ela vai melhorar, no máximo em uma semana, mas deve evitar se tocar o chão com esse pé, qualquer vacilo e ela pode quebrá-lo.

Respirando fundo Norne diz:
Não sei como farão, mas terão que fazer, vc´s devem sair daqui agora. Tenho certeza que Rarurg cuidou de dar-lhes condição para isso.

Sem ter muita opção, vc´s decidem abandonar o templo, com Pammala ainda tendo que ser carregada, antes que se afastassem muito vc´s encontram com Baelor, vindo na direção de vc´s.

Contando com a escolta de Baelor em pouco tempo vc´s chegam até a guarita onde encontram um desesperado Malfas que lhe diz:
Pelos deuses!!! Por pouco vc´s não esbarraram com uma patrulha, por sorte nenhum deles desnconfiou de nada. Seus amigos já estão do outro lado, faltam vc´s, subam logo antes que me coloquem em encrencas.

Baelor é o primeiro a descer, em seguida descem Connor carregando Pammala nas costas. Do outro lado vc´s encontram Derin, Uther e Calion esperando-os.

SAM E GLOIN:
Estejam livres para continuar o roleplay de vc´s.





Enviado por: bcsaulo - terça-feira, 6 de novembro de 2012 16:07:32
Quando vejo Baelor penso {O que é ele? Uma sombra?]. Sigo sem maiores problemas, apenas fora do muro trato de pegar minha espada.

Enviado por: Maedhros - terça-feira, 6 de novembro de 2012 16:53:42
Quando chegamos lá embaixo digo aos sussurros:

Connor, corte as cordas que prendem a escada ao saco, isto facilitará o guarda a puxar a escada de volta. Você digo para Derin ajude-o com Pammala, eu vou esconder esse saco. Vocês dois(Calion e Uther)já comecem a caminhada em silêncio, depois de tivermos uma certa distancia das muralhas apertaremos o passo. Depois digo a Pammala:
Ao que parece se feriu, senhora Pammala. Depois de estarmos mais seguros, quero fazer algumas perguntas.

Enviado por: Ares - terça-feira, 6 de novembro de 2012 18:23:34
-Pegue sua mochila se eu tenho que ajudar a carregar a elfa.
Entrego a mochila e vejo uma forma de ajudar a carregar a elfa.
"E lá vamos nos de novo"

Enviado por: bcsaulo - terça-feira, 6 de novembro de 2012 19:40:53
corto as cordas que prendem a escada. Em seguida pego algumas mochilas e sigo em frente.

Enviado por: †_Junior_† - terça-feira, 6 de novembro de 2012 20:14:55
Olho preocupado para Gloin e sento numa as camas e começo:

Bom mestre Gloin, não tenho notícias muito agradáveis.

Estava tentando dormir mas o senhor roncava realmente alto, então acabei desistindo e resolvi descer para a sala, procurando outro lugar para descansar. Quando estava descendo me deparei com Vardem e Rarurg saindo do quarto de Rarurg.

Faço uma pausa e continuo:

Me escondi rapidamente no vão da escada e escutei uma conversa entre os dois. Vardem está louco para encontrar Connor e Pammala, e fará de tudo para eles não chegarem a Seviala. Provavelmente irá matá-los. Quanto a nós que ficamos por aqui, se Rarurg nos ajudar a desaparecer, sua família irá sofrer. Então, ficaremos e seremos presos por Vardem durante a cerimônia e com isso Rarurg garantirá que não seremos assassinados por Vardem.

Faço mais uma pausa para Gloin absorver o que falei e digo triste:

Não pretendo fugir mestre Gloin, pois não quero que Nájila e Rarurg sofram com isso. Serei preso sem resistência.


Enviado por: arabedoido77 - terça-feira, 6 de novembro de 2012 22:16:20
Faço como me ordenam. Vou acompanhando o grupo, tentando ir da melhor forma possível.

Enviado por: Blanchard - terça-feira, 6 de novembro de 2012 23:33:41
Começo a caminhada à frente, como me indicam. Mas, como sou péssimo observador, tiro o cachimbo e o fumo da mochila e vou tentando acendê-lo. Até que o cachimbo esteja aceso caminho devagar, compenetrado na tarefa. Fumando do lado de fora dos muros de Lubliana me sinto vivo. Digo à Uther (em élfico):

Bem, meu amigo. Acho que agora você pode me responder algumas coisas, principalmente sobre Pammala. Me diga, você tem interesse mesmo nela? Porque você não me parece do tipo que tem muito interesse por essas delícias que são as elfas e as humanas...

Enviado por: Mingo - quarta-feira, 7 de novembro de 2012 9:11:22
começo a caminhada com Calion e ao ouvir a ultima frase dele eu paro. Olho em seus olhos, deixo ele perceber que estou furioso com a insinuação e respondo em elfico mantendo o tom baixo.

Realmente não me interessava mto por Pammala, mas nossos pais são amigos e nosso casamento sera util para ambas as familias.

(Off: meu personagem tem traços homossexuais Blanchard? hahahahaahahahahah)

Enviado por: Blanchard - quarta-feira, 7 de novembro de 2012 10:33:28
Percebendo o olhar de Uther, digo (em élfico):
Bem parente, não quis ofendê-lo. Conheço alguns elfos que decidiram amar a todos. E quem dirá que esse não é o melhor caminho? Vocês estudiosos se esquecem disso, gastam tanto tempo com os livros...

Fumo e continuo (em élfico):
Aaaaaa, você não se interessava por Pammala, entendi... Você está mesmo pronto para um casamento? Pobre elfo...

Enviado por: Mingo - quarta-feira, 7 de novembro de 2012 14:17:44
Nossa raça vive por muitos anos, podemos nos dar ao luxo de reservar alguns deles aos estudos, e estudar não significa deixar de viver, é apenas uma forma diferente.

Se é o desejo de meus pais, farei isso, quem sabe que surpresa o destino pode nos trazer.

Enviado por: Vercenorax - quarta-feira, 7 de novembro de 2012 15:54:55
Olho pra Sam um pouco perplexo com os fatos tomo fôlego e digo:
Era o que eu mais temia, mas somos hóspedes e não devemos causar maiores problemas que já causamoa a Rarurg e sua família, seremos presos então Sam, mas teremos algumas regalias. Isto e lhe garanto. Agora vamos dormir de novo, prometo não roncar.

Esboço um sorriso, e quando me deitar viro-me de lado.

Penso antes do sono vir:
[Vamos ver até onde vai a ganância de Vardem.]

Enviado por: Blanchard - quarta-feira, 7 de novembro de 2012 22:10:23
Respondo pra Uther (em élfico):
Desculpe por amolá-lo, só estou curioso. Mas pense no seguinte: vocês dois têm a mesma profissão. Se ela for mais competente e poderosa que você, estará perdido meu amigo. Digo por experiência própria. Meus pais são magos que moram em Caliana e sendo minha mãe muito mais poderosa e influente que meu pai, vi como ele sofria....

Mas, se depender de mim, as coisas entre você e Pammala se resolverão rapidamente.



Enviado por: †_Junior_† - quarta-feira, 7 de novembro de 2012 23:43:29
Faço um sinal positivo com a cabeça para Gloin e tento sorrir, mesmo com o nervosismo que começa a tomar conta de mim. Me deito na cama e tento dormir.


Enviado por: Mingo - quinta-feira, 8 de novembro de 2012 8:50:51
tento entender se Calion é mesmo meu amigo, talvez o carisma dele esteja nublando minha visão e atrapalhando que eu perceba as verdadeiras intenções dele.... com esse pensamento me dou conta que não procurei conversar com Pammala sobre seu pé.... afinal, de certa forma, eu sou o culpado pelo ferimento..... retardo os passos até ficar ao lado dela e digo em élfico

Minha senhora, a emoção da fuga não me permitiu conversar mais contigo, como esta seu pé? Me desculpe por isso, minha intenção era ajudar, entretanto meus dons não foram o suficiente. Poderia me explicar melhor o pq dessa fuga atabalhoada no meio da noite?


Enviado por: arabedoido77 - quinta-feira, 8 de novembro de 2012 13:17:25
Respondo para Uther:

Meu pé está melhor, o sacerdote fez um bom trabalho. Agora é esperar que fique bom com o tempo.

sorrio para ele:

Pode deixar que eu sei que a intenção era ajudar e sem ela talvez a queda teria sido pior. Agora quanto à fuga, uma parte já foi explicada. Mas meu receio era de que Vardem estivesse querendo adiantar o que ele possivelmente planeja fazer amanhã, que é nos prender ou até matar.

Depois, num tom mais sério:

E é claro que ele não quer que a informação que descobri de sua ligação com os elfos sombrios chegue aos ouvidos do rei. Até foi por isso que não mandei nenhuma mensagem antes, porque algo tão grave não pode correr o risco de ser interceptado.

Entende agora a situação? E não é somente o rei que precisa saber disso. Acredito que as movimentações dos sombrios devem ser comunicadas a Âmien e aos vizinhos deste reino também.

Enviado por: Blanchard - quinta-feira, 8 de novembro de 2012 22:31:26
Quando vejo os elfos conversando penso: como Pammala preferiu um elfo trapalhão e controlado pelos desejos dos pais à mim?! Maldição, as coisas estão mesmo feias pra você fingidor. Perdendo até mesmo as mulheres...

Pego meu instrumento e começo a tocar uma melodia, cada vez menos preocupado com a caminho a ser conduzido...

Enviado por: Maedhros - sexta-feira, 9 de novembro de 2012 9:42:04
Ao perceber que a conversa dos elfos começa a ficar alta repreendo-os aos sussurros:

Pensei que os elfos eram sábios, mas você não fazem nada além de tolices?! Abaixem o tom da voz! Duvido que só tenha aquele guarda de vigia nos muros. Se continuarem com isso, é capaz de até Rarurg escute nossa fuga de sua casa.

Quando vejo o bardo pegando o alaúde, intimido-o dizendo baixo:

Se tirar um unico ruído disto, prometo lhe dar uma viagem só de ida de volta pra cidade. O que acha que estão fazendo?! Isto é uma fuga! Não a mudança de um circo!

Enviado por: bcsaulo - sexta-feira, 9 de novembro de 2012 10:13:31
Sigo meu caminho em silêncio, apenas ouvindo sem mesmo entender o blá, blá, blá, dos elfos. Quando o sacerdote se manifesta. Paro de caminhar e coloco as mochilas que carrego no chão, começo a mexer em seu interior retiro aquilo que me pertence no caso algumas ferramentas que "roubei da oficina de Rarurg", em seguida pego as moedas que foi dada pelo anão e digo:

- Hey, sacerdote - Espero que ele volte a atenção pra mim e então jogo as moedas pra ele - Vão em frente eu tratarei de despistar os homens de Vardem - Desvio o olhar para Pammala fazendo uma pequena reverencia com a cabeça, em seguida comprimento os dois dourados com um meneio na cabeça - Boa sorte, senhora. É melhor que os dois cuidem bem dela - Antes de sair, volto a atenção para Derin e digo - Ainda vai para Seviala?

Enviado por: Maedhros - sexta-feira, 9 de novembro de 2012 10:26:43
(off: Connor, vou esperar o samyaza dizer quantas moedas vc tem pra ver quantas vc vai dar a equipe.)

Enviado por: bcsaulo - sexta-feira, 9 de novembro de 2012 10:58:33
off: Baelor, ninguem viu quando Rarurg me deu as moedas, logo do que adianta saber quantas tem?

Enviado por: Ares - sexta-feira, 9 de novembro de 2012 11:00:44
Ando em silencio pensando por que estas pessoas falam tanto, e me lembro dos ensinamentos de meu mestre para que se quiser passar despercebido na floresta o máximo silencio tinha que ser feito,não via isto. A pergunto do Connor falo.
-Sim, irei, ainda tenho que cumprir minhas dividas com o passado, e parece que elas só crescem ou ficam pior a cada momento.

Enviado por: bcsaulo - sexta-feira, 9 de novembro de 2012 11:04:04
Respondo a Derin:

- Estarei indo pra lá.

Enviado por: Maedhros - sexta-feira, 9 de novembro de 2012 11:12:58
(off: só to falando isso pra sabe mais ou menos q dinheiro vamos ter.)

Enviado por: arabedoido77 - sexta-feira, 9 de novembro de 2012 13:30:18
Falo para Connor:

Tem mesmo certeza que quer tentar fazer algo assim nesse estado? Isso é caminhar para a morte; acho que seria melhor vir conosco. Aposto que depois de ouvir o que tenho para dizer e souber como me ajudaram, o rei recompensará bem o grupo. Venha conosco.

Se for preciso, um teste de Persuasão.

[1d20]

Enviado por: bcsaulo - sexta-feira, 9 de novembro de 2012 17:01:40
Respondo Pammala:

- Estou bem senhora, depois de uma semana já pude recuperar meu vigor. Quanto as recompensas dadas pelo rei, só serão recebidas se chegarem vivos até lá. Irei pra outro lugar, e levarei aos ouvidos de Vardem, meus passos, conseguirei uma mullher para estar em minha companhia, quem sabe eu possa tirar parte dos homens de Vardem de seu encalço.

Digo para Derin antes de me retirar:

- Você vem? - Após a resposta dele me retiro.

Enviado por: Ares - sexta-feira, 9 de novembro de 2012 17:48:41
-Vou junto com você pra Seviala então. Imagino que os dois elfos são fortes o suficiente para carregarem a elfa.
Entrego a elfa a eles e sigo o Connor.

Enviado por: Maedhros - sexta-feira, 9 de novembro de 2012 20:34:08
Façam o que quiser, mas devemos apressar o passo. Algum de vocês dois leve esta mochila, levarei a senhora Pammala nas costas, isto nos ajudará a andar mais rápido.

Vou até Derin e digo a Pammala:

Com sua licensa, senhora.

Depois de pegar a elfa, digo aos dois que vão a Seviala:

Pouco me importo aonde vocês vão, mas qual seja o lugar, que os deuses o acompanhem.

Retomo a caminhada depois dessas palavras.

Enviado por: Blanchard - sexta-feira, 9 de novembro de 2012 22:40:31
Para o sacerdote digo:
Caso eu pudesse estar acompanhado por artistas circenses, estaria bastante feliz agora. Artistas circenses elfas.. É isso que eu quero...
Quando vejo que ela está realmente bravo, sossego.

Respondo o cumprimento de Connor e digo:
Sigam com os deuses, mas não se mutile. Pelo menos não perca nenhum membro antes de me apresentar para suas amigas de Magiara...

Após a nova partida, não toco o alaúde. Mas canto com uma voz baixa, mas suficientemente alta para que o sacerdote ouça:


Qual o risco que corremos
Em não escolher nossos caminhos?
Qual o medo do mundo
Do desespero?
Quando começamos a beber sangue
Para esquecer o gosto do vinho?

Enterrem os livros
E guardem os crânios
Desfaçam as mortes
Dos que foram esquecidos

Cruze as encruzilhadas
Do artista crucificado
Ouçam os ventos
Esquecerem os uivos

Beba meu sonho
Esmagado e perdido
Arranque minha alma
Como a pele de minha carne

Costure minha boca
Com metais maciços
Compre placas para o peito
E um coração se possível
avatar
Samyaza
Admin

Mensagens : 1032
Data de inscrição : 04/10/2013
Idade : 32
Localização : Franco da Rocha / SP

Ver perfil do usuário http://vingadornegro.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum