Décima sétima - Os cães atacam

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Décima sétima - Os cães atacam

Mensagem por Samyaza em Qui 10 Out 2013, 02:04

Enviado por: Samyaza - sexta-feira, 3 de agosto de 2012 21:48:28
GRUPO NA CASA DE JACUS:
Virando o rosto na tentativa de olhar para trás Ricar fala com Connor:
Não seja tão ingênuo, o pastor não mata seu gado. Eles são ferramentas úteis, apesar de rústicas.

Voltando-se para Sam ele dizcom ar cínico:
Obrigado pequenino, pelo menos alguém aqui não deseja me ver morto. Poderia me ajudar dando-me algo para beber, ainda não estou satisfeito. A comida que é feita na casa do lorde é ótima. Foi vc mesmo que a fez?

Direcionando o olhar para Calion ele fala:
Parece que o ruivo está com ciúmes! E o braço como está? O pele cinza era mesmo bom com um arco não é?

Enviado por: Markus Magnus - sexta-feira, 3 de agosto de 2012 23:03:36
Olho para o chão demonstrando um certo cansaço fecho os olhos um pouco engulo a saliva que juntou em minha boca e olho nos olhos de Duril sem desafio, sem raiva, nem medo.
- Também não gosto de repetir respostas e já disse que não sou espião. - respiro fundo tentando pensar nas palavras certas - Todos sabemos muito bem que não há nada que eu possa dizer para provar o que não sou. Alias nada do que eu disser pode comprovar uma coisa ou outra. Poderia estar mentindo até agora e ser um espião e você fará bem me matando, porém pode ser que eu esteja falando a verdade e só esteja querendo ajudar e você estará cometendo um erro ou pode ser que eu esteja apenas me escondendo de alguém e queira usar um grupo para isso, ou até querendo encontrar alguém, sendo o que for vocês não poderão confirmar nada apenas com as minhas palavras. Gostaria de saber algo sobre esse tal Rarug talvez tivesse mais chances se pude-se lhe entregar alguma informação valiosa, mas infelizmente não sou dessa cidade, não sou desse reino, estava apenas de passagem em busca de algum serviço e nessa passagem ouvi um homem falar de um reino ao qual devotava a sua vida, que por coincidência são as mesmas terras que nasci então pensei que fosse um sinal de que devia finalmente fazer parte de algo maior do que eu, mas infelizmente fui burro de me deixar ser enganado e cometer um único ato idiota, pisar na bandeira que eu queria seguir, mas os homens que me levaram a tal engano apenas viram meus pés, sedentos por um motivo para me culparem de algo que sou inocente, em vez de ouvirem as minhas palavras ou verem meus olhos, não há nada mais que possa dizer para esclarecer melhor essa situação.
Sinto um frio na espinha em pensar na morte olho para a fogueira me lembrando das noites com meu pai e sem desviar o olhar das chamas digo.
- Sabem, não fui agraciado com a oportunidade de conhecer meus pais, já que são de Verrogar gostaria que olhassem algo e dizer se de repente os conhecem ou conheceram e se estão bem, existe um tubo de ferro bem aqui. - abro um pouco os braços e aponto com a cabeça a onde deixei o canudo com o desenho dos meus pais comigo no colo - A primeira coisa que me lembro é a de estar no meio de uma matilha de lobos agarrado a este canudo, pra ser sincero nem da para saber se são mesmo os meus pais, depois de responderem façam o que tem de fazer.
Me mantenho de braços semi abertos olhando fixamente para que pegar o canudo.
[off: [1d20]]

Enviado por: Markus Magnus - sexta-feira, 3 de agosto de 2012 23:21:04
[off: Errata do post anterior. Na última frase é para ser "quem" e não "que": "(...)fixamente para quem pegar(...)"]

Enviado por: †_Junior_† - sexta-feira, 3 de agosto de 2012 23:21:40
Olho para Ricar e digo:

- Não verrogari, não fiz a comida, mas não tenha medo dela estar envenenada, apesar de bem merecer isso. E quanto a sua vida, mestre anão Glóin precisa de informações, e você morto não ajuda quanto a isso. Depois disso, não sei o que farão com você. Mas se depender de Connor, você sofrerá bastante antes de morrer.

Vou até a cozinha e trago um pouco de água e entrego para Ricar:

- Tome, beba.

Enviado por: Blanchard - sexta-feira, 3 de agosto de 2012 23:33:22
Respondo Ricar, olhando para o braço:

Hauhahua... Não é ciúmes o que tenho Ricar, e sim respeito. Não espero que alguém do seu tipo entenda.

Ahh, o arqueiro? Bem, ele TALVEZ seja melhor combatente que eu. Mas mais esperto que você, ele é com certeza, afinal está livre pela cidade, enquanto você está aí, implorando por seu corpo...

Continue nos insultando, mesmo prestes a se tornar uma donzela barbada... Acho sua teimosia adorável, afinal, alguém pode me acompanhar nas apresentações de hoje. Essa é a sua noite Ricar.

Enviado por: bcsaulo - sábado, 4 de agosto de 2012 9:56:37
Pouso as mãos nos ombros de Ricar e falo ao pé do ouvido - De fato o pastor não mata seu gado, contudo por vezes ele é mutilado e acredite é preferível cem vezes uma morte rápida. Então pelo menos na hora de sua morte faça algo bom, quem sabe os deuses o mandem para um local melhor - Dou uns tapinhas nas costas dele e me afasto.

Enviado por: Samyaza - sábado, 4 de agosto de 2012 14:13:24
MARKUS:

Duril aguarda vc terminar e então suspira e começa a falar:
Mentiroso e enfadonho, vamos ver se vc muda de opinião quando começar a te faltar pedaços do corpo. ARRANQUEM LHE UMA DAS ORELHAS!!!

Enquanto alguns verrogaris se preparam para imobilizá-lo os demais o ameaçam com suas armas. Antes que eles se aproximassem de vc 2 figuras, uma delas pelas vestes pertence a guarda da cidade e o outro deles é um homem vestido em trajes finos, seu rosto firme e olhar de fúria anunciam a cólera de suas palavras:
O que se passa aqui seus cães sarnetos e estúpidos? Estão loucos?! Enquanto vc´s bebem e fodem entre si Ricar está em cativeiro dos heroizinhos na casa de Jacus!

Empurrando o guarda pra frente ele continua:
Se esse estúpido não tivesse saído de lá sem que eles percebessem a essa hora eles estariam com as espadas na minha garganta!

Um dos verrogaris com um ódio incrível no olhar ameaça sacar sua arma contra o nobre mas é impedido por Duril que diz:
Cuidado com a língua Vardem, somos fiéis a Vardem e não a vc. E esses cães aqui mordem! Onde estão seus amigos de pele cinza?

Vardem tentando manter-se firme mas nitidamente amedrontado diz:
Segundo o guarda ele conseguiu fugir do ataque fracassado que seu amigo comandara, deve ter voltado pro seu refúgio. Vou atrás deles, eles estão com um dos heroizinhos sobre seus feitiços, talvez eu possa usá-lo para negociar.

Duril prepara suas armas enquanto caminha na direção de Vardem ele grita para os demais verrogaris:
Preparem suas armas, amarrem esse idiota e tragam os cães, Ricar não vai ficar nas mãos daqueles imbecis.

Vardem olhando para vc pergunta:
E esse? Quem é?

Duril ainda caminhando na direção de Vardem responde:
Não reconhece? Pensei que fosse um dos seus "heroizinhos" nos espionando.

Vardem responde:
Não, nunca o vi, melhor matá-lo de uma vez.

Duril para em frente a Vardem e olhando fixamente nos olhos dele ele diz:
Vamos limpar sua sujeira desgraçado, mas pelo nosso companheiro e não por vc.

Vardem nitidamente amedrontado vira-se de costas e sai em passos acelerados enquanto fala.
Não deixem nenhum deles vivos, eles já sabem demais e podem colocar minha imagem em risco e o plano irá por água abaixo...

Duril grita aos demais verrogaris:
Vamos caçar!

Amarrado, vc é forçado pelos demais verrogaris a caminhar pelas ruas de Lubliama.


GRUPO NA CASA DE JACUS:
Assim que termina de beber, ainda com água escorrendo pelas barbas Ricar diz:
Obrigado pequenino! Que os Deuses lhe reservem um bom lugar nos reinos de Cruine.

Olhando para Calion ele sorri, com alguém que está prestes a anunciar xeque-mate num jogo de xadrez:
Na verdade, elfo, eu conto com isso.

Tentando virar a cabeça para trás Ricar responde a Connor:
Lembrarei-me de suas palavras Filantiano, antes do fim.

Enviado por: arabedoido77 - sábado, 4 de agosto de 2012 15:56:24
Digo para Calion:

Acredite em mim, há muitos que entendem a importância dessas coisas. Existem todos os tipos.

Ainda evitando olhar para o prisioneiro, falo:

Muito bem, acho que já chega de trocar farpas. Ainda não nos falou o que sabe sobre os sombrios. E eu bem que tentei poupá-lo disso que está passando agora. Mas já que escolheu o caminho deles, agora lavo minhas mãos.

Enviado por: Ares - sábado, 4 de agosto de 2012 16:43:18
-Já que parece que ele não vai falar pelo menos sobre os elfos,enquanto nos enrolha aqui com este papo.Acho melhor deixarmos o Connor sozinho com ele.

(Off:Corrigindo erro,na parte em que o Calion fala em elfico eu não prestei atenção,desconsidere meu comentário sobre aquilo,No Hablo Elfico)

Enviado por: bcsaulo - sábado, 4 de agosto de 2012 19:01:15
- Que bom que decidiram fazer alguma coisa! - Volto a ficar na frente de Ricar empunhando o gládio de modo que sua lâmina fique para baixo e então enfio na sua perna com força - Ele já disse que é leal a Verrogar e conseguiu nos enrolar até agora. Enquanto isso Jacus está cada vez mais longe - Olho nos olhos de Ricar e retiro o gládio tentando falar mais alto do que seus gritos de dor - É SUA ULTIMA CHANCE!

Enviado por: Markus Magnus - sábado, 4 de agosto de 2012 19:05:48
Deixei que me amarrassem, mas me mexia tentando fingir que era sem querer, com o intuito de não me amarrem direito, a minha prioridade é conseguir alguma folga para os pulsos, pra isso mantive os dedos entrelaçados, na posição de "rezar", mantendo um espaço entre as mãos para criar a folga.

[off: [1d20] para ações furtivas. Minhas mão estão para frente? Tiraram o meu escudo né? Meus pés estão livres correto? além das minhas mãos o que mais está amarrado? Alguém está segurando alguma ponta da corda? Como está a formação do grupo? O meu escudo e a minha espada ficaram no acampamento? Samyaza você pode editar a minha postagem? Se sim e achar que tem alguma informação que meu personagem não poderia ter chegado sinta-se a vontade em editar ou me avise que eu a desconsiderarei. Já as informo para não acabar me perdendo em alguma ação]

Utilizo o tempo para por as ideias em ordem.

[Não foi nem perto daquilo que havia pensado, caramba e pensar que poderia estar andando ao lado deles, aff como me odeio, mil vezes burro, mas graças aos Deuses ainda estou vivo, então quer dizer que essa história envolve coisas realmente grandes, ainda bem que não me aliei a eles. Então vamos com calma deixa ver se eu entendi. Primeiro temos uma caravana, de militares de Verrogar, que passa de reino em reino vendo as suas falhas, temos também um tal de Lorde que foi sequestrado pelos Verrogaris e levado para Seviala, esse sequestro foi arquitetado ou pelo menos teve auxilio de Vardem, um sujeitinho nojento, que tem amigos na guarda da cidade, aliado à elfos sombrios, elfos esses que foram derrotados pelos heroizinhos da cidade, por fim e tão importante quanto Vardem temos Rarurg deve ser o líder desses heroizinhos, por isso Duril me perguntou sobre ele. Bom se temos um Lorde sequestrado e dois homens de influencia se digladiando quer dizer que querem o posto de Lorde, Vardem é o inescrupuloso e esse Rarurg será o mocinho da história? E quem será esse Jacus? Perece estar do lado dos heroizinhos, será que é o Lorde? Não faz diferença o que faz diferença é o fato de Verrogar cometer o mesmo erro de se aliar aos sombrios, mesmo que por tabela. O que será que Jered pensa em fazer? Ele deveria só estragar tudo o que pode nos reinos para depois o exército vir atropelando tudo. Por que daria o poder a Vardem? ... Hoje eu to lento demais Jered vai dar uma rasteira em Vardem depois que Rarurg já estiver acabado ou Jered acha que Vardem se sucumbirá sozinho, pois Vardem não parece ter prometido alguma lealdade a Verrogar e mesmo que tenha feito um traidor é sempre um traidor e o que será que Vardem pensa que tem para usar Verrogar e os sombrios como seu exército? Minérios para armas? Ou quem sabe as minas escondam algo realmente valioso? Ou Jacus para Jered e as minas como base para os sombrios. Mas o que os sombrios fazem tão longe de casa? Será que eles estão montando bases em vários reinos? Como será que chegaram até aqui? Algum reino sabe disso? Mas mais importante a onde está Jered? Não está com seus homens nem com seus aliados. E agora o que farei? Eu só queria segui-los até encontrar Jered e confirmar quem é sua esposa, mas não posso deixar uma guerra explodir sem fazer nada e infelizmente me atolei nisso até o pescoço pelo menos os cães devem morrer e tenho que manter Jered fora de Verrogar por fim descobrir a onde minha mãe está e sair definitivamente de Verrogar com ela o problema é para onde? Quem me dará abrigo? Antes de colocar Jered contra a parede devo achar aliados, poderosos e um pais que odeie tanto Verrogar a ponto de não me deportar caso o rei Atos II peça. Vou ter que defender esta cidade e conquistar a confiança do novo Lorde caso o antigo já esteja morto e sou obrigado a votar nesse tal Rarurg espero que seja realmente uma pessoa boa. Tenho que me soltar antes de chegarmos e dividir sua concentração depois os ataco pelas costas, o primeiro a ser batido deve ser Rubei por causa da besta, os cães também serão um grande problema, para eles fogo seria bem vindo, se for pensar mais a frente Vardem deve ser morto agora para não poder disputar com Rarurg, mas será difícil chegar à ele sem passar pelos verrogaris.]

Enviado por: †_Junior_† - sábado, 4 de agosto de 2012 19:12:45
Fico ainda no meu canto esperando Ricar falar algo de útil.

Enviado por: Samyaza - sábado, 4 de agosto de 2012 19:49:59
MARKUS:
OFF: Suas mãos estão pra trás. Seus equipamentos, exceto suas roupas foram tiradas. Seus pés estão livres, apenas suas mãos estão amarradas e Duril está segurando a corda que o prende.

Faça um teste de Escapar por favor.

Enviado por: Markus Magnus - sábado, 4 de agosto de 2012 20:03:23
[off: pretendo andar um pouco com eles, de cabeça baixa, esperando que baixem a guarda e na esperança de que falem mais alguma coisa entre si, mas se não vão falar e o próximo post já será na frente da casa de Jacus farei o teste [1d20] rolei o dado só para adiantar as coisas, mas se fizerem menção de falar não fugirei atento ao que dizem e quando for fugir usarei a magia ações furtivas gostaria de saber se estão na minha frente ou atras de mim? e quantos cachorros são exatamente]

Enviado por: Samyaza - sábado, 4 de agosto de 2012 20:32:08
MARKUS:
OFF: Jubelus, o verrogari de tapa olho vai a frente do grupo. Ildor, com os cães presos por coleiras, e Duril vão ao centro e por fim Rubei com a besta vai atrás. São ao todo 5 cachorros com Ildor.

Sobre o momento de vc fugir, isso é uma ação condicional, eu não vou tomar nenhuma atitude a partir do que vc escreveu. Se vc pretende fugir pode ser agora, se vc quiser esperar tbm pode ser, mas eu posso tbm simplesmente dizer que vc´s chegaram a casa de Jacus, até pq vc não sabe direito onde fica a casa dele para estimar quando estarão próximos ou não.

GRUPO NA CASA DE JACUS:
Caindo no chão e mordendo os lábios de dor, Ricar urra enquanto o carpete de Jacus se mancha de rubro.
Quando se recupera um pouco da dor ele começa a falar, as palavras são entrecortadas por gemidos enquanto ele força os olhos na inútil tentativa de esconder as lágrimas:
Pelos 13 demônios garoto maldito! Vai pagar por isso!

Voltando-se para Pammala ele fala:
Minha senhora! Tenha piedade, não me neguei a falar sobre os sombrios, apenas não me fizeram nenhuma pergunta sobre eles. Por favor, eu preciso de ajuda, vão me deixar sangrar até a morte?

As últimas palavras já saem com poucas forças enquanto ele se contorce no chão.

Enviado por: Ares - sábado, 4 de agosto de 2012 20:50:51
"Pronto,agora vai ser difícil conseguir uma informação"
Olho para o sangue no chão.
"Eu que não vou limpar esta bagunça"
-Não era pra ter feito um corte profundo nele Connor,agora que ele vai morrer e não nos conta nada.Sam,melhor pegar algum pano,pois se continuar sangrando assim duvido que sobreviva.
"Com que bando de malucos fui me meter"

Enviado por: Markus Magnus - sábado, 4 de agosto de 2012 22:49:45
[off: Tudo bem era o que eu pensava mesmo, mas você simplesmente me pediu o teste, então eu rolei, só apresentei as minhas intenções para que não houvesse algum mau entendido]

Enviado por: Blanchard - sábado, 4 de agosto de 2012 23:32:03
Faço uma cara feia e digo ao pequenino:

Sam, que tal guardar sua arma?

Volto-me para Connor e digo:

Se bem que eu não lhe julgo. Esse verrogari desejou – e a inda deseja – nossas mortes...

Enviado por: arabedoido77 - domingo, 5 de agosto de 2012 0:07:03
Vou até Ricar quando ele pede ajuda e vou me abaixando perto dele:

Está vendo como teria sido melhor ter falado o que sabia antes? Entende agora do que eu queria salvá-lo?

Viro para os outros:

Alguém sabe ao menos fazer os primeiros socorros nele? Vamos ao menos salvar sua vida. Acho que ele já aprendeu a lição e vai nos dizer o que precisamos saber. Pelo menos sobre os sombrios.

Depois, olho para Ricar:

Não vai? Esta será a última vez que me colocarei entre eles e você. Se não nos ajudar desta vez, não sei se conseguirei conter o grandão. Poso até pedir que ele se retire caso se predisponha a contar tudo, pelo menos para mim.

Depois de ele responder, digo aos outros:

Podem deixar. Se for preciso, eu limpo a sujeira. Alguém por favor cuide do ferimento dele para que ele possa falar.


Enviado por: †_Junior_† - domingo, 5 de agosto de 2012 9:39:36
(off: "ai ai ai ai rangers..." não sei pq me lembrei daquele robô dos rangers. Ele falaria isso nessa situação Muito Feliz )

Olho surpreso para Connor, dizendo:

- Mestre Connor! Ele merece isso, mas esperava ele dizer alguma coisa útil!

Corro até a cozinha e pego alguns panos e molho eles e levo até a sala. Me aproximo de Ricar e digo:

- Não sei muito bem o que fazer, mas acho que é assim.

Enrolo o pano molhado na perna dele, tentando conter o sangramento. E vou enrolando outro pano por cima.

Enviado por: bcsaulo - domingo, 5 de agosto de 2012 10:14:21
- Ele não disse nada de importante e não vai dizer. O que ele fez até agora foi ganhar tempo! Não percebem? Ele disse que Jacus foi levado para Seviala... algo que já presumíamos! E o que ele pediu em troca? Comida, vinho, uma chupada - Espero Sam estancar o ferimento, dando tempo para que ele respire um pouco.Logo pego ele pela blusa e o arrasto para a cadeira, em seguida pressiono o gládio em seu pescoço e digo - Agora você falará nomes, senão sofrerá muito, eu irei mantê-lo prisioneiro irei curar seus ferimentos só para fazê-los novamente, entende isso Verrogari? Sua masculinidade será arrancada de você e então e verá eu fodendo prostitutas e apenas terá uma vaga lembrança do que é ser um homem! Até que chegará a hora de você ser a vadia e então enquanto estiver sendo penetrado você sussurrará tudo que está escondendo, pedindo a cada dia que Cruine leve sua vida. Você será um escravo, um escravo de dor! Agora diga! Quem é Irvem Calard? Qual a ligação dele com Vardem os Sombrios e Jered? - Seguro novamente seu membro pela ponta e pressiono o gládio contra ele - Agora diga e se eu algum momento sonhar que está mentindo eu juro que não segurarei minha vontade!

off: Posso testar persuasão, liderança no lugar de tortura, interrogatório! Afinal ele ta sofrendo tortura física e psicológica. Teste.

[1d20]

Enviado por: arabedoido77 - domingo, 5 de agosto de 2012 11:24:37
(Off: Boa tortura psicológica nisso. Sem querer, começamos um jogo de guarda bom e guarda mau).

Enviado por: Vercenorax - domingo, 5 de agosto de 2012 11:54:05
Vendo tudo isto sem muito o que fazer e já irado falo, mas contidamente:
Connor pare já com isso! Se Ricar estiver morto não tiraremos nem mesmo um suspiro que sirva. Largue este home AGORA, eu irei interrogá-lo, e se Ardras chegar aqui e vê-lo neste estado é capaz de ir preso. Não quero saber o que tem a dizer, FAÇA.

Depois falando a Ricar:
Responda as perguntas de Connor. Diganos, o que querem os sombrios por estas paragens? Qual a intenção deles para com as minas? E por que Jacus e não qualquer outro?

Enviado por: Blanchard - domingo, 5 de agosto de 2012 23:34:38
Olhando o condenado digo:

Vamos Ricar, quer se tornar mártir de um reino podre? Achei que isso não ocorresse com guerreiros mercenários.

Quer um beijo élfico? Fale logo de toda essa porcaria que eu lhe garanto um antes de sua morte.

Faço um biquinho pensando: filho duma puta do caralho, morrerá leal à Verrogar.

Enviado por: bcsaulo - segunda-feira, 6 de agosto de 2012 7:48:32
Continuo na minha posição e então sussurro para Ricar - Só sairei daqui com um pedaço de você!

Enviado por: Vercenorax - segunda-feira, 6 de agosto de 2012 11:13:55
Penso:
[Inconsequente, teimoso, impertinente, se o matar vamos ficar sem informações. Que Rarurg e Ardras se apressem em chegar, pois se não não respondo por mim.]

Sento-me eu uma cadeira, levo dois dedos as têmporas e masageio-as, esperando que Ricar me responda.

Enviado por: Samyaza - segunda-feira, 6 de agosto de 2012 14:11:40
MARKUS:
Vc´s ccontinuam a caminhar pelas ruas até que começam a subir uma rua bem elevada e calçada com pedras, ao virarem numa esquina Dúril acena para os demais enquanto fala:
Preparem-se, estamos perto da casa do Lorde, vamos tentar negociar uma troca de Ricar com o espiãozinho deles. Jered já está seguro e com parte da missão cumprida, o que precisamos agora é sairmos vivos daqui.


GRUPO NA CASA DE JACUS:
Sam, por favor faça um teste de Medicina.

Com um real desespero nos olhos Ricar esbraveja enquanto se agaixa e se contorce tentando inultimente se proteger da lâmina:
Calma, calma, eu falo! Mas tire essa coisa das minhas bolas!

Tentando se acalmar ele começa a falar:
Os sombrios estão com seu amigo, ele foi enfeitiçado depois que pegou alguma coisa que estava com o sombrio que vc´s mataram. Ele deu toda a informaçaõ de cada um de vc´s.

Quanto a Vardem, ele é uma cobra, de duas cabeças. Ele quer o comando de Lubliama e negociou isso com Verrogar. Nós o colocamos no poder e ele nos traria algumas vantagens.

O problema são os pele cinza nas cavernas, segundo Vardem, surgiram a pouco tempo e eram um problema, Jacus procurou por Irvem, este é um político e mago em instalado em Verrogar, ele tem assuntos com os sombrios os quais não sei.

Mas quando Vardem ficou sabendo logo foi negociar a cabeça de Irvem em troca de favores dos sombrios, o que ele negociou eu já não sei. Nós sá devíamos dar um fim em vc´s e voltar para Verrogar, essas eram nossas ordens!

É tudo o que eu sei!

Enviado por: bcsaulo - segunda-feira, 6 de agosto de 2012 14:26:10
Pressiono um pouco mais o gládio afim de retirar um filete de sangue do membro de Ricar, gritando - Não estou convencido de suas palavras! QUEM LEVOU JACUS A SEVIALA? E ONDE PODEMOS ENCONTRAR O ESCONDERIJO DE IRVEM?

Enviado por: Samyaza - segunda-feira, 6 de agosto de 2012 14:31:13
GRUPO NA CASA DE JACUS:

Chorando como um criança Ricar diz:
Jered, foi Jered! Vardem entregou Jacus a ele! Jered saiu sozinho para não chamar a atenção, deixou os outros aqui para partirem pela manhã! Ele já deve estar perto de Seviala agora!Irvem é um político, estava há anos fora em Fontenova, mas regressou há alguns meses para Seviala.

Enviado por: bcsaulo - segunda-feira, 6 de agosto de 2012 14:36:35
Afasto o gládio dele e então fico de pé olhando para Glóin - Já sabemos o suficiente?

Enviado por: Vercenorax - segunda-feira, 6 de agosto de 2012 14:48:07
Levanto-me da cadeira pego mais uma maça e como-a, depois ponho mais vinho no copo e bebo, enfim viro-me a Connor e digo, colocando-me entre Ricar e ele:
Sim, já é o suficiente, MAS SE MATAR ESTE HOMEM, SEREI EU QUEM VAI LHE PRENDER. RICAR JÁ NOS PASSOU MUITAS INFORMAÇÕES, AGORA PONHA-O SENTADO NESTA CADEIRA E VISTA-O, Ardras e Rarug já devem estar chegando. Pela bigorna de Parom que sejam rápidos.

*Se houver papel e algo com que possa escrever, pego-os e redijo uma carta para Archibald e Norne, assim escrita:
Já sabemos de muitas coisas, Bator foi bom para conosco, preparem-se não tardará para que decidamos algo crucial que vai mudar muita coisa daqui em diante.

Fecho ao papel, e colocando nos pés de Röac digo-lhe em Voz de Pedra:
Norne Cabeleira-de-Prata.

*Deste asterisco em diante considere só se encontrar papel, e se por um acaso Rarurg chegar, mostro-lhe o papel,antes de enviá-lo.

Enviado por: bcsaulo - segunda-feira, 6 de agosto de 2012 15:12:52
Entrego o gládio a Sam e volto a vestir Ricar, dizendo - Você foi um bom garoto... - Procuro por uma vasilha que contenha água e então lavo as mãos, em seguida pego algumas frutas e me sento numa poltrona ou cama. Logo passo a resmungar - Nessa casa não tem carne, Sam?

Enviado por: Ares - segunda-feira, 6 de agosto de 2012 15:16:30
Ao ouvir sobre Irvem penso.
"Se este Irvem foi o mesmo que contratou meu mestre, agora estou sem nenhuma forma de achar o assassino dele"
-Melhor trancarmos o Ricar em algum lugar, para a segurança dele e nossa.
Olho para o Ricar chorando e pergunto.
-Imagino que queria agora ficar sozinho e bem longe do Connor.Tenho certeza que ele te caçara até o fim do mundo se pensar em fugir,certo?
Pego o que o Sam tinha trazido e como ainda sem vontade, principalmente pelo sangue esparramado pelo chão.

Enviado por: bcsaulo - segunda-feira, 6 de agosto de 2012 15:17:02
Enquanto me alimento penso em voz alta - Nós deveríamos ir ao templo de cruine... Lá é o esconderijo dos macacos sombrios! - Viro para a elfa e questiono - Senhora Pammala, descobriu algo nos livros?

Enviado por: arabedoido77 - segunda-feira, 6 de agosto de 2012 16:41:14
Quando todos acabam, pergunto ao Ricar:

Só uma coisa que não entendi e depois farei o que prometi: quem exatamente está ajudando os sombrios a se infiltrarem por aqui, é Irven ou Jered?

Fico esperando a resposta dele antes de tomar minha decisão.

Enviado por: †_Junior_† - segunda-feira, 6 de agosto de 2012 17:31:19
(o teste de medicina pedido)

Após eu ter feito o curativo, me levanto e pego alguma coisa pra comer que eu mesmo tenha trazido, e fico comendo, esperando Ricar dizer algo mais.

[1d20]

Enviado por: bcsaulo - segunda-feira, 6 de agosto de 2012 18:26:09
Respondo a Pammala - Pelo que eu entendi seria Vardem!

off: A camas no local?

Enviado por: Markus Magnus - segunda-feira, 6 de agosto de 2012 23:02:50
Ao ouvir as palavras de Duril penso
[Bom agora sei que o Lorde é Jacus. Se fugir me caçarão para ter com o que barganhar, se ficar tenho 30% de chances de convencer os heróis de que sou espião contratado por Jacus. Se conseguir tenho que criar uma luta entre os dois grupos para poder reaver as minhas coisas. Se não conseguir convence-los os verrogaris me matarão. Se não conseguir a luta perderei tudo o que tenho. Mas não conseguirei fazer nada com as mãos amarradas e se perceberem a tentativa só apertarão as cordas para poderem me trocar. Mas ainda tenho que apostar nos dois resultados.]

Por fim falo
- Não conseguirão nada, pois como disse não sou um espião deles... - Fungo o nariz e respiro fundo fazendo barulho, paro de andar e me curvo para frente espirrando - AAHHHH TCHIM!!!
Faço isso com a intenção de que Duril fique mais próximo de mim e a corda fique mais frouxa. Ao dar o primeiro passo depois do espirro finjo um pisão em falso caindo para o lado, para que Duril não acabe me acertando com sua espada, me viro de barriga para cima e faço cara de dor enquanto uso a magia Ações Furtivas, para que não percebam que estou tentando me desamarrar.

[off: [1d20] para Ações Furtivas e no próximo post rolarei para Escapar. Só para deixar avisado, minha intenção ainda é fingir estar amarrado e continuar andando com eles.]

Enviado por: Markus Magnus - segunda-feira, 6 de agosto de 2012 23:04:33
[1d20]

Enviado por: Samyaza - terça-feira, 7 de agosto de 2012 12:22:37
MARKUS:
Off: CAGÃO!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Após sua encenação vc percebe que a corda afroxou-se e que vc poderá se livrar um um rápido movimento de mãos. Com vc ainda abaixado Duril segura-o pelo braço levantando-o com violência e empurrando-o para frente:
Vamos idiota! Levante e ande, não é tão difícil assim! Se seus amigos forem espertos, logo vc estará com eles!

Jubelus que estava mais a frente do grupo pára de se movimentar próximo a um casarão de dois andares, com as mãos ele faz alguns movimentos para o grupo. Duril vira-se para Rubei e diz:
É a sua vez, já sabe o que fazer certo?

Como um gato rubei atravessa as ruas de pedra e escala uma das paredes do casarão desaparecendo na escuridão da noite.

Jubelus sobe pela parede do corredor onde vc´s estão ocultos, chegando no teto como num passe de mágica ele se oculta atrás da saída de uma chaminé de uma fora impossível para pessoas comuns.

Ildor fala com Duril:
Agora somos nós correto? Fique atrás do meu escudo, não podemos confiar neles!

Vc´s avançam com Duril e Ildor lado a lado, com um assovio de Duril os cães começam a latir freneticamente.


GRUPO NA CASA DE JACUS:
Off: no segundo andar tem quartos, o de Vardem e o de Pammala são conhecidos.

Enquanto Sam faz um belo trabalho em Ricar e o verrogari pode se recompor, Roac voa pela janela em direção as sombras da noite. Poucos minutos depois de Roac desaparecer na escuridão vc´s começam a ouvir latidos de cães na rua, depois de alguns minutos vc´s percebem que os latidos não cessam, sequer diminuem indicando um afastamento dos animais. Ricar sorri discretamente e diz em voz baixa:
Hora de ir pra casa...

Enviado por: bcsaulo - terça-feira, 7 de agosto de 2012 13:14:39
Me levanto com um salto quando escuto o que Ricar fala, seguro no punho do machado e me aproximo dele - Acho que não entendi direito o que disse!

off: Tenho Inteligência 1, posso fazer um teste para relacionar o que ele disse com os latidos? Se possível vou rolar o teste, senão desconsidere.

[1d20]

Enviado por: Markus Magnus - terça-feira, 7 de agosto de 2012 14:03:47
[off: ahuahahu pelo menos correr quando a bagaça esquentar eu vou poder, que tá doido rapaz to num mato sem cachorro, se correr o bicho pega se ficar o bicho come, alias acho que nesse caso se eu correr pra muito perto do Connor fica mais perigoso do bicho comer, ta numa seca desgramada ... é membro pra ca e membro pra lá... ehhh uma pederastia sem tamanho kkkkk. Sei que ta meio tarde para perguntar, mas como perguntar não ofende la vai Jubelus carrega um arco ou besta? Só pra frizar o casarão que eles Rubei e Jubelus escalam é a mansão de Jacus? E não da para saber se Rubei está observando, apenas escondido, ou se foi para outro lugar?]
Observo atentamente às movimentações e penso
[Graças aos Deuses não tentei lutar com eles antes, mas isso complica mais ainda a questão de pegar as minhas coisas de volta, saco]
Apenas fico em silêncio me abaixo um pouco me escondendo atras do escudo
[off: estou atras dos Duril e do Ildor? Os cães estão à frente? Jubelus e Rubei, se ainda estiverem na mesma posição, estão à minha frente? Não veriam as minhas mãos atras do escudo?]
Penso
[Bom agora o negócio é distrair todo mundo e na hora propicia atacar. Que os heróis sejam bons combatentes para que enfim consiga pegar as minhas coisas de volta]
Falo baixo para só Duril e Ildor me ouvirem.
- Odeio situações tensas, será que não há um jeito mais fácil de todos conseguirmos o que queremos? Será que os cães são o suficiente para saberem que estamos aqui fora?
[off: [1d20] se caso precisar para observar]

Enviado por: †_Junior_† - terça-feira, 7 de agosto de 2012 14:16:39
Dou um tapinha no ombro de Ricar e digo:

- Acho que por esse ferimento vc não morrerá.

Quando escuto os latidos e Ricar fala, olho para ele e digo:

- O que quer dizer com isso?

Vou até a janela mais próxima, e tento olhar discretamente a rua, para ver o que acontece.

(precisa de ações furtivas na janela para não ser visto?)

Enviado por: Vercenorax - terça-feira, 7 de agosto de 2012 14:31:11
[Maldição!]

Ouvindo os latidos penso:
[Que Röac tenha conseguido.]

Depois tomo uma posição firme e digo:
Os Cães vieram buscar o desgarrado de sua matilha. Derin e Pammala vão para o andar superior para atacarem de cima, Connor vá com eles por via das dúvidas, Malfas tranque a porta dos fundos e ponha uma mesa atrás dela, depois venha e tranque as outras portas no caminho até aqui. Sam vai me ajudar aqui embaixo caso algo aconteça.

Tranco a porta da frente e ponho algum móvel pesado atrás dela, depois vou até a janela em que Sam estiver e vendo o que se ocorre na rua grito:
Vão para o inferno! Antes matamos todos vocês!

Enviado por: bcsaulo - terça-feira, 7 de agosto de 2012 14:39:36
Quando Glóin começa a dar as ordens viro para Ricar e acerto um violento soco em sua face, em seguida pego e visto os equipamentos dele (escudo, armadura e elmo)enquanto resmungo - Eu disse que deveríamos ter procurado um local seguro! Mas não tinham que ficar e esperar - Quando termino de vestir a armadura dou uma rápida olhada para o Verrogari e vou para o andar de cima.

Enviado por: Ares - terça-feira, 7 de agosto de 2012 17:48:59
Corro em direção ao quarto com meu arco,enquanto grito.
-Certo,se não conseguimos proteger a casa,melhor matar este ai que já esta amarrado.
Observo primeiramente se o arqueiro não esta numa janela a frente e preparo meu arco para atirar assim que alguém aparecer e me parecer suspeito.

Enviado por: Blanchard - terça-feira, 7 de agosto de 2012 22:42:57
Ao ver a movimentação começo a ficar com o coração acelerado. Faço um movimento pra pegar o alaúde, mas sentindo-me extremamente tenso e abatido, desisto de tentar reunir forças para uma melodia. Saco o gládio dizendo para Pammala (em élfico):

Cuidado Pammala, de todos nós você é a única que não deve sofrer.

Sacando o gládio, digo para Gloin:

A arte da guerra não é a que mais me interessa. Mas não sou um covarde.

Encosto num canto vazio de uma janela e deixo o gládio encostado em meu corpo. (Ações furtivas, caso precise) [1d20]

Quietinho , penso: Que Cambu ajude esse andarilho...

Enviado por: Vercenorax - quarta-feira, 8 de agosto de 2012 10:53:52
Viro-me para Calion e digo:
Me esqueci de você, vá para o andar de cima com os outros Connor não está totalmente em forma. Aqui embaixo nós damos conta.

Enviado por: arabedoido77 - quarta-feira, 8 de agosto de 2012 14:35:26
Falo para Calion:

Tudo bem, vou tentar me proteger da forma que for possível.

Acompanho os outros para a parte de cima da casa, como foi ordenado.

Enviado por: Blanchard - quarta-feira, 8 de agosto de 2012 23:26:46
Ao ouvir Gloin penso: Esse anão já participou de mais combates do que eu de orgias, é melhor seguir sua orientação.

Contradizendo o que disse para Gloin antes, fico de 4 e me arrasto até a escada. Quando chego nela fico de pé e, não conhecendo o local, começo a chamar baixo (em élfico), evitando dizer nomes:

Elfa? Elfa? Pra onde vocês foram?

Enviado por: arabedoido77 - quinta-feira, 9 de agosto de 2012 14:17:27
Repondo para Calion:

Por aqui. venha.

Enviado por: Samyaza - quinta-feira, 9 de agosto de 2012 15:11:26
MARKUS:
off: Rubei está com uma besta e escalou a casa de Jacus. Jubelus está com um arco (ele tbm porta dois gládios) e escalou a casa em frente a de Jacus (vou postar uma imagem). Ambos estão escondidos. Ildor está na frente com o escudo erguido tentando proteger a si mesmo e a Duril. Duril está atrás dele e numa mão segura sua corda e na outra os cães (vc está do lado esquerdo e os cães do lado direito).

Fique livre para agir quando achar melhor.


GRUPO NA CASA DE JACUS:
Ricar sorri desdenhosamente para Sam e Connor enquanto diz:
O que foi? Vc´s tem medo de cães? Algum cachorro grande te mordeu Connor?

Malfas parte para os fundos da casa e cruza o saguão onde vc´s estão umas três vezes para fechar portas e janelas:
Suas ordens foram cumpridas mestre anão.

Sam, olhando pela janela vc vê dois homens de cabelos ruivos, ambos estão muito bem armados. Um deles segura uma coleira com 4 cães num braço e no outro uma corda com uma pessoa amarrada nela.

Derin, vc chega ao andar de cima o olhando pela janela vê os mesmos dois homens armados que Sam viu.

Connor, Calion e Pammala, vc´s chegam no quarto onde Derin está na janela com seu arco a postos.

Derin faça um teste de Observar e Escutar. Connor, Pammala e Calion, façam testes de Escutar.


Glóin, assim que vc encerra sua fala vc começa a ouvir gargalhadas do lado de fora:
HUHuhaUHUhaUHAUhaUHAuhaUHAuhaUHAuhaUAHuahUHAuahUAHuah! Não viemos matar ninguém hoje! Viemos oferecer uma troca, entreguem-nos Ricar e lhes entregamos o espião que vc´s enviaram.

Derin e Sam que estão em janelas vêem que o verrogari de cabelos curtos e vermelhos chuta o refém, colocando-o de joelhos.




Enviado por: Ares - quinta-feira, 9 de agosto de 2012 15:17:44
Teste de Observar e Escutar na ordem

Enviado por: bcsaulo - quinta-feira, 9 de agosto de 2012 15:18:29
off: Ricar não ficou inconciente? Eu dei um soco na sua cabeça antes de sair do quarto!

Escutar [1d20]

Enviado por: Vercenorax - quinta-feira, 9 de agosto de 2012 15:35:10
Dirijo a palavra a Malfas:
Muito bem, agora esteje preparado não é à toa que se chamam Cães.

Grito pela janela:
Espião?! Está sonhando meu caro, não lhe mandamos nada, mas já que está oferecendo, de graça nós aceitamos.

Depois falo a Ricar se ele não estiver desacordado:
Como se chamam mesmo seus companheiros, sei que um deles é Jubelos o que não tem um olho, e os outros? Aliás em quantos são mesmo?

Enviado por: Ares - quinta-feira, 9 de agosto de 2012 15:36:50
Ao ver que estavam com um refém tenho certeza que não seria um erro atirar neles, puxo com toda a força a corda do arco e respiro fundo me concentrando e tentando mirrar exatamente no Verrogari que chutava o refém, entre uma batida do coração e outro disparo o arco tentando manter a trajetória o mais perfeita possível.
Sabendo que ao que eu disparar o arco minha localização estaria totalmente visível e se ouve-se algum arqueiro escondido ele poderia me acertar sem grandes problemas, procuro ir um pouco para fora da visão da janela após o disparo.
[1d20]
avatar
Samyaza
Admin

Mensagens : 1056
Data de inscrição : 04/10/2013
Idade : 32
Localização : Franco da Rocha / SP

Ficha do personagem
Nome: Robert Locksley
Posto: Segundo Tenente
Especialidade: Franco-Atirador

Ver perfil do usuário http://vingadornegro.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum