Décima parte - Um encontro inesperado

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Décima parte - Um encontro inesperado

Mensagem por Samyaza em Ter 08 Out 2013, 22:42

Enviado por: arabedoido77 - quarta-feira, 11 de janeiro de 2012 15:29:28
Depois que o sombrio morre, me levanto, tento me recompor, ajeito os cabelos e comento:

Consegui tirar algumas informações dele. Garotas precisam conhecer certos truques...

Dou um sorriso malicioso

Mas agora, vamos ao assunto sério. Vou traduzir o que ele escreveu e o que anotei do que ele me disse.

Quando dei o pergaminho para que ele escrevesse, estas foram as coisas que ele escreveu, em um élfico antigo. Vou anotar neste outro a tradução de tudo em Malês para que todos possam consulta-lo. Diz o seguinte:

"...nova noite..."
"...morte e escravidão ..."
"...mundo conhecido..."
"...analiom..."
"...reinos corrompidos...reis e generais escravos ..."
"... Irvem Calard..."
"...sacríficio..."

Depois, começo a traduzir também o que ele me sussurou, previamente anotado em élfico (Acho que não precisa transcrever o que está no último post do Samyasa...).

Ao fim, estendo o pergaminho com tudo traduzido para os outros.

Me chamou atenção esses nomes que ele escreveu, Irvem Callard e esse Analiom. Provavelmente referência a Sereth Analiom, mas e quanto a Irvem Callard? Foi no momento em que perguntei quem os estava ajudando.

As outras coisas que ele me sussurou que estão aí, ele disse quando perguntei sobre aquele outro nome, Vardem. Faz algum sentido para mais alguém? Para mim, pareceu mais o conselho desesperado para que outros seguissem seus passos.

O que faremos algora? Para mim, parece que é preciso colher um pouco mais de informação. Agora que sabemos que os sombrios estão aqui, é preciso ter certeza de quem os está ajudando para não incriminar nenhum inocente. O que acham?

Fico no aguardo da decisão dos outros.

Enviado por: Maedhros - quarta-feira, 11 de janeiro de 2012 15:34:17
Vamos continuar. Derin, ache a trilha.

(dado p misticismo)[1d20]

Enviado por: †_Junior_† - quarta-feira, 11 de janeiro de 2012 15:51:19
[Isso está ficando muito interessante!]

Aguardo na minha, iluminando o que for necessário com a tocha que carrego.

Enviado por: bcsaulo - quarta-feira, 11 de janeiro de 2012 16:13:06
Interrompo Pammala quando esta começa a falar sobre o que descobriu - Esse não é o momento para essa conversa - Depois ao observar as ações de Derin, lanço a pergunta para ele - O que pensa que está fazendo? - Desvio o olhar para Glóin esperando que ele lidere.

Enviado por: Maedhros - quarta-feira, 11 de janeiro de 2012 16:15:15
Caso Connor interrompa, digo:

Não. eu quero ouvir o que o elfo disse. Continue, Pammala.

Enviado por: Ares - quarta-feira, 11 de janeiro de 2012 16:23:44
Caso a pergunta seja antes de iniciar a magia Rastreamento respondo.
-Procurando a trilha,deixem eu me concentrar por um momento.

Enviado por: Samyaza - quarta-feira, 11 de janeiro de 2012 16:26:30
OFF:
Legal como as coisas estão andando!
Estou aguardando o gloin pra prosseguir ok?

Enviado por: Maedhros - quarta-feira, 11 de janeiro de 2012 16:29:54
(off:Ok...)

Enviado por: Vercenorax - quinta-feira, 12 de janeiro de 2012 11:19:07
(OOOOOO DESESPERO)

Quando o elfo morre digo:
Devemos levar a cabeça, Rarurg, precisa saber disso.

Quando Derin avança vou com ele dizendo a ele e aos outros:
Olhe rapidamente, teremos de ir imediatamente. Connor ensaque a cabeça do elfo. Benjen creio que Pammala já terminou o registro, após Derin terminar iremos para cima.

Depois digo a Derin para que somente ele escute:
Rápido com isso elfo.

Enviado por: bcsaulo - quinta-feira, 12 de janeiro de 2012 11:24:28
Pego a cabeça do elfo no chão e cauterizo com fogo o local do corte para impedir o sangramento, após fazer isso ponho a cabeça na sacola - É melhor darmos um fim no corpo dele, isso nos dará tempo para pensarmos no que fazer antes que eles descubram que foram descobertos - Pergunto a Cletus - aqui existe algum buraco onde possamos jogar o corpo?

Enviado por: arabedoido77 - quinta-feira, 12 de janeiro de 2012 11:35:51
O que fazer agora? Voltar ou avançar mais um pouco? Parte do que era preciso saber já foi descoberto, não são fantasmas, mas elfos sombrios que estão por aqui. Perfeito.

Mas isso agora levantou outras questões que como disse antes precisam ser respondidas antes do relatório ser mandado para Marana: quem está ajudando esses elfos, por onde eles estão entrando e saindo e as reais intenções deles por aqui. Como disse antes, considero o perigo de incriminar um inocente.

E se formos voltar, precisamos também deixar muito bem combinado o que vamos relatar lá fora.

De minha parte, vou para onde todos forem. Não tenho condições de seguir nesta mina sozinha.

Enviado por: bcsaulo - quinta-feira, 12 de janeiro de 2012 11:39:49
Repondo a Pammala - Quando estivermos lá fora, nos sentamos e combinamos o que, e pra quem será informado.

Enviado por: †_Junior_† - quinta-feira, 12 de janeiro de 2012 11:47:24
Falo:

- Seria melhor voltarmos. Estamos feridos, eu e Pammala, e parece que derrotamos a primeira ameaça das minas. Seria melhor voltar e descansar.

Me viro para Gloin e falo:

- O que acha, mestre anão?

Enviado por: Samyaza - quinta-feira, 12 de janeiro de 2012 13:29:33
SAM:
Pelas atitudes de Gloin vc deduz que ele espera apenas que Derin termine o serviço antes de sair das minas. Parece que ele também se preocupa com a segurança dos demais.

PAMMALA:
Ferida e profundamente abalada pelas palavras do sombrio, vc espera que todos decidam qual o caminho a seguir.

DERIN:
Enquanto caminhava em direção ao corredor vc sente um formigamento por todo o seu corpo, não chega a ser algo interno, é externo como se uma aura ao seu redor fizesse seu corpo todo tremer. O corredor segue em direção em frente, com o mesmo espaço dos demais. De repente vc é tomado por uma sensação de extâse e logo depois de cansaço e fadiga. Vc se abaixa e procura rastros, enquanto tateia o chão e recita os palavras que conjuram a magia, vc é tomado por um efeito diferente, de repente, todo o corredor a frente se ilumina, como se ele estivesse iluminado pela luz do sol a sua frente o corredor se divide em 3 partes, mas todas elas estão bloqueadas por pedras. Os rastros no chão indicam pelo menos pegadas humanóides e os rastros das aranhas, as pegadas humanóides foram feitas a mais tempo, as marcas das aranhas são mais recentes.

CONNOR:
Cletus diz:
Não, mas podemos usar algumas ferramentas velhas pra cavar um buraco, mas sugiro queimar o corpo deste elfo maldito!

BENJEN:
A tatuagem segue a mesma linha que foi identificada por alguns na Muralha como a marca dos proscritos entre os sombrios, elfos cuja atitudes são impiedosas ou fanáticas o suficiente para terem sido expulsos pelos seus semelhantes.
Observando a garra que o sombrio carregava vc percebe uma energia emanar dela, não é nada visível, mas vc percebe que essa energia o envolve fazendo seu corpo tremer e formigar, logo, súbito, vc começa a enxergar toda a região ao redor como se ela estivesse completamente iluminada.

GLOIN:
Vc caminha com o elfo pelo corredor e percebe nitidamente o corpo dele tremer completamente antes que ele conjurasse a magia.

OFF:SEI QUE NÃO É AQUI O LOCAL IDEAL PRA POSTAR ISSO, MAS SÁBADO TEREMOS TAGMAR NOVAMENTE NA BIBLIOTECA CHÁCARA DO CASTELO, ONDE FOI O ENCONTRO DOS 20 ANOS, DESSA VEZ EU VOU NARRAR, QUEM FOR DE SP TÁ CONVIDADO!

Enviado por: Ares - quinta-feira, 12 de janeiro de 2012 13:47:11
Me dirijo ao grupo e falo.
-Existe algo estranho,acho que esta garra mexeu na minha aura,cuidado com ela.Mais sobre a trilha,leva a 3 corredores fechados por pedras e existem algumas pegadas,as mais recentes são de aranhas e as mais antigas são provavelmente dos elfos sombrios ou quem sabe algum anão que entrou nas minas.Minha opinião é voltarmos e nos recuperarmos.Mais talvez seja proveitoso colocar fogo no ninho das aranhas também.

Enviado por: bcsaulo - quinta-feira, 12 de janeiro de 2012 15:00:14
Digo para Cletus - Então dê-me as ferramentas que eu mesmo faço esse buraco - Logo que ele me dê uma pâ trato de cavar um buraco raso para colocar o corpo do elfo.

Sobre o comentário de Derin, digo - Colocamos fogo nos ninhos um outro dia.

Enviado por: Vercenorax - quinta-feira, 12 de janeiro de 2012 16:01:32
Muito bem então, vamos embora assim que Connor cobrir de terra o morto.

Enviado por: arabedoido77 - quinta-feira, 12 de janeiro de 2012 16:06:03
Baixo a cabeça com um pouco de desapontamento.

De acordo... Realmente não quero terminar meus dias em um lugar como este.

Pergunto para Gloin, enquanto Connor trabalha:

Só uma curiosidade, caso alguém tente nos silenciar lá fora: esse corvo conseguiria levar uma mensagem até Marana, caso fosse preciso?

Enviado por: Maedhros - quinta-feira, 12 de janeiro de 2012 16:08:33
(off: Samyaza, meu personagem por acaso sente... como podemos dizer... o sentimento de dever cumprido? tipo, não há nada mais a fazer aqui em baixo, né?)

Enviado por: †_Junior_† - quinta-feira, 12 de janeiro de 2012 16:23:39
Quando Connor começar a cavar o buraco, fico segurando as armas dele. Olho para ele e falo:

- Não seria mais fácil queimar o corpo, mestre Connor?


Enviado por: Vercenorax - quinta-feira, 12 de janeiro de 2012 16:26:49
Digo a Pammala, demonstrando autoconfiança e certeza;
Si Röac, poderia levar uma mensagem até Sensera facilmente, mas sossegue não seremos morto, não comigo aqui. Sim de fato queime aproveitamos a ateamos fogo as aranhas.

Enviado por: Ares - quinta-feira, 12 de janeiro de 2012 16:27:26
"Malditas aranhas,uma delas me atacou!"
Vejo que não conseguiria acabar com o ninho das aranhas digo.
-Seria mais rápido deixar o corpo ai e colocar fogo,claro que isto vai encher as cavernas de fumaça.Então deixar ele apodrecer e distrair as aranhas é melhor.Menos trabalho para elas,mais tempo para sairmos daqui.
Resmungo bem baixo.
-Devíamos queimar o ninho.

Enviado por: Vercenorax - quinta-feira, 12 de janeiro de 2012 16:32:00
Ah, com mil demônios, vamos embora e deixemos tudo como está este verme mesmo depois de morto me dá dores de cabeça. Cletus guienos!

Enviado por: Samyaza - sexta-feira, 13 de janeiro de 2012 10:53:54
DERIN:
A imagem de todo o corredor iluminado cessa, e sua visão volta ao normal.

CONNOR:
Vc começa a cavar e julga que não levará mais de meia hora para enterrar o corpo do sombrio.

GLOIN:
Connor ainda cavava quando vc decide que e melhor interromper e ir logo embora.

PAMMALA:
A idéia de apenas deixar o corpo aí, para apodrecer lhe incomoda, apesar de vc não querer ir contra a vontade de maioria.
OFF: Árabe, vc vai estar na biblioteca amanhã?

SAM:
Quando vc questiona a Connor, Cletus se pronuncia enquanto pega uma pá e começa a ajudar:
Concordo com vc pequenino, poderíamos arrastar esse desgraçado pra fora das minas e queimá-lo lá, adoraria ver o maldito queimando e ouvir o estalar de sua pele pelas brasas!

BENJEN:
Quando Glóin decide sair, vc é tomado pela sensação de que algo ainda precisa ser feito, seu dever, como sacerdote é cuidar que os mortos tenham seus ritos fúnebres, mesmo o sombrio teria esse direito, além disso, os corpos dos mineradores mortos não foram encontrados e seus ritos não foram realizados. É possível fazer um ritual sem os corpos e não precisa necessariamente ser aqui nas minas.

TODOS:
Vc´s deixarão as minas?

Enviado por: Vercenorax - sexta-feira, 13 de janeiro de 2012 10:59:59
Estou constanto que é quase palpável a insatisfação de vocês, vamos enterrar este maldito antes que me enerve!
Pego uma pá e ajudo a cavar.

Enviado por: Ares - sexta-feira, 13 de janeiro de 2012 11:03:07
Fico de guarda observando para ver se não seriamos atacados.

Enviado por: Samyaza - sexta-feira, 13 de janeiro de 2012 11:05:47
GLOIN:
Acostumados a trabalhar a pedra bruta, retirar um pouco de terra do chão não é nada para anões como vc e Cletus, em pouco tempo o buraco é feito e o sombrio é enterrado.

DERIN:
Durante sua vigília nada de anormal acontece.

Enviado por: Vercenorax - sexta-feira, 13 de janeiro de 2012 11:08:41
Agora Benjen, você é o sacerdote de Cruine, se tiver de fazer algo que faça pra irmo-nos.

Enviado por: arabedoido77 - sexta-feira, 13 de janeiro de 2012 11:10:58
Digo, em um tom pensativo quase que um diálogo interno:

Vamos considerar que ao menos no fim da vida, ele voltou e nos passou informações. Ajudou da melhor maneira que pôde e merece ao menos ser enterrado. Se eu ajudar, acho que será mais rápido.

ME aproximo para ajudar Connor a cavar a cova do sombrio. Se não tiver ferramentas, vou com as mãos mesmo.

(Off: Este sábado não vai ser possível. Estou com uma gripe fortíssima. Mas da próxima, com certeza eu vou)

Enviado por: bcsaulo - sexta-feira, 13 de janeiro de 2012 11:17:24
Se Pammala se abaixar para cavar com suas mãos, seguro em seu braço e olho fixamente para ela dizendo - Se quer ajudar, pense em algumas palavras para falar em nome do sombrio - Depois volto a cavar.

Enviado por: Ares - sexta-feira, 13 de janeiro de 2012 13:19:50
-O que faremos com as armas dele?

Enviado por: †_Junior_† - sexta-feira, 13 de janeiro de 2012 13:36:15
Quando Pammala tenta ajudar a cavar, falo:

- Não se canse, nobre elfa. Deixe isso para os mais fortes fisicamente.

Olho para os outros e falo:

- Vamos continuar ou sair?

Enviado por: arabedoido77 - sexta-feira, 13 de janeiro de 2012 13:46:20
É um equipamento simples. Acho melhor deixar aqui na cova com ele.

Que Palier o receba em seu perdão e não precise sofrer por seus erros do passado na outra vida. Na hora derradeira, ele voltou a si e pelo que pude ver, se arrependeu de seus erros. Vamos deixá-lo com o que conseguiu recuperar de sua dignidade. Que sirva de lição para nós elfos para não nos deixarmos levar pela promessa de grandes poderes.

O que fazemos agora, voltamos mesmo? A propósito, acho que o governador de Marana vai gostar de conhecer aqueles que me ajudaram aqui. O que acham?

Viro para Glóin:

E quando estivermos lá fora, preciso consultá-lo sobre a versão final de meu relatório, Não quero revelar mais do que aquilo que o povo Anão quer permitir que seja conhecido.

Fico esperando o enterro acabar e a decisão dos outros.

Enviado por: Ares - sexta-feira, 13 de janeiro de 2012 14:16:10
Respondo a Pammala sobre ir a Marana.
-Creio que isto vá contra meus interesses,seguirei em direção a Verrogar e espero não levar muito tempo para isto.

Enviado por: Maedhros - sexta-feira, 13 de janeiro de 2012 14:58:39
Quando terminam de enterrar o elfo, me agaicho e desenho na terra sobre o corpo o simbolo de cruine e asperjo um pouco de agua abençoada. E faço uma oração silenciosa:

[Que Cruine e Palier lhe sejam piedosos e lhe concedam o descanço perpétuo em paz...]

Me levando e digo:

As armas dele serão levadas para longe dele, pois elas praticaram o mal. Serão queimadas.

Dizendo isso as recolho.

Enviado por: Vercenorax - sexta-feira, 13 de janeiro de 2012 15:18:47
Depois do elfo enterrado, me levanto limpo as mãos e digo:
O serviço aqui terminou, devemos ir e nos dirigirmos imediatamente a Rarurg, ele resolverá o que deve ser dito a Jacus.Dou uma pausa pigarreio e torno a falar.Palavras certas meu caro amigo Benjen. E ir a Sensera minha cara Pammala, não sei devemos pensar, pois tenho de ir a Seviala também preciso saber de um maldito que me disseram. Cletus agora sim, leve-nos daqui!

Enviado por: arabedoido77 - sexta-feira, 13 de janeiro de 2012 15:47:43
Tudo bem, depois penso no que fazer. Vamos resolver um problema de cada vez. Primeiro decidir a versão da história a ser contada.

Enviado por: Ares - sexta-feira, 13 de janeiro de 2012 16:48:16
-Não acham melhor discutir estes problemas na superfície?Pois aqui nas cavernas existem alguns perigos ainda.Mais a verdade deve ser preservada ao máximo ao meu ver.

Enviado por: Vercenorax - sexta-feira, 13 de janeiro de 2012 16:56:40
E assim será. Vamos Cletus!

Enviado por: bcsaulo - sexta-feira, 13 de janeiro de 2012 17:12:18
(Off: Acho que a gnt ta conversando enquanto andamos)

Enviado por: Samyaza - segunda-feira, 23 de janeiro de 2012 19:52:36
TODOS:

Vc´s caminham até o elevador onde a jornada começara,ao subir, vc´s são recebidos por um Náin cuja expressão é de alívio e surpresa:
Parom e Blator! Que bom que regressaram!!!

Ele olha cada um de vc´s lentamente.

E todos vivos! E então? provaram que não há nada além de ratos e aranhas crescidinhas lá embaixo??

Ele se dirige a Glóin.

Padrinho,sabia que vc resolveria o caso,venha vamos pra casa, comer e beber, a noite hoje será dedicada a desmistificar essa loucura de fantasmas em minas,quero ouvir tudo o que passou lá embaixo!

Enviado por: †_Junior_† - segunda-feira, 23 de janeiro de 2012 20:40:20
Falo para Náin:

- Aranha crescidinhas até demais! Mas elas não foram páreas para nós!

Toco uma música animada na gaita, enquanto caminhamos.

Enviado por: bcsaulo - segunda-feira, 23 de janeiro de 2012 20:49:17
Sigo atrás dos outros sem comentar nada.

Enviado por: arabedoido77 - segunda-feira, 23 de janeiro de 2012 21:35:59
Apenas olho para os outros e não digo nada. Por enquanto, fico em silêncio.

Enviado por: Ares - segunda-feira, 23 de janeiro de 2012 22:53:16
Sigo os outros sem nada falar também.

Enviado por: Samyaza - terça-feira, 24 de janeiro de 2012 13:07:56
SAM:

Náin olha pra vc e sorri.

Percebo que está ferido Sam,como, com tantos e tão capazes foi-se machucar tanto? Sei que meu padrinho jamais faria isso, mas parece-me que a covardia tomou os demais, obrigando-lhe assumir a frente de batalha! Quanta injustiça, logo um pequenino!


CONNOR,DERIN E PAMMALA:
Olhando para vc´s com um olhar desconfiado, ele diz:

Acho que não só o Sam foi atacado, as aranhas comeram suas línguas? e você elfa, está bem?

Enviado por: Ares - terça-feira, 24 de janeiro de 2012 13:17:55
-Sam já fala o suficiente para três,mas antes de qualquer coisa precisamos tratar os ferimentos e comer uma refeição.

Enviado por: arabedoido77 - terça-feira, 24 de janeiro de 2012 13:37:40
O que posso dizer? Acho que as aranhas não gostam de visitas. Uma delas também gostou de mim. Me abraçou de um jeito que quase me matou.

Dou um sorriso tímido e continuo:

Mas agora falando sério, Glóin vai lhe passar os detalhes de como tudo aconteceu. Mas posso adiantar que ele lutou bravamente, o problema foi que as aranhas vieram de cima, de surpresa.

Enviado por: Vercenorax - terça-feira, 24 de janeiro de 2012 14:42:26
Respondendo a Náin digo:
Graças a Blator, está bem Náin. Mas sem perguntas, sim?! Temos de ir diretamente à seu pai, Rarurg deve ouvir o que tenho a dizer, e você Cletus filho de Archibald, terá de vir também, sua presença é importante como a de seu pai será se Rarug achar que o que penso convém.

Enviado por: Samyaza - terça-feira, 24 de janeiro de 2012 15:49:25
GLÓIN:
Náin:
Como queira meu padrinho, vou conter minha angústia e curiosidade até o momento correto.

Cletus:
Eu teria assuntos a resolver meu senhor, poderia apresentar-me numa outra ocasião? A descida as minas não estava prevista e isso desorganizou um pouco meus planos.

TODOS:
Vc´s caminham pelas minas até a saída, o sol já começa a se ocultar atrás das montanhas. Vc´s começam a descida e já perto de chegarem na estrada, vc´s percebem, abaixo de vc´s, há menos de meio quilômetro um pequeno acampamento, na verdade apenas duas barracas de lona de um marrom tão escuro que parece ser completamente negra.

Subindo a montanha na direção de vcs, um grupo formado por 4 homens usando mantos que lhes cobrem o roso e mais 10 outros vestidos com roupas comuns e armados com lanças e escudos. Dos 4 homens encapuzados, pelo menos um deles tem uma baixa estatura.

Todos rolem 1d0 por gentileza.

Enviado por: Vercenorax - terça-feira, 24 de janeiro de 2012 15:55:02
Muito bem então, caro Cletus. De acordo.

[1d20]

Enviado por: bcsaulo - terça-feira, 24 de janeiro de 2012 15:59:56
Off: Alguem tem noticias do Maedhros axo q ele parou de postar...

Enviado por: Ares - terça-feira, 24 de janeiro de 2012 16:00:36
[1d20]

Enviado por: arabedoido77 - terça-feira, 24 de janeiro de 2012 16:22:14
Pray

[1d20]

Enviado por: arabedoido77 - terça-feira, 24 de janeiro de 2012 16:25:16
(Off: Também percebi que ele anda sumido. Será que ele anda com algum problema?)

Enviado por: Vercenorax - terça-feira, 24 de janeiro de 2012 17:44:34
Off: Ele tá sem nete é só isso meus amigos.

Enviado por: †_Junior_† - terça-feira, 24 de janeiro de 2012 19:47:53
Falo para Náin:

- Protegi Connor, Nain. Ele é grande, mas precisa de proteção vez ou outra!

Continuo tocando minha gaita.

Ao ver os homens se aproximando, comento:

- Eita, uma escolta veio nos buscas?

[1d20]

Enviado por: Samyaza - terça-feira, 24 de janeiro de 2012 20:01:23
Vercenorax:

Vc sabe se essa falta de net é duradoura? Vamos esperar dois dias até uma resposta, então continuaremos.

Enviado por: arabedoido77 - terça-feira, 24 de janeiro de 2012 22:28:19
Fico com uma expressão preocupada. Pergunto aos outros:

Será que vamos ter problemas com eles? Lembram-se da recomendação de Jered, de guardar sigilo sobre o que fosse descoberto lá dentro?

Viro para Glóin:

Vamos contar tudo que aconteceu lá dentro para eles? Acho melhor tomar a frente. De minha parte, confirmarei tudo que disser.

Enviado por: Ares - terça-feira, 24 de janeiro de 2012 22:36:54
Confirmo para Gloin.
-Não tenho nada a ganhar ou perder com isto,confirmarei suas palavras.

Enviado por: Maedhros - quarta-feira, 25 de janeiro de 2012 15:08:24
(off: eu tava sem net, gente. por isso o sumiço... kkkkkkkkkk! e pelo jeito voltei com força total! olha o dado! kkkkkkkkk...)

Fico em silêncio durante a volta. Quando chegamos a superficie, puxo meu capuz para tampar o sol da minha cara.

[1d20]

Enviado por: Vercenorax - quarta-feira, 25 de janeiro de 2012 16:55:14
Muito bem, apenas concordem.
Ponho-me a frente do grupo.

Enviado por: Samyaza - quinta-feira, 26 de janeiro de 2012 13:50:52
TODOS:
Ao ter autorização, Cletus despede-se e sai da estrada principal, tomando uma trilha perpendicular a de vc´s, ele sai em passos apressados.
É aqui que me despeço de vc´s amigos, nos veremos novamente já na cidade assim que resolver meus problemas.

DERIN, SAM E PAMMALA:
Vc´s notam que a figura mais baixa é um anão.

CONNOR:
Vc percebe que entre os soldados, dois deles são os leões de chácara de Jacus.

GLÓIN:
Observando o grupo vc percebe entre eles dois conversam entre si e conforme movimentam o corpo para falarem aos ouvidos um do outro, um deles deixa a mostra uma espada cuja bainha está presa ao cinto e do outro lado esconde uma aljava de flechas.

BENJEN:
Perscrutando o grupo vc percebe que a disposição dos quatro encapuzados é a seguinte: o mais baixo deles está a sua direita e sobe calado, ao lado dele, o mais alto conversa com outro e na ponta esquerda o último de estatura humana segue tão calado quanto o primeiro e mais baixo deles. Vc ainda percebe que entre os que conversam entre si e conforme movimentam o corpo para falarem aos ouvidos um do outro, o mais alto deles deixa a mostra uma espada cuja bainha está presa ao cinto e do outro lado esconde uma aljava de flechas. A figura mais baixa nitidamente é um anão, e aquele que conversa com o mais alto, carrega no peito um brasão.


OFF:
Até que alguém anuncie o que cada um viu, interpretaremos tendo como referencia a descrição pessoal que cada um teve ok? Atitudes de "anti-jogo"vão gerar penalidades em experiência (digo isso pq já tivemos exemplos disso)

OFF2:
ARABE DOIDO,PRECISO DAS INFORMAÇÕES ATÉ O DOMINGO CARA:
Nome completo, endereço completo, telefones de contato, RG, CPF, e-mail.
Inclua tbm um resumo da formação acadêmica de vc´s e da experiência profissional e com RPG (não precisa ter mais de 10 linhas)
MANDA NO MEU E-MAIL,CASO VC NÃO VÁ PARTICIPAR ME AVISE PQ PRECISAREI ACHAR UM SUBSTITUTO EM EMERGÊNCIA

Enviado por: bcsaulo - quinta-feira, 26 de janeiro de 2012 14:12:40
Falo com a cabeça baixa (impedindo que eles leiam meus lábios) para que apenas os meus companheiros escutem - Aqueles homens vieram a mando de Jacus. Reconheço dois de seus homens.

Enviado por: Ares - quinta-feira, 26 de janeiro de 2012 14:32:02
Pergunto aos outros em tom baixo e cobrindo a boca.
-Quem é aquele anão?Por que estes capuzes?Eu já falei que parece que alguém pediu para sabotarem a caravana?

Enviado por: arabedoido77 - quinta-feira, 26 de janeiro de 2012 14:38:58
Depois que Connor e Derin falam, digo:

Homens de Jacus? Mas por que ele tentaria algo contra nós? Não faz sentido, pelo menos para mim. Vamos primeiro ver o que eles querem.

(Off: Vou mandar hoje as informações, pode deixar.)

Enviado por: †_Junior_† - quinta-feira, 26 de janeiro de 2012 15:08:03
Ao ouvir os outros falando, falo meio depressa e mais alto do que previa:

- Há menos que eles tenham relação com o Sombri...!

Depois me calo, percebendo que falei demais e talvez alto demais. Depois sussurro:

- Desculpem-me...

Ao olhar para os homens vindo novamente, aceno nervosamente para eles.


(off: galera, antes que vcs me matem, to só interpretando o pequenino Pray )


Enviado por: Maedhros - quinta-feira, 26 de janeiro de 2012 15:39:50
(off: por acaso reconheço o brasão?)

Quando vejo a "comitiva" se aproximando, falo baixo apenas para que os companheiros escutem:

Ficai-vos atentos, pois estes armados estão. E aqueles que escondem o rosto e o nome nunca são de boa vontade. Porém vejo um brasão dentre estes homens. O que é intrigante. Fiquem atentos e prontos para o pior.

Enviado por: Vercenorax - quinta-feira, 26 de janeiro de 2012 15:43:15
Levando a mão à boca como que para "coçar" a barba e vedar oum bocejo, falo aos demais, para que somente eles escutem:
O homem grande está armado de espada e aljava, não faço ideia de quem seja o anão.

Depois com um aceno faço que Röac pular para o colo, braço o que for de Pammala sussurrando ainda com a mão à boca:
Pammala, guarde Röac, ele não pode morrer é nosso mensageiro e as mensagens e escritas devem chegar. Sam e Derin, fiquem com Pammla e fujam por onde Cletus foi, ao menor sinal de risco. Connor, Benjen, eu, e por provável repreensão de Rarurg Náin, nós parlamentaremos com eles.

Enviado por: Ares - quinta-feira, 26 de janeiro de 2012 15:44:26
Falo cobrindo a boca quanto uma ideia me surge.
-Será que podemos atrair eles para as minas e acabar com eles lá dentro?Ou melhor,jogar eles em cima das aranhas?
Ao ouvir as palavras de Gloin digo.
-Certo,as suas ordens.

Enviado por: bcsaulo - quinta-feira, 26 de janeiro de 2012 15:54:24
Depois das palavras de Glóin, digo em tom de escarnio - Acho que esqueceram de você rastreador, kkkk - Depois fico sério e respondo em voz baixa aos comentários de Derin - Não, não podemos. Se nos perguntarem sobre o que encontramos na caverna diremos, que apenas aranhas. E voltamos por causa de Sam e Pammala estarem feridos.

Enviado por: arabedoido77 - quinta-feira, 26 de janeiro de 2012 16:13:07
Baixo a cabeça, como se procurasse algo no chão e comaço a ir para trá dos putros. Sussurro para Connor enquanto me afasto:

Só tome cuidado para que eles não percebam a cabeça que está na sacola.

Depois, comento:

E caso ataquem, ainda consigo queimar alguns, embora ainda prefira a negociação.

Enviado por: Samyaza - quinta-feira, 26 de janeiro de 2012 16:17:04
TODOS:
Enquanto vc´s conversam a comitiva se aproxima parando a menos de 5 braços de distância de vc´s. Os soldados armados com lanças começam a formar um círculo ao redor de vc´s, já com metade do círculo formado, os outros quatro encapuzados começam a retirar o pano que lhes cobre a cabeça.

Todos vivos e inteiros! Apesar de algumas visíveis escoriações em alguns de vc´s. Parece que Jered sabe mesmo escolher os amigos com quem anda.

Alguns de vc´s reconhecem a voz e logo depois o rosto que se mostra. Jacus, o prefeito, acompanhado de Rarurg e de Vardem, cada um claro em lados opostos. O outro homem,armado com espada, aljava e escudo, vc´s desconhecem.

Vc Glóin, porém,vê algo que lhe atiça a curiosidade, no cinto deste homem tem uma besta e não um arco,sendo a besta, uma arma de uso exclusivo dos anões.

Enviado por: bcsaulo - quinta-feira, 26 de janeiro de 2012 16:23:22
Quando começo a ser rodeado saco meus dois machados e fico em posição de combate, porém baixo as armas quando os encapuzados descobrem seus rostos. Então digo visivelmente incomodado - O que os trazem aqui? E por que esses homens fazem um cerco a nossa volta?

Enviado por: Vercenorax - quinta-feira, 26 de janeiro de 2012 16:26:20
Levo a mão à testa e retiro o suor dizendo:
Por um instante pensei que teria de combater. Vamos agora para um lugar mais reservado a nossa conversa.

Mas não desejando de defender meus preceitos digo:
Por que este homem porta esta arma esclusiva de nossa raça Rarurg? Quem ele é?

Enviado por: Maedhros - quinta-feira, 26 de janeiro de 2012 16:40:45
Fico calado, apenas olhando atentamente para aos quatro. Atento a qualquer movimento brusco.

Enviado por: Ares - quinta-feira, 26 de janeiro de 2012 16:45:09
Fico com o gladio em mãos esperando em silencio algum movimento brusco.

Enviado por: †_Junior_† - quinta-feira, 26 de janeiro de 2012 17:09:40
Fico calado, perto de Pammala e preparado para correr caso dê alguma merda.

Enviado por: Samyaza - quinta-feira, 26 de janeiro de 2012 18:45:32
CONNOR:
os soldados colocam as lanças na horizontal e dão um passo pra trás, apenas um deles não prepara a lança,fincando-a no chão e sacando o gládio, este homem é o mesmo que lhe recebeu quando vc foi à casa de Jacus.

Pode vir, estou doido pra esfacelar essa sua cara de arrogante!

Ao ver sua ação e a consequente reação dos soldados, Jacus ergue o braço acenando que aguardem.

Calma! Viemos logo que vc´s saíram da cidade, precisávamos nos certificar de que,se algo desse errado, a noticia não chegasse até lá, montaremos acampamento aqui, teremos uma assembléia para decidirmos o que faremos e diremos quando voltarmos, vc´s estão sob minha custódia até então!

GLÓIN:
Rarurg está com uma cara péssima, enquanto fala.
Bom ver meu filho e amigo de volta. Este homem de quem vc fala é o chefe de mílicia, desde a infância foi criado entre os anões e de nós herdou alguns hábitos! Gloin, vamos descer ao acampamento e conversar, para que tudo acabe bem, ok! O seu chefe de caravana disse não pretender esperá-los por muito mais tempo.

OS DEMAIS:
Vc´s presenciam a cena e escutam o diálogo.

Enviado por: bcsaulo - quinta-feira, 26 de janeiro de 2012 19:09:46
Levo os machados de volta ao cinto. Ponho os braços na cintura e lanço um olhar para a pequena espada do homem e depois para sua face, fazendo uma expressão de menosprezo por ele, então abro os braços e digo - Já que vai lutar com essa faquinha, irei te dar uma chance e lutar com as mãos nuas - Quando Jacus interrompe cruzo os braços e fico apenas escutando.

Iniciativa caso precise.

Off: Thiago, vc nao ta confundindo nao? Jacus é o prefeito e Jered é o lider da caravana.

Enviado por: Samyaza - quinta-feira, 26 de janeiro de 2012 20:42:45
SAULO:
Dessa vez não me enganei não, Jacus é o prefeito e Jered é o líder da caravana. Quem está aí com vc´s é mesmo o Jacus.

Enviado por: †_Junior_† - quinta-feira, 26 de janeiro de 2012 22:32:13
[Ufa, pelo menos não vieram para pegar nossas cabeças. Mas o clima ainda está tenso...]

Continuo calado, apenas ouvindo a conversa. Enquanto isso, observo o acampamento e os soldados. Quero saber se olham com alguma expressão perigosa para o resto de nós (tirando Connor).

(observar; com este resultado fantástico no dado, eu acabei de me distrair com uma mosca que passou voando ¬¬')

[1d20]

Enviado por: Vercenorax - sexta-feira, 27 de janeiro de 2012 15:05:31
Vamos então! O tempo urge e o sigilo é precioso!
Faço então um gesto para irmos, já que estamos com pressa.

Enviado por: Maedhros - sexta-feira, 27 de janeiro de 2012 16:07:49
Acompanho os outros.


Enviado por: arabedoido77 - sexta-feira, 27 de janeiro de 2012 16:28:35
Vou com o grupo, tentando me manifestar o mínimo possível.

Enviado por: Ares - sexta-feira, 27 de janeiro de 2012 16:42:27
Vendo que a situação havia acalmado me dirijo ao prefeito.
-Senhor,espero que não demore muito pois tenho que ir na caravana do nobre Jered e chegar a Verrogar por motivos pessoais,que não cabe agora a se falar.

Enviado por: Samyaza - sábado, 28 de janeiro de 2012 18:33:04
TODOS:
Jacus olha com uma expressão de comando e raiva para o soldado que puxou a espada para Connor. Assim que o leão-de-chácara coloca novamente a espada na bainha os demais soldados colocam a lança na vertical.

Jacus:
Meus caros, faço minhas as palavras do anão, vamos ao acampamento e lá teremos privacidade e tempo para conversar e acertar os detalhes, darei a oportunidade de cada um falar durante a assembléia.

Vc´s começam a caminhada em direção ao acampamento, os soldados formam um círculo ao redor de vc´s. No curto caminho,o silêncio é total entre Vardem e Rarurg, apenas uma vez ou outra o chefe de milicia dá algumas ordens aos soldados determinando que patrulhem a área.

Já no acampamento vc´s entram na barraca maior, tapetes feitos de pele de animais e tecidos cobrem o chão e almofadas servem de assento. Vc´s se sentam nem círculo, e Jacus fala:
Bem, a começar por Glóin, que era o líder, conte-me o ocorrido,antes que venhamos a deliberar sobre o assunto, pelo aos demais que aguardem sua vez.


OFF: PELAMORDEDEUS ARABE, PRECISO DOS DADOS ATÉ O DOMINGO, SEGUNDA É O DIA DE FAZER A INSCRIÇÃO!!! SE NÃO FOR PARTICIPAR ME AVISE, PQ PRECISAREI DE UM SUBSTITUTO!!!!!!!!


Enviado por: arabedoido77 - sábado, 28 de janeiro de 2012 19:40:25
Conforme o combinado, fico em silêncio esperando minha vez.

Enviado por: bcsaulo - sábado, 28 de janeiro de 2012 19:58:04
Enquanto caminhamos para o acampamento faço o comentário sobre o silencio de Vardem e Rarurg, para que todos escutem - Parece que as aranhas não comeram apenas nossa língua, certo dona Pammala? Hehehe - Dou uma cutucada com o cotovelo no braço dela, pra ela rir junto comigo. -Feliz

Quando chegamos a barraca procuro ficar bem confortável. Procuro sobre a mesa frutas e vinho. Então pego o vinho (se não houver ponho do meu vinho barato) então coloco em dois copos, ofereço a Pammala e Sam, dizendo - Tomem, vão se esquecer um pouco das dores, pois imagino que essa nossa reunião durará mais que o esperado - Quanto as frutas, se houver começo a comer uma, depois duas, até que pego a cesta coloco sobre as pernas e passo a comer sem parar.

Enviado por: Ares - sábado, 28 de janeiro de 2012 20:06:21
Sento num canto sem muita vontade de ficar ali e se tiver algo para comer me sirvo.

Enviado por: †_Junior_† - sábado, 28 de janeiro de 2012 23:02:39
Me sento, e me sirvo do que tiver para comer. Aceito o vinho de Connor e falo:

- Obrigado Mestre Connor, estava precisando mesmo.

Fico calado e espero minha vez de falar.

Enviado por: Vercenorax - domingo, 29 de janeiro de 2012 18:06:17
Olho desaprovando todas as atitudes espalhafatosas e deselegantes de Connor, com um meneio de cabeça.
Sentado em uma almofada inclino-me e começo o meu relato:
Entramos como o combinado na mina, meu caro Jacus, Náin guiou-nos até o fosso, que por um elevador levou-nos até os níveis inferiores, onde Cletus filho de Archibald, nos guiou, lá encontramos muitas aranhas próximas a saída do túnel, o pequenino Sam e a elfa Pammala podem confirmar. Matamos as aranhas que nos surpreenderam num combate curto e prosseguimos, mais adiante em uma bifurcação mapeada por Pammala, peço o mapa a ela, e depois mostro onde bem aqui, encontramos mais duas aranhas e um tipo de criatura que roguei a Blator e a Parom, que não estivessem a macular as minas, mas foi encontrado e eles estão lá. Viro-me a Connor e peço-lhe o saco. E retiro a cabeça do elfo sombrio Trouxe isto para lhe provar que não são fantasmas, mas sim os elfos que estão a comandar as aranhas e a sumir com os mineiros, não fomos mais fundo nisto pois meus companheiros aqui estavam em condições arriscadas, mas antes de morrer ele nos passou algumas informações. Pammala os papéis. Quando ela me entregar leio-os todos.

Depois de lido tudo entrego novamente os papéis a Pammala e digo:
Era isso, agora o quê me dizem?

Enviado por: Samyaza - domingo, 29 de janeiro de 2012 18:37:54
TODOS:
Quando a cabeça do sombrio é retirada Jacus vira o rosto para o lado e cospe o pedaço de frango que comia, sem virar o rosto para frente ele diz:

Poupe-me, já vi o bastante, guarde isso! Estamos comendo! Não tenho o estomâgo tão forte e temos uma dama conosco.

Vardem e Rarurg olham com uma expressão de espanto.
Vardem:
Peste maldita! O que diabos é isso?? Um elfo com a pela tão negra quanto uma noite sem lua! Vou chamar Ardras para ver isso!
Ele se levanta e vai ao lado de fora da cabana.

Rarurg:
Pelas barbas do criador! Achei que eram apenas lendas os contos que falam destes elfos corrompidos!!!

Jacus passa as anotações de Pammala para Rarurg e Vardem, que já voltara com o chefe de milicia, ele tbm lê os documentos e pede para olhar a bolsa com a cabeça, fazendo cara de nojo ao observar dentro dela.

Jacus:
Deixe-me ouvir os demais, enquanto penso e tiro algumas conclusões, podem falar vc´s agora, mais um de cada vez, Gloin, tbm diga-me o que pensa sobre isso, ainda estou atordado com a noticia! Isso pode acabar com a reputação da cidade!

Enviado por: Vercenorax - domingo, 29 de janeiro de 2012 18:50:28
Guardo a cabeça. Depois digo:
Devemos mater a mina sobre pesada vigilância neste setor e bloquear passagens para esses níveis inferiores, em condições futuras, eu me disponho a ir investigar com mais alguns e estes quando estiverem em condições mais favoráveis. Tenho assunto em haver em Seviala, mas pelo favor de meu amigo Raurg e pela graça de Blator digo que devemos impedir isto e aprofundar as investigações, se estão aqui devem ter um prósito. Mas lhes pergunto algo que me ocorreu agora, o que comprova que não estão em todos os Palomares? Se sim, isso não interessa a apenas nós, mas sim a todos o reino que possuem terras nos montes.

Enviado por: arabedoido77 - domingo, 29 de janeiro de 2012 18:56:18
Apenas como detalhe informativo, as anotações que entrego são as que traduzi para o Malês. As originais mantenho comigo para uso futuro.

Quando pedem a opinião, digo:

Acho que tenho pouco a acrescentar ao que já foi dito. Apenas preciso lembrar que quando o sombrio passou as informações, ele estava em um estado de choque, havia levado um golpe letal e estava realmente à beira da morte. E só nos passou algo porque utilizei uma magia nele para que ficasse mais amigável.

(baixo a cabeça e aperto os olhos à lembrança da cena, contendo um choro)

Desculpem-me, senhores, mas foi a primeira vez que presenciei a morte de alguém naquelas condições.

Depois, continuo:

Minha missão aqui era essa. Precisava investigar os boatos dos fantasmas e pelo que vi, não há fantasmas. Agora, não sei dizer se essa nova informação é relevante ou não. Particularmente, não quero prejudicar ninguém. Pretendo apenas responder a pergunta que me foi feita, que os fantasmas na mina são mesmo boatos. Quanto a sombrios, já é algo fora de minha alçada. Posso ajudar em algo que seja necessário, mas nesse caso seria mais por uma curiosidade pessoal. Creio que quem me mandou pode aguardar mais um pouco por meu relatório.

Enviado por: bcsaulo - domingo, 29 de janeiro de 2012 18:56:37
Continuo comendo sem me importar com os olhares alheios. Quando Glóin pede a sacola com a cabeça eu o entrego e depois das primeiras discurssões, Digo - Dona Pammala poderia citar trecho por trecho as palavras do finado?

Enviado por: arabedoido77 - domingo, 29 de janeiro de 2012 19:01:50
Ao pedido de Connor, digo:

Ah, sim. Ele citou um nome quando perguntamos se alguém os ajudou, Irvem Calard, (aponto no papel que entreguei) mas acredito que tudo deve ser analisado juntamente com outras evidências. Ele poderia estar confuso, recebido informações falsas ou outras coisas. Acho temerário ir atrás de alguém baseados apenas nas palavras de um moribundo abalado. Acredito que uma investigação mais detalhada deveria ser feita.

Enviado por: Vercenorax - domingo, 29 de janeiro de 2012 19:06:46
Mas este nome era de Irven Callard, alguém aqui pode me dizer quem seria este?

Enviado por: bcsaulo - domingo, 29 de janeiro de 2012 19:07:28
Pego o papel entrego a Pammala e digo - Poderia ler?!

"...nova noite..."
"...morte e escravidão ..."
"...mundo conhecido..."
"...analiom..."[/1]
"...reinos corrompidos...reis e generais escravos ..."
"... Irvem Calard..."
[i]"...sacríficio..."

...Já começou, não há mais esperança para os demais, apenas vc´s irmãos expurios terão a chance de conversão...

...Como baratas eles andam, batendo cabeças e perdidos com seus próprios erros, não enxergam a verdade a um palmo de si...

...Irmã, não lute contra sua natureza, vc é superior a todos eles, aceite sua condição, exija o que lhe é por direito, eles não passam de assassinos sanguinários, cheios de vícios e adoradores de guerra, eles lutam e matam toda a criação, Palier e Maira lamentam sua existência e esperam que façamos algo, é hora de tomar o poder, converta-se...

...Preocupam-se com peões, mas sua rainha cairá e seus reis estão em xeque...

...todos os seus amigos já estão mortos...não acaba agora, minha morte, é apenas o início...Agora Cruine me guiará até as terras de Palier e nosso amado deus me receberá, de braços abertos, por minha fidelidade a ele...

off: fica melhor de eu raciocinar!Anxious

Enviado por: Ares - domingo, 29 de janeiro de 2012 19:11:45
-Como o nobre Gloin aqui também tenha alguns assuntos em Seviala.Mas seria prudente avisar o governo de Marava e também existe o problema de como estes elfos chegaram até Lubliana sem serem percebidos por nenhum outro reino pelo que parece.
Olho para o sacerdote com uma duvida no rosto,como se direciona-se aquela pergunta a ele.
"Como estes elfos chegarão tão longe sem despertarem suspeitas até agora?"
Ao ouvir o nome de Irvem me toco.
-EI,ESPEREM.Eu tenho que encontrar um tal de Irvem em Seviala!
"Como eu fui esquecer este fato"

Enviado por: bcsaulo - domingo, 29 de janeiro de 2012 19:16:02
Depois da leitura começo a dizer - A primeira parte imagino que poderíamos relacionar algumas palavras para entendermos melhor do que se trata.

-Quando ele fala em nova noite me veio a cabeça algo como se fosse un novo período ou ciclo, que traria a morte e escravidão nos reinos do norte do muro. Analion deve ser uma pessoa ou arma, que corromperia os reis e seus reinos transformando-os em escravos. Esse tal Irven Calard, imagino que Benjen possa nos esclarecer algo sobre ele, mas se as palavras do elfo fossem ditas em sequencia ele iria realizar ou fazer parte do sacrifício - Faço uma pausa e digo - A partir disso já podemos criar algumas conclusões.

- Na sequencia, ele parece mais sensato e suas palavras são direcionados a Pammala, com certo veneno eu diria. Mais o final me chamou a atenção. Ele diz preocupam-se com os peões mais suas rainhas e reis estão em cheque.É como se estivessemos procurando nos lugares errados. Porém imaginem como quiser, mas quando se estar a beira da morte as palavras revelam algo a mais do que a verdade.

Enviado por: arabedoido77 - domingo, 29 de janeiro de 2012 19:21:56
Depois que Connor fala, digo:

Analion deve referir-se a Sereth Analion, o precursor dos elfos sombrios. Graças à maldição que ele lançou que eles ficam com o aspecto que vimos e passam a temer a luz. Por isso imaginei que ele bem que poderia estar confuso. Com certeza, pelo efeito da magia, ele não mentiria. Mas imaginemos o seguinte: ainda que ele não estivesse tentando me enganar, mesmo assim poderia estar repetindo uma mentira que foi dita para ele.

Depois, continuo, em tom pensativo:

Sim, senhores. Pensei muito no que o sombrio revelou e imagino que a segunda parte do que ele passou foi mais um conselho que ele quis me dar, devido ao efeito da magia Amizade. De fato, ele fez com que ele me considerasse amiga dele. Mas ainda assim me parece contraditório. Ao mesmo tempo que ele me diz para não lutar contra a natureza, me diz para que me converta. Sinceramente, depois do que vi, quero a máxima distância dos sombrios.

Minha ambição não vai até esse ponto. Quero apenas conhecimento. A magia para mim é um instrumento, não a finalidade.

Se bem que pensando melhor, acredito que ele falava dos anões, quando falou sobre adoradores da guerra. Será que eles planejam algo contra os anões e por isso estavam na mina?

Enviado por: Vercenorax - domingo, 29 de janeiro de 2012 19:30:55
Meus caros, até onde sabemos não se diz que Âmien possui um rainha elfa, deve ser ela, e os reis, os demais. Sim Pammal, faz sentido, mas ao que vejo eles sabem sobre Rarurg e Vardem, eles veem que estamos sujeitos a manipulação por paret de estarem divididos, vocês meus caros devem saber que nesta hora escura devemos nos unir e esqueçer as diferenças, pelo menos provisóriamente, por mais que sejam imensas, até que tudo esteja no lugar de acordo.

Enviado por: bcsaulo - domingo, 29 de janeiro de 2012 19:33:48
Quando Pammala fala sobre a maldição imposta por Analiom, digo - E se eles quiserem fazer um ritual, para transformar a noite em dia? Ou então quem sabe voltar a caminhar a luz do sol. E pra isso fosse preciso o sacrifício da rainha dos elfos no qual Glóin fala, ou de uma multidão...

Enviado por: arabedoido77 - domingo, 29 de janeiro de 2012 19:41:51
Isso seria preocupante. De minha parte, os livros de História mencionam uma época em que não haviam diferenças entre elfos e anões. Seria bom que esse tempo voltasse. Se for preciso, como nasci e vivi em Telas, posso intermediar qualquer negociação, até mesmo a entrada dos anões lá, caso seja necessário.

Mas precisamos ter certeza do que está realmente acontecendo antes de agir. Imagino que nossa pista mais próxima é esse Irvem Callard.

Depois, levo as mãos à cabeça:

Claro, por que não pensamos nisso antes? Eles devem estar planejando um ataque em massa e pode ser que estejam se posicionando para atacar de surpresa. Ele tentou me aconselhar para me salvar, dizendo que apenas os elfos que se converterem a sombrios serão poupados do ataque. A coisa parece mais séria do que aparenta ser. E há também um detalhe: Fiorna é aqui perto. Pode até ser que seja o primeiro alvo deles.

Se for preciso, posso ir até lá buscar alguma informação a mais. Creio que me receberão bem e me escutarão.

Enviado por: Samyaza - domingo, 29 de janeiro de 2012 22:38:39
TODOS:
Enquanto conversam,um dos soldados entra na barraca apavorado e dirige-se ao chefe de milicia:
Senhor! Acho que estamos sob ataque!!!
avatar
Samyaza
Admin

Mensagens : 1079
Data de inscrição : 04/10/2013
Idade : 32
Localização : Franco da Rocha / SP

Ficha do personagem
Nome: Robert Locksley
Posto: Segundo Tenente
Especialidade: Franco-Atirador

Ver perfil do usuário http://vingadornegro.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum