Arco 1 - Os portões de Agrimir

Página 6 de 8 Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8  Seguinte

Ir em baixo

Re: Arco 1 - Os portões de Agrimir

Mensagem por Samyaza em Sab 17 Fev 2018, 21:30

Para Sylvana:
Ilis a agarra pela cintura e a deita na cama, ele era um amante com suas peculiaridades, parecia ter um prazer estranho, quase sádico pelo seu pescoço, se estava perto mordia-o e enchia de chupões, se estava com o rosto longe usa uma das mãos para segurá-lo com força, com tanta firmeza que algumas vezes dificultava sua respiração.

Outra peculiaridade é que, diferente de tantos outros, ele não tombou exausto na cama ao final, pelo contrário, levantou-se e tomou um banho enquanto cantava baixinho uma canção em élfico. Ele só voltou a trocar palavras com você quando começou a se vestir:

"Você ainda não fez seu pedido a mim, como uma garota esperta, imagino que esteja guardando como uma carta na manga, ou, tenha deixado para fazê-lo agora, pois eu estaria mais suscetível certo? Enfim, como você preferir... Vou lhe dar um presente, sobre o amigo que você procura, se deseja ir para as terras selvagens encontrá-lo vc precisará de escolta, procure por Vence na taverna Braço Forte, se tem alguém que conseguirá sair das cidades é ele e, o mais importante, quando estiver lá, fique longe dos homens do Duque"

Ilis pega algumas moedas, mais do que você costuma cobrar e deixa sobre a cama, lhe dá um beijo na testa e se dirige para a porta do quarto se despedindo:

"Voltarei mais vezes..."

O que você fará?


Para Óin, Ieru, Artos e Lambelas:
Percebendo a nítida desvantagem o capanga que lutava com Óin aproveita um golpe ruim do anão para correr em direção à porta de saída. Nesse instante, todos voltam os olhos para o lanceiro que estava sendo imobilizado e inquirido por Artos, em pleno desespero o homem começa a falar:

"Nos ofereceram algumas moedas para causar uma confusão, disseram que não haveria resistência, apenas uma distração para pegarem um alvo..."

Antes que o homem possa terminar de falar Lambelas, o elfo dourado, perfura-lhe às costas com seu sabre, a lâmina da arma atravessa o lanceiro. Artos sente o corpo do homem enrijecer, tremer e por fim perder as forças conforme o elfo vai retirando a arma de dentro do seu corpo.

Sares se levanta, encostando na parede e levando a mão ao ombro onde fecha ficara cravada, demonstrando dor ele responde ao anão com um olhar e um gesto de mão:
"de uma das janelas, só percebi pelo zunido da seta"

Verce também se levanta, os olhos esbugalhados de susto vão dando lugar a uma expressão de satisfação enquanto olhava ao redor e não identificava mais ameaças:

"Meus amigos, considerem todos contratados!"

O que vocês farão?

Para Covaz:
Ao passar para o lado de fora da taverna, antes mesmo que descesse as escadas você nota a figura saltando do teto da casa onde estava para o da casa ao lado, indo em direção ao centro da cidade.

É possível tentar acertá-lo à distância ou apenas segui-lo conforme ele salta.

O que você vai fazer?


Para Thadiel e Aeron:
Os homens ficam maravilhados pelo milagre sendo realizado, conforme as preces do sacerdote começam os animais começam a se acalmar e tênue luz azulada percorre os seus corpos.

Quando o sacerdote encerra os animais se levantam, completamente calmos e como se não tivessem mais machucados nenhum.

Nirgal volta de dentro do templo acompanhado pelos dois outros cavaleiros que estavam de guarda lá dentro.

Os homens montam os animais e o seu líder agradece, em seguida todos avançam pela rua deixando vocês a sós.

O que vocês farão?
avatar
Samyaza
Admin

Mensagens : 1292
Data de inscrição : 04/10/2013
Idade : 33
Localização : Franco da Rocha / SP

Ficha do personagem
Nome: Robert Locksley
Posto: Segundo Tenente
Status: 2 Lesões

Ver perfil do usuário http://vingadornegro.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Arco 1 - Os portões de Agrimir

Mensagem por Renan Paladino em Sab 17 Fev 2018, 22:07

Aproximava-se dos animais ao ouvir o pedido de Aeron, tentando acalmá-los conforme o sacerdote realizava suas preces.

"Devemos ir aos portões, ajudar os cavaleiros e averiguar o que se passa, Dourado. Na verdade, eu devo! Talvez consiga encontrar alguma ligação entre essa invasão e o grupo que perseguia quando cruzei os portões de Agrimir. Você vem comigo?"   Dizia a Aeron, após a realização de seu milagre e da partida dos cavaleiros.

_________________
INFORMAÇÕES:
EH: 16       EF:33       KARMA:6

EQUIPAMENTOS:

EXPERIÊNCIA: 0xp


FICHA DO PERSONAGEM:
avatar
Renan Paladino

Mensagens : 225
Data de inscrição : 06/10/2013
Idade : 32

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Arco 1 - Os portões de Agrimir

Mensagem por Blanchard em Dom 18 Fev 2018, 11:58

Mesmo cansado da viagem e dos milagres consecutivos, sorrio para Thadiel e digo (élfico):
Claro. Você pode inquiri-los, enquanto leio as últimas notícias, deixadas na carta, por meu amigo Palop.

_________________
INFORMAÇÕES:

EH:14     EF:13    KARMA: 10
EQUIPAMENTOS: nenhum
EXPERIÊNCIA: 0xp


FICHA DO PERSONAGEM:


avatar
Blanchard

Mensagens : 762
Data de inscrição : 06/10/2013
Localização : [roll="D6"]x[/roll] [roll="d20"]1[/roll]

Ficha do personagem
Nome: Thierry Henry
Posto: Partisan
Status: Intacto

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Arco 1 - Os portões de Agrimir

Mensagem por Vercenorax em Dom 18 Fev 2018, 19:50

Quando o homem começa a falar e passar as informações me dou por satisfeito. Esperando que ele terminasse a frase percebo a atitude de matar o homem antes que eu termine com ele. Eu simplesmente solto o corpo e olhando para o elfo eu digo:
Eu achava que os elfos eram inteligentes! Você ao contrário é dos mais burros aqui! Não estava vendo que o morto aqui, enquanto vivo, estava me contando o que estava ocorrendo nessa porra de confusão?! agora nós vamos conseguir tirar informações dele com certeza! Quantos litros de sangue ele vai derramar no chão! Isso vamos saber! AH PELO AMOR DOS DEUSES!!! PUTA MERDA!!!

Depois disso dou um chute no morto e exclamo:
BOSTA!

Sobre o comentário de Vence eu digo:
Vai ser um imenso prazer trabalhar sob seu nome. Onde assino caríssimo?

_________________
"Sete Anéis para os Senhores Anões em seus Rochosos Corredores"

"Se for pra acabar em fogo, todos queimaremos juntos!"


INFORMAÇÕES:
EH:62       ABSORÇÃO:15      EF:18       KARMA:0

EQUIPAMENTOS: corvo Roac.

EXPERIÊNCIA: 55xp


FICHA DO PERSONAGEM:
avatar
Vercenorax

Mensagens : 450
Data de inscrição : 07/10/2013
Idade : 24
Localização : Cachoeira de Minas/Lavras

Ficha do personagem
Nome: Boris Andravitch
Posto: Primeiro Tenente
Status: 2 Lesões

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Arco 1 - Os portões de Agrimir

Mensagem por Vieirinha em Seg 19 Fev 2018, 01:24

Yeru corre até a janela apontada pelo elfo e olha por ela procurando por alguém com um arco ou uma besta...

De repente um pensamento corre a mente de Yeru...

"Pelas barbas da minha avó... Quando foi que eu acreditei em um elfo?!
Como assim ele percebeu a seta vindo pelo zunido? Aquelas orelhas pontudas e gigantes lhes confere super audição???"

O anão olha desconfiado pela janela ao mesmo tempo que olha para trás e encara o elfo com desconfiança...

_________________
INFORMAÇÕES:

EH:22     EF:36    KARMA: 0
EQUIPAMENTOS: nenhum
EXPERIÊNCIA: 0xp


FICHA DO PERSONAGEM:




"A morte é só uma questão de perspectiva...
De quem mata...
e de quem morre...
"

Soldado Aníbal Vieira

"A paz queremos com fervor
A guerra só nos causa dor
Porém, se a Pátria amada
For um dia ultrajada
Lutaremos sem temor"

Canção do Exército
Exército Brasileiro
avatar
Vieirinha

Mensagens : 182
Data de inscrição : 02/02/2017
Idade : 41
Localização : Olímpia

Ficha do personagem
Nome: Aníbal Vieira
Posto: Soldado
Status: 4 Lesões / 4 Ferimentos

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Arco 1 - Os portões de Agrimir

Mensagem por Vieirinha em Seg 19 Fev 2018, 01:27

"Eu vou achar o arqueiro elfo e depois vc vai me explicar que raio de audição é essa pra ouvir uma flecha voando no meio dessa bagunça toda..."

Mesmo pq o orelha pontuda de cabelo dourado ali matou o boca mole antes que ele entregasse quem mandou fazer o serviço..."

Fala Yeru com um tom desconfiado para os elfos

_________________
INFORMAÇÕES:

EH:22     EF:36    KARMA: 0
EQUIPAMENTOS: nenhum
EXPERIÊNCIA: 0xp


FICHA DO PERSONAGEM:




"A morte é só uma questão de perspectiva...
De quem mata...
e de quem morre...
"

Soldado Aníbal Vieira

"A paz queremos com fervor
A guerra só nos causa dor
Porém, se a Pátria amada
For um dia ultrajada
Lutaremos sem temor"

Canção do Exército
Exército Brasileiro
avatar
Vieirinha

Mensagens : 182
Data de inscrição : 02/02/2017
Idade : 41
Localização : Olímpia

Ficha do personagem
Nome: Aníbal Vieira
Posto: Soldado
Status: 4 Lesões / 4 Ferimentos

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Arco 1 - Os portões de Agrimir

Mensagem por Mingo em Seg 19 Fev 2018, 08:46

Ver a fuga do homem não aplacou a minha fúria, tinha tomado banho a uma semana e tento sempre ser um anão limpinho.

Volte aqui homem mentiroso.

Vou correr atrás dele, mas paro quando o homem que me contratou fala que fui contratado. Olho para ele coçando a barba e confuso.

Mas eu já fui contratado? vou ganha dois machado? acho que consigu usa dois machado

_________________
INFORMAÇÕES:
EH:17        ABSORÇÃO:3       EF:19       KARMA:2

EQUIPAMENTOS: cinto, pederneira, par de botas, capa, par de luvas, aljava com 20 flechas, faca, arco e armadura de couro leve

CARACTERÍSTICAS GASTAS: Nenhuma até o momento

EXPERIÊNCIA: 4xp


FICHA DO PERSONAGEM:

Mingo

Mensagens : 88
Data de inscrição : 07/10/2013
Idade : 31
Localização : Osasco/SP

Ficha do personagem
Nome: Nate
Posto: Aspirante
Status: 1 Lesão

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Arco 1 - Os portões de Agrimir

Mensagem por †_Junior_† em Seg 19 Fev 2018, 11:32

Um pouco surpresa com a performance do meio-elfo, fico apenas o observando se vestir e falar suas informações enquanto se veste. Quando fala que voltará mais vezes, apenas sorrio gentilmente e aguardo ele sair para tomar um banho e colocar uma roupa. Novamente me arrumo, coloco uma das adagas escondidas nas vestes e me dirijo até a Taverna Braço Forte, já que precisaria fazer negociações com esse tal Vence Valorum.

_________________
INFORMAÇÕES:
EH:9        ABSORÇÃO:12      EF:14       KARMA:8

EQUIPAMENTOS: Punhais, Roupa Tingida, Flauta de Madeira, Calçado e Luvas, Capa, Cachecol, Par de Botas, Cinto, Mochila de Couro e Cantil.

EXPERIÊNCIA: 0xp


FICHA DO PERSONAGEM:


avatar
†_Junior_†

Mensagens : 396
Data de inscrição : 06/10/2013
Idade : 24
Localização : Recife PE

Ficha do personagem
Nome: Cristhian Theofilakis
Posto: Primeiro Sargento
Status: 2 Lesões / 4 Ferimentos

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Arco 1 - Os portões de Agrimir

Mensagem por Samyaza em Seg 19 Fev 2018, 15:46

Para Thadiel e Aeron:


Chegar até o portão sul foi fácil, o rastro deixado pelos cavalos era nítido o suficiente mesmo no escuro e em pouco tempo vocês chegam no local.

As pesadas portas de madeira reforçada por placas de metal ainda estavam elevadas sobre o arco de pedra, a passagem era bloqueada por quase 20 homens da guarda, alguns a cavalo, outros de pé, enquanto um outro grupo, cujo número era quase o dobro dos guardas se amotinava balançando tochas para lá e para cá na escuridão da noite enquanto discutiam com os guardas.

Sir Alec,o cavaleiro que vocês conheceram no templo minutos antes estava entre o povo e os guardas, montado em seu cavalo ele guiava o animal, agora bem mais agitado, de um lado para o outro tentando conter os melindrosos passos dos cidadãos mais afoitos:

"Ninguém atravessa os portões! São as ordens do Duque! Vocês podem aguardar em suas casas ou podem esperar nas celas da cidade! A escolha é de vocês".

As pessoas respondiam aos gritos de que queriam passar, que estavam na cidade só de passagem e que o Duque não poderia impedi-los. A situação do cavaleiro era realmente complicada, pois se os portões estavam sendo fechados para a segurança das pessoas como, então não faria sentido ele usar de força para conter quem desejasse passar.

No alto do muro, dois guardas pareciam aguardar, ao lado de uma engrenagem pesada, as ordens para girar o equipamento e baixar as portas. Vocês se aproximam no momento em que o cavaleiro dá essa ordem, apontando sua espada para o alto:

"Baixem as portas!"

O que vocês farão?



Para Oin, Ieru, Artos e Lambelas:
O som grave do corpo caindo ao chão parece servir de gatilho para as pessoas que ainda estavam na taverna, retirando-as do estado atônito. A maioria se retira do local rapidamente evitando, sempre que possível os corpos, alguns não dispensam algumas preces antes que contornarem os homens caídos.

Barl olhava temeroso para os anões, sem saber exatamente como proceder e nitidamente temendo uma retaliação:

"O que vocês fizeram com minha taverna?"

A pergunta parecia mais um lamento do que uma acusação, Vence parecia ser o único a sorrir, talvez por ser um homem realmente temerário ou, talvez fosse apenas uma reação incomum de alguém que passa por situações difíceis. Ele começa a falar, tentando dar sentido a todo o ocorrido:

"Barl, esses homens estavam se defendendo e, defendendo a mim, eram meus contratados e estavam a salvar-me a vida, inclusive um deles arriscou a vida para tal. Permita-me cobrir prejuízos e eu mesmo falarei com a guarda. Alguém aqui não me quer bem, e o Duque terá que prestar contas disso, certo?"

A pergunta de Artos é respondida como uma mensagem a todos:

"Assim que essa confusão se encerrar eu vou me recolher, estejam todos amanhã, antes do nascer do sol no portão sul, lá assinaremos os contratos faltantes e iniciaremos nossa jornada. Se aqui, atrás dos muros é assim, imagino como será nas terras selvagens."

Com olhar fanfarrão ele passar por cada um de vocês entregando-lhes uma moeda de ouro, ele faz o mesmo com Barl, deixando-o sob o balcão de madeira da taverna.

Olhando pela janela Yeru pode ver apenas, de um lado, um homem, de aparência estranha usando um turbante negro descendo a escadas que davam acesso à taverna e do outro 3 homens vestidos como os guardas da cidade acompanhados da meio-elfa que trabalhava na taverna.

O que vocês farão?

Para Sylvana:
o caminho para a Braço Forte era quase uma linha reta cuja perfeição estava limitada às peculiaridades do terreno da cidade e ao baixo senso de arquitetura dos moradores que piorava conforme você caminha sentido ao norte.

O caminho foi feito sem perigos mas não sem agitação, muitas pessoas, a maioria com mochilas e outros adereços de viagens passaram por você, tendo sempre uma coisa em comum, o semblante de pressa, uma urgência indigna para uma cidade povoada por meio-elfos.
 
A taverna ficava distante, era uma região menos limpa e iluminada, o típico local para o trabalhador braçal que lhe causava nojo apenas de pensar. Ali, a agitação era maior, e mais peculiar, vc foi surpreendida por pelo menos dois homens, armados, correndo como se fugissem dos cães do inferno, apesar do susto eles a ignoraram, nitidamente tentando evitar que algo ou alguém viesse ao seu encalço.

Você chega na rua da taverna no momento em que três guardas e uma moça, com roupas de quem trabalha numa cozinha, começavam a subir as escadas, provavelmente para aplacar uma briga de bar entre alguns bêbados.

O que você vai fazer?
avatar
Samyaza
Admin

Mensagens : 1292
Data de inscrição : 04/10/2013
Idade : 33
Localização : Franco da Rocha / SP

Ficha do personagem
Nome: Robert Locksley
Posto: Segundo Tenente
Status: 2 Lesões

Ver perfil do usuário http://vingadornegro.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Arco 1 - Os portões de Agrimir

Mensagem por arabedoido em Seg 19 Fev 2018, 15:56

Vou arriscar a sorte. Preparo a lança e arremesso. Ainda que não venha a feri-lo, pelo menos para derrubar entre um salto e outro.

arabedoido efetuou 1 lançamento(s) de dados (d20.) :

_________________
Personagem:
avatar
arabedoido

Mensagens : 531
Data de inscrição : 05/10/2013
Idade : 42
Localização : São Paulo - SP

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Arco 1 - Os portões de Agrimir

Mensagem por Mingo em Seg 19 Fev 2018, 16:03

Iamos sair na hora do almoço, agora teremos que sair cedo. Me viro para o Yeru enquanto limpo o sangue do machado na minha calça.

Ocê vai quere ir compra provisão?

_________________
INFORMAÇÕES:
EH:17        ABSORÇÃO:3       EF:19       KARMA:2

EQUIPAMENTOS: cinto, pederneira, par de botas, capa, par de luvas, aljava com 20 flechas, faca, arco e armadura de couro leve

CARACTERÍSTICAS GASTAS: Nenhuma até o momento

EXPERIÊNCIA: 4xp


FICHA DO PERSONAGEM:

Mingo

Mensagens : 88
Data de inscrição : 07/10/2013
Idade : 31
Localização : Osasco/SP

Ficha do personagem
Nome: Nate
Posto: Aspirante
Status: 1 Lesão

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Arco 1 - Os portões de Agrimir

Mensagem por †_Junior_† em Seg 19 Fev 2018, 16:42

[O que aconteceu aqui?]

Olho os homens passarem e fico me perguntando que confusão está havendo nessa pocilga. Vou me aproximando da taverna, mas já apreensiva que talvez o cenário que eu esperava seja bem diferente do que realmente está acontecendo ali. Se me for permitida entrada, vou até o balcão da taverna e pergunto se o mercador Vence Valorum ainda se encontra ali.

_________________
INFORMAÇÕES:
EH:9        ABSORÇÃO:12      EF:14       KARMA:8

EQUIPAMENTOS: Punhais, Roupa Tingida, Flauta de Madeira, Calçado e Luvas, Capa, Cachecol, Par de Botas, Cinto, Mochila de Couro e Cantil.

EXPERIÊNCIA: 0xp


FICHA DO PERSONAGEM:


avatar
†_Junior_†

Mensagens : 396
Data de inscrição : 06/10/2013
Idade : 24
Localização : Recife PE

Ficha do personagem
Nome: Cristhian Theofilakis
Posto: Primeiro Sargento
Status: 2 Lesões / 4 Ferimentos

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Arco 1 - Os portões de Agrimir

Mensagem por bcsaulo em Seg 19 Fev 2018, 17:41

Não respondo o homem que gritou comigo, ofendendo minha inteligência, esta muito nervoso, pois era a primeira vez que matara alguém. Na verdade nunca tinha puxado a espada na intenção de ferir alguém, que mal se deu conta que o inimigo já estava fora de combate. Então sorrio de nervoso e fico um pouco em dúvida, quando o homem diz que já estava contratado, mas não me atrevo a perguntar. Só recebo a moeda e guardo para possíveis gastos futuros.

_________________
INFORMAÇÕES:
EH: [58] [-9 -20] = 29     ABSORÇÃO: = 22      EF: 20 =      KARMA: 0     DEFESA P2/P4

EQUIPAMENTOS: Couraça Parcial, Elmo Fechado, Escudo Grande, 2 Machados de Batalha, 1 Montante, Ração para viajantes (Frutas, pães e carne seca), Cantil com água e 11 moedas de ouro e 5 moedas de prata.

EXPERIÊNCIA: 35xp


FICHA DO PERSONAGEM:


FICHA DO PERSONAGEM - A FLORESTA DO SILÊNCIO:

avatar
bcsaulo

Mensagens : 538
Data de inscrição : 07/10/2013
Localização : [roll="d20"]x[/roll]

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Arco 1 - Os portões de Agrimir

Mensagem por Vercenorax em Seg 19 Fev 2018, 19:09

Desenrolado a história:
Grato Mestre Vence. Estarei lá no horário pretendido. Agora nosso amigo elfo aqui também é meio mudo, mas que fique pra lá, tenho outro que posso interrogar.
HAHAHAHA.


Me recordo do meu antigo combatente que havia lhe ferido a perna e que não conseguia andar. O cidadão escondido embaixo/atrás de uma mesa. Vou até ele e agarrando-o pelo colarinho sento-o em uma cadeira e questiono:
Como continua a história do seu amigo cadáver ali? Han?! Vamos falando pra que tudo ande bem, ao contrário de você!

(Obs.: Se o cara já tiver ido embora de alguma forma desconsidere a fala acima. E eu vou pegar um quarto aqui na taverna, melhor, vou seguir até um bordel para dormir bem.)

_________________
"Sete Anéis para os Senhores Anões em seus Rochosos Corredores"

"Se for pra acabar em fogo, todos queimaremos juntos!"


INFORMAÇÕES:
EH:62       ABSORÇÃO:15      EF:18       KARMA:0

EQUIPAMENTOS: corvo Roac.

EXPERIÊNCIA: 55xp


FICHA DO PERSONAGEM:
avatar
Vercenorax

Mensagens : 450
Data de inscrição : 07/10/2013
Idade : 24
Localização : Cachoeira de Minas/Lavras

Ficha do personagem
Nome: Boris Andravitch
Posto: Primeiro Tenente
Status: 2 Lesões

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Arco 1 - Os portões de Agrimir

Mensagem por Blanchard em Ter 20 Fev 2018, 21:26

Vendo a situação potencialmente perigosa, coloco-me entre os citadinos revoltados e entre os cavaleiros, enquanto digo:
Acalmem-se, citadinos. O reino tem pressa em receber o serviço de vocês, mas nós precisamos de vocês vivos.
Depois me viro para o cavaleiro e digo:
Ninguém atravessará os portões, mas nenhum inocente dormirá em nossas celas, não hoje.
Depois volto-me novamente para os que se rebelam:
Não queremos seguir nenhum exemplo de intolerância. Demos ao Duque o benefício da dúvida e aguardemos amanhecer. Todos os tempos têm suas dificuldades. Encará-las com coragem, mas pouca inteligência, não nos trará progresso.

(Caso precise de rolagem) Blanchard efetuou 1 lançamento(s) de dados (d20.) :

_________________
INFORMAÇÕES:

EH:14     EF:13    KARMA: 10
EQUIPAMENTOS: nenhum
EXPERIÊNCIA: 0xp


FICHA DO PERSONAGEM:


avatar
Blanchard

Mensagens : 762
Data de inscrição : 06/10/2013
Localização : [roll="D6"]x[/roll] [roll="d20"]1[/roll]

Ficha do personagem
Nome: Thierry Henry
Posto: Partisan
Status: Intacto

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Arco 1 - Os portões de Agrimir

Mensagem por Samyaza em Qua 21 Fev 2018, 15:47

Para Aeron e Thadiel:
Mesmo na escuridão da noite a beleza de Aeron é notada pelas pessoas, as luzes bruxuleantes das tochas davam um tom ainda mais belo e misterioso fazendo com que a maioria deles ao menos se calem enquanto o dourado faz seu discurso.

Palavras de apoio são ouvidas quando o sacerdote defende os cidadãos, Sir Alec mantinha o cavalo mais controlado e manteve-se em silêncio esperando que o sacerdote silenciasse, quando isso acontece, com um sorriso ele diz, em tom mais baixo:

"Nossos caminhos se cruzaram novamente, não deve ser mera coincidência sacerdote. Obrigado, deu-nos tempo de baixar o portão. Agora um aviso, eu não ousaria entrometer-me nos assuntos do clero, sugiro a ti não fazê-lo nos assuntos da lei"

Voltando-se para o povo, o volume de voz do cavaleiro cresce e as palavras são mais firmes:

"O portão está fechado! Não há mais saídas da cidade! Os guardas tem ordem de usar suas bestas se alguém tentar atravessar os muros! Voltem agora para suas casas!"

Ao final das palavras do cavaleiro os guardas se alinham horizontalmente protegendo o portão numa formação bem mais determinada. Sir Alec vira-se par Nirgal:

"Você assume daqui Nirgal, vou aos outros portões e então me encontrarei com o Duque!"

Por um momento as pessoas se sentem enganadas, como se a atenção dada ao sacerdote tivesse sido uma distração para que o portão fosse fechado, interrompendo qualquer chance de atravessarem, eles xingam o cavaleiro quando este se retira atiçando o animal na direção deles e aos poucos, resignados, começam a se retirar do local.

O que vocês farão?


Código:
Persuasão 2, Dificuldade Média (laranja), tirou 10, amarelo, fracasso


Para Covaz:
Você desce as escadas de acesso com pressa, olhos fixos no seu alvo e a mão tensa sobre a lança. Ao chegar no nível da rua você dá alguns passos, pernas bem abertas para sustentar o corpo. Finalmente a lança é erguida diagonalmente, na altura da cabeça, a mão torna-se mais leve para facilitar a mira enquanto o braço é direcionado para trás para formar a alavanca, a respiração torna-se mais lenta e então a arma cruza o véu negro da noite em direção ao alvo.

O equipamento passa próximo do misterioso homem no alto da casa, tão perto que a arma retira um pedaço de pano de sua vestimenta antes de chocar-se contra uma chaminé e partir em dois pedaços.

Quando vc se aproxima para averiguar se os danos foram apenas na madeira da lança algo lhe chama a atenção, preso no metal trincado da ponta estava o tecido que fora cortado, o material era de um cetim negro muito leve, um material fino muito comum na Levânia, e, bordado nele, em hieróglifos dourados estavam os símbolos de sua família.

O que você vai fazer?


Para Óin, Yeru, Lambelas, Artos e Sylvana:


Sylvana percebe que a "briga" era maior do que imaginava quando, depois dos guardas e a moça entrarem, ela vê um homem de turbante negro arremessar uma lança para o alto no meio da escuridão. 

Após a meio-elfa entrar na taverna a cena torna-se ainda mais estranha, no local,  com corpos caídos no chão, todos os presentes observam maravilhados aquela criatura de beleza ímpar, capaz de encher de esperanças até aqueles que, por lógica, não se permitiriam aproximar dada às diferenças estéticas. Até os anões a consideravam bela apesar da ausência de barba e de robustez de corpo. Para os elfos a única coisa que a distinguia de uma puro-sangue eram as orelhas não pontiagudas, mas o corpo esguio e os traços finos eram mais belos até do que de outras elfas. Árias, a jovem garçonete da taverna que havia finalmente voltado com os guardas, parecia apenas um garoto magro e desengonçado perto da beleza de Sylvana.

Todo o encanto vai embora quando começam os gritos de um dos três guardas:

"Que diabos aconteceu aqui?! Baixem as armas imediatamente!"

Tentando manter as coisas calmas e evitar problemas para si mesmo, Barl é o primeiro a falar enquanto o pesado Vence caminha sistematicamente na direção de Sylvana:

"Calma guardas, por favor, esses são os mocinhos. Os que estão caídos começaram tudo, vieram armados e decidir a tirar sangue, acabou que foi o sangue deles que escorreu pelo chão"

Os outros dois guardas caminharam na direção dos corpos, verificando se algum ainda apresentava sinais de vida. Quando encerram a procissão dentro da taverna eles respondem ao guarda que deu a ordem de baixar as armas:

"Ainda estão vivos, mas não devem durar muito tempo. Exceto esse aqui, não deve ter resistido ao ferimento"

O guarda se referia ao homem que Lambelas matara.


Vence chega bem perto de Sylvana e estende-lhe o braço enquanto diz:

"Os deuses são bons em enviar alguém bela como a senhorita para contrastar uma situação dessas. Deixe-me acompanhá-la, e lhe pagar uma bebida como forma de me desculpar por um cenário tão triste".

OFF: Verce, o capanga havia fugido, então ignorei a questão. Faça um teste de Intelecto Fácil.
avatar
Samyaza
Admin

Mensagens : 1292
Data de inscrição : 04/10/2013
Idade : 33
Localização : Franco da Rocha / SP

Ficha do personagem
Nome: Robert Locksley
Posto: Segundo Tenente
Status: 2 Lesões

Ver perfil do usuário http://vingadornegro.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Arco 1 - Os portões de Agrimir

Mensagem por Mingo em Qua 21 Fev 2018, 16:00

Estou incomodado com a movimentação da taverna, após a movimentação da luta estou me sentindo fora do lugar e preocupado em estar fedendo, não quero incomodar ninguém. Com a chegada da mulher bonita meu constrangimento apenas aumenta e começo a me mexer desconfortavelmente como se procurasse me esconder mais ainda para não ser notado.

"Mim querer toma banho, compra coisas e segundo machado"

Após a confusão dos guardas eu falo baixo, como se não querendo chamar a atenção

Yeru...... vamu imbora..... amanhã viajá..... gasta papel que vale moeda

Mostro a carta de crédito que Vance me deu para Yeru.

_________________
INFORMAÇÕES:
EH:17        ABSORÇÃO:3       EF:19       KARMA:2

EQUIPAMENTOS: cinto, pederneira, par de botas, capa, par de luvas, aljava com 20 flechas, faca, arco e armadura de couro leve

CARACTERÍSTICAS GASTAS: Nenhuma até o momento

EXPERIÊNCIA: 4xp


FICHA DO PERSONAGEM:

Mingo

Mensagens : 88
Data de inscrição : 07/10/2013
Idade : 31
Localização : Osasco/SP

Ficha do personagem
Nome: Nate
Posto: Aspirante
Status: 1 Lesão

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Arco 1 - Os portões de Agrimir

Mensagem por †_Junior_† em Qua 21 Fev 2018, 16:08

Olho para aquele homem que vem até mim e deduzo que, diante sua desenvoltura diante a cena, muito provavelmente seja Vence Valorum. Sorrio de forma sedutora, enquanto passo a mão pela sua barba e queixo e digo:

Ah, acho que irei aceitar sim sua oferta. Deve ser o sr Valorum. Seus bons modos fazem jus a sua fama.

Não aceito o braço de Valorum, apenas passo por ele e indo em direção a uma mesa afastada dos corpos, onde me sento e faço um sinal para Árias e digo suavemente:

Garoto, por favor, traga uma bebida para nós.

E como se tivesse me "tocado" que na realidade se trata de uma mulher, completo sorrindo de maneira doce para Árias:

Me desculpe, me confundi levemente. Qual seu nome, minha jovem?

_________________
INFORMAÇÕES:
EH:9        ABSORÇÃO:12      EF:14       KARMA:8

EQUIPAMENTOS: Punhais, Roupa Tingida, Flauta de Madeira, Calçado e Luvas, Capa, Cachecol, Par de Botas, Cinto, Mochila de Couro e Cantil.

EXPERIÊNCIA: 0xp


FICHA DO PERSONAGEM:


avatar
†_Junior_†

Mensagens : 396
Data de inscrição : 06/10/2013
Idade : 24
Localização : Recife PE

Ficha do personagem
Nome: Cristhian Theofilakis
Posto: Primeiro Sargento
Status: 2 Lesões / 4 Ferimentos

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Arco 1 - Os portões de Agrimir

Mensagem por bcsaulo em Qui 22 Fev 2018, 17:57

Olho para a meio elfa recém chegada, até o momento era a coisa mais bela que vira na cidade como um todo. Entretanto não me atrevo a olhar pra ela. E então vou procurar o elfo florestal, quando achá-lo comento: "Ora. No final das contas estamos todos dentro!" Aguardo um pouco mais no salão, como e bebo.

_________________
INFORMAÇÕES:
EH: [58] [-9 -20] = 29     ABSORÇÃO: = 22      EF: 20 =      KARMA: 0     DEFESA P2/P4

EQUIPAMENTOS: Couraça Parcial, Elmo Fechado, Escudo Grande, 2 Machados de Batalha, 1 Montante, Ração para viajantes (Frutas, pães e carne seca), Cantil com água e 11 moedas de ouro e 5 moedas de prata.

EXPERIÊNCIA: 35xp


FICHA DO PERSONAGEM:


FICHA DO PERSONAGEM - A FLORESTA DO SILÊNCIO:

avatar
bcsaulo

Mensagens : 538
Data de inscrição : 07/10/2013
Localização : [roll="d20"]x[/roll]

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Arco 1 - Os portões de Agrimir

Mensagem por Vercenorax em Sex 23 Fev 2018, 11:02

Já que o outro homem não se encontra eu me sento ao balcão e peço a Barl mais uma caneca de vinho. Ao que a guarda chega seguida de um linda meio-elfa eu considero antes aos guardas:
Minha lança já não é usada desde uns instantes atrás. Sobre a conja de lixo que enviaram pra causar problemas a Barl, um ou dois dos arruaceiros fugiram. Um deles com uma estocada de lança na perna. Eles foram pagos para criarem uma distração enquanto outro com uma besta tentou matar Vence Valorum. Foi o que consegui descobrir antes que matassem o desgraçado caído ali no chão. Aqui ninguém sabe de mais nada. A não ser os próprios surrados no chão.

Descrevo o que lembro do meu antigo oponente para que sirva de alguma valia. Depois reparo na meio-elfa de cima embaixo e por fim comento com Barl:
Desse jeito aí nunca vi hã! Uma das melhores que já pude por os olhos. Ela é um espetáculo.

_________________
"Sete Anéis para os Senhores Anões em seus Rochosos Corredores"

"Se for pra acabar em fogo, todos queimaremos juntos!"


INFORMAÇÕES:
EH:62       ABSORÇÃO:15      EF:18       KARMA:0

EQUIPAMENTOS: corvo Roac.

EXPERIÊNCIA: 55xp


FICHA DO PERSONAGEM:
avatar
Vercenorax

Mensagens : 450
Data de inscrição : 07/10/2013
Idade : 24
Localização : Cachoeira de Minas/Lavras

Ficha do personagem
Nome: Boris Andravitch
Posto: Primeiro Tenente
Status: 2 Lesões

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Arco 1 - Os portões de Agrimir

Mensagem por Blanchard em Sex 23 Fev 2018, 22:57

Ao ver o sujeito sair e o olhar de descrença dos citadinos, digo para Thadiel:
Parece que hoje não é meu dia de sorte. Que Palier compreenda minhas falhas. Você quer tentar falar com os soldados? Nunca me dei muito bem com devotos de Crisagon. Eles preferem a espada aos argumentos.

Depois, procuro algum ponto com fogo, sento-me e tiro a carta de Palop. Antes de abri-la dou uma olhada para o céu, reviro o papel e dou uma respirada longa.

_________________
INFORMAÇÕES:

EH:14     EF:13    KARMA: 10
EQUIPAMENTOS: nenhum
EXPERIÊNCIA: 0xp


FICHA DO PERSONAGEM:


avatar
Blanchard

Mensagens : 762
Data de inscrição : 06/10/2013
Localização : [roll="D6"]x[/roll] [roll="d20"]1[/roll]

Ficha do personagem
Nome: Thierry Henry
Posto: Partisan
Status: Intacto

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Arco 1 - Os portões de Agrimir

Mensagem por arabedoido em Sab 24 Fev 2018, 21:41

Penso comigo: "Então ele está aqui! Demônios me levem se não descobrir seu paradeiro".

Então, pensando um pouco sobre o que aconteceu, lembrando de quem era o possível alvo daquele homem, volto para a taverna, levando o que puder ser aproveitado da lança e o fragmento de tecido. Vou procurar pelo homem gordo que quase foi atingido pela flecha.

_________________
Personagem:
avatar
arabedoido

Mensagens : 531
Data de inscrição : 05/10/2013
Idade : 42
Localização : São Paulo - SP

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Arco 1 - Os portões de Agrimir

Mensagem por Renan Paladino em Dom 25 Fev 2018, 16:27

Percebia que a situação não era grave como pensava, não dizia nada em meio a tensão entre os cidadãos e a tropa do Duque. Lamentava o fechamento dos portões e sem dizer nada, após Aeron sentar-se para ler sua carta, ia em direção aos soldados no portão, indagando:

- Eram muitos, os invasores?

Enquanto ouvia a resposta do soldado, buscava algum ponto alto nos muros onde pudesse observar os arredores.

_________________
INFORMAÇÕES:
EH: 16       EF:33       KARMA:6

EQUIPAMENTOS:

EXPERIÊNCIA: 0xp


FICHA DO PERSONAGEM:
avatar
Renan Paladino

Mensagens : 225
Data de inscrição : 06/10/2013
Idade : 32

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Arco 1 - Os portões de Agrimir

Mensagem por Samyaza em Dom 25 Fev 2018, 16:55

Para Sylvana, Óin, Yeru, Lambelas, Artos e Covaz:
O guarda mestiço, que parecia estar no comando dos outros dois dispara ordens:

"Tirem esses miseráveis daqui, coloquem lá fora, sem obstruir a escada. Barl, você tem uma carroça aí, certo? Precisarei dela para levá-los até a casamata."

A fala do guarda levantava duas possibilidades, a primeira é de que Barl e o guarda eram conhecidos, pois a conversa era realizada em tom familiar, a segunda é que brigas da taverna pareciam ser comuns, pelo menos o hábito de levar os derrotados em carroças, parecia um hábito. Barl volta para dentro do balcão e abre a torneira de um alambique, enche três canecas, uma seguida da outra e vai colocando-as em fila no balcão enquanto volta a falar:

"Está lá atrás, nos fundos, do lado de fora, precisarei dela amanhã. Três canecas do mais puro, e caro,  vinho vindo de Lar certo? Ah, eu espero que os planos do Duque deem certo, com estradas mapeadas e segurança trazer especiarias do sul ficará mais fácil."

O guarda se aproxima, levantando a perna um pouco mais alto do que o comum quando precisa atravessar algum objeto quebrado ou alguma mancha de sangue no chão. Ao chegar no balcão ele segura a caneca e responde antes de um gole na caneca:

"Não conte com isso, pelo menos não em breve. Alguma coisa deu de errado depois da muralha, seu vinho vai continuar custando caro por mais alguns meses, espero que com a cidade cheia, e com a impetuosidade dos seus clientes, eu tenha sempre motivos de beber dessa relíquia sem ter que dispensar muitas moedas para isso."

Nesse instante o guarda apoia um dos cotovelos sobre o balcão e vira-se para todos vocês e com a caneca erguida faz um cumprimento a todos antes de dar outro gole.


Árias rubra com as palavras de Sylvana, a testa franze num descontentamento silencioso enquanto a jovem colocava uma mesa de pé e organizava algumas cadeiras. Ela lhe responde enquanto limpava a mão no avental, as palavras eram educadas, o tom de voz, agressivo:
"Meu nome é Árias, senhorita. Qual bebida gostariam?"

Vence então se manifesta:
"Posso sugerir o mesmo vinho élfico que o taverneiro ofereceu como suborno aos guardas?"

Barl responde à Artos, num tom baixo, virando-se quase de costas para não ser ouvido:
"Já ouvi falar dela, é o novo brinquedo da Casa dos Prazeres, a madame deve ter gasto muito com ela, realmente, é muito bela!"

Artos já ouviu falar da casa, mas era um local caro, que exigia muitas moedas por poucas horas de diversão.

Tentando parecer o "galo do galinheiro", Vence fala em voz alta:
"Sentem-se comigo meus contratados! Vamos tratar os detalhes de nossa empreitada, pago um barril desse vinho pela companhia de vocês."

Sares só volta a ser notado quando Lambelas fala com ele, o florestal se encosta na parede e cerrando os dentes ele puxa a flecha, falta de inexperiência dele faz um estrago, a ferida quase dobra de tamanho e um jato de sangue é expelido quando a ponta de metal deixa o seu corpo. Ele responde à Lambelas, em voz alta, como se quisesse chamar a atenção:

"Essa foi por pouco! Não terei como ajudar, com um braço ferido não posso usar meu arco, será que nosso pagador será  vai querer uma ferramenta quebrada?"

Vence ouve  responde, virando-se na cadeira:
"Jamais esqueço aqueles que me salvam a vida, de certo, viajar com esse braço é um risco para você e para mim mas, não deixarei de recompensá-lo. Guarda! Peço a gentileza de conduzir meu amigo a uma das casas de cura, eu pagarei todas as despesas."

O guarda ouve as palavras como uma possibilidade de lucro:
"Posso levá-lo na carroça, eu cuido dele..."

Ao voltar para dentro da taverna Covaz identifica na flecha que o elfo florestal segurava outros traços levas, as penas usadas são de um padrão e coloração de aves comuns do seu país.

O que vocês farão?
 

Para Thadiel e Aeron:
O guarda responde à Thadiel:
"Parece ter sido um grupo grande, não sobrou quase ninguém, a caravana tinha quase 50 pessoas, pelo menos metade tinham experiência com espadas."

Os muros eram acessados por uma guarita ao lado do portão, o acesso seria fácil se não fosse por um guarda ali de prontidão, estima-se que lá de cima seja possível ver a muralha goguistá, mas pouco provável que se consiga enxergar algo além dela.

Faça um teste para observar mais detalhes.

Próximo de uma tocha presa por um suporte metálico na parede do muro, Thadiel finalmente lê sua carta, o tom das palavras era de Palop, mas a grafia era bem diferente, possivelmente de um escriba:

"Caro Thadiel, espero que esse documento tenha chegado em suas mãos de forma tranquila. Comumente eu evito entrar em contato, uma atitude que não considero exagerada quando o assunto é manter seu anonimato e sua segurança. De certo que, só o fiz agora, pois a situação é urgente.

Há alguns meses me deparei com pistas sobre ação demoníaca, nada muito direto ou claro, suposições baseadas em conversas, observações de hábitos e por fim um diário que revelou, ao menos, a prática demonista entre membros da corte. Segui as pistas até Agrimir, tentando saber quem poderia ter ensinado tais práticas à fidalgos, aqui as pistas se perderam, a maior parte dos nobres tem sua residência  no interior do forte que é extremamente vigiado e de acesso restrito, e eu não poderia adentrar sem revelar minha intenção.

Mas a graça de Palier é enorme e busquei abrigo com Tersep e o bom sacerdote conseguiu, com custo, franquear-me a entrada no forte sem fazer muitas perguntas, circulando por lá, identifiquei pelo menos três possíveis membros de um culto à Flauros, minha pele arrepiou quando cheguei a essa conclusão. Descobri também a existência de um patriarca, que estaria indo para o sul junto com uma caravana. É por isso que, apressadamente, escrevo-lhe esta carta determinando a direção que segui e o motivo, acredito que se pegarmos o patriarca, encontraremos também a vil criatura que você tanto persegue. Espero que tome a estrada para o sul em breve, pois, temo não ser capaz de lidar com isso sozinho." 

O fim da carta soa quase como uma sentença de morte, Palop teria que ser muito esperto e evitar um confronto direto para manter-se vivo até receber ajuda.

O que vocês farão?


avatar
Samyaza
Admin

Mensagens : 1292
Data de inscrição : 04/10/2013
Idade : 33
Localização : Franco da Rocha / SP

Ficha do personagem
Nome: Robert Locksley
Posto: Segundo Tenente
Status: 2 Lesões

Ver perfil do usuário http://vingadornegro.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Arco 1 - Os portões de Agrimir

Mensagem por Blanchard em Dom 25 Fev 2018, 19:49

Ao terminar de ler a carta  affraid , esqueço da fome e do cansaço, me levanto, relendo e correndo, até trombar em Thadiel. O puxo para um canto e digo:

Thadiel, Palop rastreou ao menos três fortes suspeitos de aliança com os demônios. Você sabe o nome do demônio que lhe derrotou? Ele partiu para o sul, com uma caravana, seguindo um dos suspeitos. Precisamos rumar imediatamente para lá. Ou nos misturamos com os artesãos e mercadores comuns, ou procuramos alguma saída pelos muros.

_________________
INFORMAÇÕES:

EH:14     EF:13    KARMA: 10
EQUIPAMENTOS: nenhum
EXPERIÊNCIA: 0xp


FICHA DO PERSONAGEM:


avatar
Blanchard

Mensagens : 762
Data de inscrição : 06/10/2013
Localização : [roll="D6"]x[/roll] [roll="d20"]1[/roll]

Ficha do personagem
Nome: Thierry Henry
Posto: Partisan
Status: Intacto

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Arco 1 - Os portões de Agrimir

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 6 de 8 Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8  Seguinte

Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum