Parte 7 - O inimigo do meu inimigo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Parte 7 - O inimigo do meu inimigo

Mensagem por Samyaza em Sab 12 Out 2013, 00:11

Enviado por: bcsaulo - quarta-feira, 6 de março de 2013 16:31:51
De boca cheia respondo a Jered - Já disse, Jacus pela adaga. E os termos da entrada em território de Marana deverão ser tratados com o próprio regente da cidade, não essa cobra de duas cabeças - Olho para Vardem.

Enviado por: bcsaulo - quarta-feira, 6 de março de 2013 16:45:05
off: Thiago eu to percebendo Sam, Glóin e Vardem, sussurrando?

Enviado por: Ares - quarta-feira, 6 de março de 2013 17:14:29

Enviado por: Aurhus - quarta-feira, 6 de março de 2013 17:24:42
Olho serio para Nain e digo:
Não me tome po um mercenario barato! Fontinue assim e sera a minha vez de ficar furioso

Neste ponto sinto uma fiscada no meu maldito maxilar quebrada e minha expressão seria se torna uma expressão de dor e com um certo esforço continuo com uma voz mais arrastada:

Tudo que quero é ajuda-lo a impedir que os verrogaris invadam Lubliana e conseguentemente Dantsem!

Enviado por: bcsaulo - quarta-feira, 6 de março de 2013 19:03:25
off: Thiago tiraram nossas armas quando entramos na barraca?

Enviado por: †_Junior_† - quarta-feira, 6 de março de 2013 19:24:34
Olho para a mesa cheia de comida após o sussurro de Vardem enquanto penso: [odeio confabular com este homem, mas parece ser a nossa única esperança por enquanto...].

Me aproximo de uma maçã ou fruta qualquer, olho para Jered sorrio meio nervoso e pego a fruta e começo a comer rapidamente.

Enviado por: Samyaza - quinta-feira, 7 de março de 2013 09:54:35
CONNOR:
OFF: Sim, vc percebe os sussurros mas não entende o que eles estão conversando. As armas ainda estão com vc´s.

Jered remove a mão do seu ombro e depois de um sorriso diz:
Mas, pelo que eu sei, esta cobra de duas cabeças é o regente de Lubliama, já que o pobre Jacus encontra-se desaparecido e que, pelo tempo do seu desaparecimento, o próprio rei Augustu Zeneri já nomeou Vardem como regente, portanto, o que vc me pede seria um absurdo pois estaria violando a lei de hierarquia e autonomia de um reino amigo como Marana, o que vc me pede é quase um motim.

Nesse momento Vardem sorri e toma um copo de vinho.

DERIN:
Toda a conversa começa a lhe preocupar, seu objetivo era chegar a Verrogar de forma segura, com as informações de Vardem vc já sabe até mesmo quem vc deve procurar e onde essa pessoa está, ficar ali perda de tempo sem contar o risco que passavam a cada vez que as palavras eram trocadas.

SAM:
Após as palavras de Jered, Vardem sorri um pouco mais animado para em seguida se aproximar de vc e lhe dizer ao pé do ouvido:
Vc sabe mesmo onde está a adaga correto? Temos uma chance, mas alguém terá que se passar por mentiroso ou nós ou o seu amigo, caberá a vc decidir. Aliás, fique longe dele, se só vc´s sabem onde estão, preciso mantê-lo vivo antes que ele atente contra sua vida para preservar o segredo e prolongar a negociação.

Em seguida Vardem o segura pelo ombro e o conduz gentilmente para perto da saída da tenda.

TODOS:
Assim que Vardem e Sam se aproximam da entrada da tenda eles batem de frente com um grupo que vinha entrando, são os cães verrogaris, eles olham para vc´s e em seguida começam a caminhar ao redor da tenda ficando Duril e Ildor bloqueando a passagem, Jubelus e Rubei ao lado de Jered e Ricar que, mancando, vai até o centro da tenda e diz:
Há quanto tempo não é? Talvez não o suficiente, minha perna ainda dói e lembro-me nitidamente do que passei e de algumas ameaças que me foram feitas.

Controlando-se de exaltação ele vira-se para Jered e diz:
Está feito meu senhor, conforme as ordens dadas a Jubelus.


FIRIOM:
Náin abatido e desanimado pergunta:
A menos que tenha um exército para combater Verrogar não vejo como vc pode ajudar, assim como não vejo como podemos impedir a invasão.



Enviado por: bcsaulo - quinta-feira, 7 de março de 2013 14:08:43
Me pergunto o que Sam, Glóin e Vardem estão tramando. Porque esse desgraçado do Vardem está sorrindo? Ele devia ter tremido quando falei em trocar a adaga por Jacus, afinal iria sobrar pra ele? Porque Vardem sussurra nos ouvidos de Sam. Não creio que fui traído. Pequenino desgraçado confiei nele caso algo acontecesse comigo. Esperava que Derin me traísse em troca de informações de seu mestre, esperava que Glóin me traísse para ter o maldito machado. Mais Sam? Deve ter se vendido por miséras moedas, hobbits são ladrões por natureza. Devia matar todos eles... - Já levava sua mão a espada iria matar aquele pequenino linguarudo, contudo meus pensamentos se esvaem quando Jered toca meu ombro, me levando a ficar atento nas suas palavras, então respondo - Bom, não foi o que Vardem disse! - Fico de pé e volto a dizer:

- Mas devido as circunstancias, te entregarei a adaga e a carta, além de outras informações retiradas a força de Vardem, acredito que você como alguém inteligente tenha cautela quando trata com Vardem. Até onde sei é de interesse de Verrogar que os Sombrios saíssem de Fontenova, vocês tinham um plano certo? Usar Irven como moeda de troca? Mais algo deu errado? Não foi tão fácil como poderia ser... Bom eu sei muitas coisas sobre Vardem que pode te interessar! Sabe? Um homem a beira da morte é capaz de entregar até a mãe para não ir para o lado de Cruine! Não estou certo Ricar? - Digo olhando para o homem manco que acabava de entrar - Em troca disso você me daria uma couraça e dois machados de batalha, um odre de cerveja, além de um cavalo e algumas moedas, para que eu possa seguir meu caminho. Afinal não defendo nenhuma bandeira, apenas interesses pessoais! Você teria nas mãos a adaga, a carta e o principal, Vardem...

Enviado por: Ares - quinta-feira, 7 de março de 2013 14:14:41
Olho de relance para o grupo que acabava de entrar e vejo que Ricar não deixou o ressentimento para trás, os outros teriam que tomar cuidado por onde andam. Procuro parecer calmo e comer um pouco, não me meter mais fundo nestas malditas conspirações.
Penso comigo mesmo "Preciso sair logo daqui"

Enviado por: Vercenorax - quinta-feira, 7 de março de 2013 15:46:14
Quando os Cães adentram a tenda sinto-me incomodado, mas é um incômodo do tipo quando uma lesma se arrasta por seu corpo, então falo a Jered:
Não pretendo me alistar de forma alguma, reconheço que vocês verrogaris possuem ótimo tino militar, mas vamos direto ao assunto: Ninguém se gosta dentro desta tenda, uns mais que outros (aponto para Ricar e Connor), então ponha tudo em panos limpos, se estamos sendo feitos prisioneiros, ponha-nos grilhões, se vai nos matar que seja limpo, ou se está se preparando para algo que não seja uma destas coisas que diga logo de que se trata!

Momentos antes que retruquem-me penso:
[Se sair daqui ainda hei de culpar bons oponentes aqui dentro desta tenda se meu machado estiver realmente derretido, irei declarar guerra e meu clã virá em apoio, só preciso de uma confirmação. UMA! Estes malditos cães vão sentir o clamor de nossos berrantes e o trovejar de nossa marcha!]

Enviado por: †_Junior_† - quinta-feira, 7 de março de 2013 20:47:02
Sinto um arrepio gelado quando Vardem sussura para mim e fico ainda mais nervoso quando ele fala que alguem pagará por mentiroso se eu ajudá-lo e esse alguém seria Connor! Cobra maldita, eu não havia pensado nisso! Começo a pensar em alguma escapatória, mas não via nenhuma possível... Quem sabe se eu falasse a verdade, mas de outra forma, ninguém seria mentiroso... Teria que arriscar...

Esperem um momento, Jered e Connor. Digo subitamente.

Quando ambos olharem para mim, dou um pigarro e digo o mais firme possível:

Existe um problema, mestre Connor, e peço seu perdão por isso. Eu não confiava em Firiom, ele parecia um tanto louco e imprevisível, e desconfiei que ele fosse nos abandonar a nossa própria sorte. Por isso, furtei dele a adaga e a carta e escondi em um local seguro, antes dos verrogaris nos encontrarem.

Faço uma pausa e continuo:

É impressionante como vocês não prestam muita atenção no que eu estou fazendo, então foi fácil não ser visto. A adaga está segura e a carta também, não se preocupem. Só peço desculpas por enganá-lo Connor, mas percebi que precisava agir antes que fosse tarde.

E olho para Connor com esperanças que ele entenda a minha ultima frase. E completo finalmente:

Posso ir buscá-las, se assim você desejar Jered. Mas precisa me dizer o que fará conosco afinal, com todos nós após colocar as mãos na adaga. Simplesmente nos liquidará, nos deixará ir embora, deixará Ricar surrar Connor ou qualquer coisa de ruim conosco? Como mestre Gloin disse, o que está preparando Jered?

E olho sinceramente nos olhos de Jered, apenas um pequenino que pede uma resposta simples e sincera.

[O que estou fazendo?! Espero não estar condenando todos a morte...]

Enviado por: bcsaulo - sexta-feira, 8 de março de 2013 07:56:13
Após as palavras de Sam, suspiro profundamente, e penso "Dois podem jogar esse jogo, certo? Ou é muito burro para confiar em Jered ou quer tirar seu corpo fora enquanto esses comedores de elfos acabam com a gente, Vardem fez um bom trabalho em você". Assim viro para Jered e digo:

- Minha proposta continua de pé, General.

Enviado por: Aurhus - domingo, 10 de março de 2013 12:16:41
Olho serio dentro dos olhos de Nain, tento ignorar a dor que me castiga o maximo possivel pois não é chegada a hora de me render a ela e digo:
Meu caro Nain!Você tem uma cidade que sempre resistiu aos ataques de Verrogar!Você tem anões e homens que morreriam para defender suas terras! Este é o seu exercito! Convoque-o e certamente eles atenderão o seu chamado! Agora mexa este traseiro gordo de anão e faça tudo que estiver ao seu alcance e, se possivel, um pouco mais! Isso se for digno de sua barba meu caro anão

Enviado por: Aurhus - domingo, 10 de março de 2013 12:21:42
Dados caso necessario:
[1d20]

Enviado por: Samyaza - segunda-feira, 11 de março de 2013 21:57:06
CONNOR:
Ricar gargalha e os outros cães apenas sorriem enquanto o verrogari manco diz:
Vc não vai a lugar nenhum homem de Filante, vc será a nossa prostituta até o fim da guerra, depois, vai virar a cadela dos nossos farejadores até que a vergonha ou a doença levem-no a morte.

Jered responde:
É simples meu amigo Connor, um de vc´s está mentindo, ou Vardem e o Pequenino ou vc. Vardem, mesmo mentiroso, ainda é uma peça necessária no jogo, vc garante sua vida na adaga, portanto, sugiro que faça suas preces para que meus homens não a encontrem.

DERIN:
Vc percebe que Jubelus e Rubei o encaram, expressando muito rancor, nitidamente parece que as memórias ruins não são apenas sobre Connor.

GLOIN:
Jered toma outra maçã, senta-se novamente e olhando para vc e diz:
A situação é simples: vc´s tem algo que me pertence e um de vc´s é um mentiroso. Vou mandar um grupo ir até o local onde o pequenino disser que esta a adaga, se a encontrarem Connor será um mentiroso e além das contas que tem a acertar com Ricar passará a ser considerado inimigo declarado de Verrogar.

Por ventura se a adaga não estiver lá os mentirosos serão Vardem e o pequenino e eu me acertarei pessoalmente com o regente de Lubliama. Caberá a vc e ao caçador escolherem, neste instante, em que lado estão. Até que essa questão se resolva, sim, é claro que vc´s são prisioneiros e seria melhor que deixassem suas armas.

SAM:
role 1d20
Jered escuta a conversa curioso e diz:
Vc vai levar meus melhores homens até a adaga, se ela estiver lá, considere que terá algumas moedas lhe aguardando, se a adaga não estiver ali seu corpo ficará pelo caminho.

CONNOR:
Depois que Sam conta sua mentira e vc mantém-se firme em sua proposta Jered diz:
Uma coisa de cada vez Filantiano, o que vc poderia me dizer sobe Vardem que eu já não saiba ou que eles mesmo não possa ou não queira me dizer?

Nesse instante ele olha ameaçadoramente para Vardem e diz:
Está com mais segredos do que gostaríamos Vardem?

TODOS:
Vardem dá um último gole apressado no vinho e diz:
Connor acusa-me de ser uma cobra mas está tentando preservar sua vida com calúnias mentirosas. O pequenino diz a verdade, pois, depois que fui feito refém deles segui com o anão e com o rastreador e os dois ficaram pra trás, mas este Firiom com quem ele diz ter deixado a adaga abandonou o grupo desde cedo e eles , Sam e Firiom, ficaram pra trás. Sam, por amizade, está tentando proteger o amigo mas pode acabar perdendo a cabeça.

Vardem vira-se para Sam e diz:
Desculpe-me desmenti-lo mas não podemos correr riscos, Connor acha-se esperto mas é imprudente, arriscou demais a propria vida e a de vc´s.

Vardem vira-se para vc´s e diz:
Como Jered disse, é hora de vc´s escolherem de que lado ficarão, o meu ou o de Connor.

Vardem vira-se para Connor e, com voz triste, diz:
Deveria ter deixado que eu cuidasse das coisas, mas não vou deixar que vc me condene à morte com suas confusões.



FIRIOM:
Náin sorri debochadamente e diz:
Se está tentando me usar como um escudo para defender Dantsem está perdendo seu tempo, seus argumentos tem alguns equívocos:
Em primeiro lugar, Verrogar nunca atacou Lubliama.
Em segundo lugar, a cidade não é minha, pertence ao maldito do Vardem. O que me compete é a guarda.
Terceiro, da guarda, a maioria agora é humana e mais fiel à Vardem.
Quarto, os anões e humanos agora disputam a cidade e entre os próprios anões há discórdia.

Se eu ousar enfrentar Verrogar, estarei condenando minha família e Lubliama inteira.


Enviado por: bcsaulo - segunda-feira, 11 de março de 2013 23:35:54
Após as coisas se complicarem, olho para os lados receoso, tento me acalmar para responder as palavras de Jered:

- Não é tão simples assim, caro Jered. De fato eu, fiquei para trás para esconder a adaga, caso Vardem nos traísse teríamos algo para negociar. E concerteza também levei a cobrinha comigo, engano meu, achei que pudesse confiar nele caso algo acontecesse comigo - Digo isso acenando na direção de Sam com a cabeça - Mais não espere que ele lhe leve até adaga, sem entender os sinais é como procurar a agulha com a ponta mais afiada dentre centenas delas. Seja razoável, nós todos fazemos o que temos que fazer, não é nada pessoal. Cada um defende seus interesses. Quanto as planos de Vardem todo homem precavido tem um plano B, caso o plano A falhe, acha que Vardem não possui um caso as coisas fujam de seu controle? No fundo você sabe que eu digo a verdade. Então negocie os termos com um homem e nós dois saíremos bem disso!

A provocação de Ricar respondo em tom de escárnio:

- Hum, depois que eu vi o que carrega entre as pernas, posso afirmar que de você nada tenho a temer, alias nem uma pequenina tería com o que se preocupar!

Posso testar persuasão para Convencer Jered?

[1d20] Se possível...

Enviado por: Ares - terça-feira, 12 de março de 2013 12:25:22
"Não sou muito querido por aqui também pelo que vejo"
Volto meu olhar para Vardem e falo.
-Realmente não sei aonde esta a adaga e não de gosto de apostar.

Enviado por: Aurhus - terça-feira, 12 de março de 2013 13:57:58
Ilho para Nain de modo a demonstrar minha indignação com o que ele insinuou sobre minhas intenções e, com a mão no queixo fraturado, digo:
Vocês são todos moscas tolas que cairam na teia de uma aranha chamada Vardem! Agora, com sua licença, meu queixo dói e tenho muito que andar e muito a descobrir para tentar(elevo minha voz para demonstrar meu desapontamento e minha raiva)SALVAR UMA CIDADE DE RATOS COVARDES E VERMES DESLEAIS A CIDADE EM QUE CRESCERAM E QUE LHES ACOLHERAM!

Ao dizer isto dou as costas para Nain e vou embora.

Enviado por: Vercenorax - terça-feira, 12 de março de 2013 15:34:38
Olho para os dois lados quando Jered propôe, ou Connor ou Sam. Passo a mão pela barba num gesto de pensamento, para por fim dizer:
Irei direto ao assunto. Sou partidário de Sam.

Que façam-se as considerações sobre minha decisão e mais uma vez me dirijo a Jered:
Diria que deve-me algumas explicações ou respostas. Senão as souber mostre-me quem sabe. A adaga foi feita de um machado? Onde está o machado? Quem roubou o machado? Quanto a eu ser um prisioneiro, me dê liberdade de acampamento e uma boa acomodação que deixo minhas armas.

Penso:
[Mais uma vez que tenho de ficar desarmado!]

Enviado por: †_Junior_† - terça-feira, 12 de março de 2013 19:36:30
Olho para Jered e tento ficar firme dizendo:

Não quero moedas Jered, mas gostaria que Connor pudesse seguir seu caminho em paz após eu levar você ou seus homens até a adaga. Deixe-o partir em segurança.

E você não me disse exatamente o que acontecerá conosco quando tiver a adaga.

[1d20]


Enviado por: Samyaza - quarta-feira, 13 de março de 2013 19:18:02
CONNOR:
Jered encosta-se ainda mais nas almofadas e diz:
Você tenta barganhar sua vida com farelos, acha realmente que se eu quiser não posso torturá-lo até que vc fale? Serei breve e direto e espero que vc também não desconverse: - Diga o que sabe e se suas informações forem realmente valiosas e, verdadeiras, eu não serei uma pedra em seu caminho e de minha parte terá liberdade para sair e ir para onde quiser. É a minha última oferta.

Ricar range os dentes ao ouvir isso e olha para Jered que não responde nada e desvia o olhar tomando um pouco de vinho.

DERIN:
Vardem sorri para vc e diz:
Abster-se não é uma opção caçador e lembre-se, sua flechada ainda dói, posso não lhe dar essa chance novamente.

GLOIN:
Jered olha para Vardem com uma expressão de quem não entende do que se trata o assunto, Vardem então lhe responde:
Uma coisa de cada vez Glóin, vamos encontrar a adaga e em seguida encontraremos seu machado mas aguarde que resolvamos isso.

SAM:
Jered sorri e diz:
Somos severos quanto a mentiras pequenino, se a adaga estiver em minhas mãos em pouco tempo cumprirei minha palavra e não o manterei em cativeiro. Aqueles que se aliarem a Vardem e a vc estarão sob custódia dele e ele decidirá o que vai acontecer, os mentirosos e os mais rebeldes serão feitos prisioneiros e levados para um local onde especial onde cuidamos dos nossos inimigos.


FIRIOM:
Vc é interrompido por dois anões antes da saída do fortim, eles o seguram pelo braço e do alto do aposento onde estava Náin ele ordena:
Levem-no para uma cela, chamem um curador e deem-lhe comida e algo para beber, depois falarei com ele novamente.

Os anões olham pra vc com expressão determinada e dizem:
É melhor ouvi-lo, vc não está em condições de prosseguir.

Enviado por: Ares - quarta-feira, 13 de março de 2013 20:19:24
-Se não posso me abster, então que os deuses me guiem.
Peço uma moeda e jogo ela pro ar. Se cair Coroa eu escolho Sam, se cair Cara será então Connor.
"Que Cambu guie esta moeda e meu destino"
Par=Coroa
Impar=Cara
[1d20]

Enviado por: †_Junior_† - quarta-feira, 13 de março de 2013 21:03:00
Olho triste para Connor e depois para Jered e digo finalmente:

Certo, entendi. Quando seus homens me acompanharão até a adaga?

E completo:

E gostaria que Gloin ou Derin viessem comigo.

Enviado por: Vercenorax - quinta-feira, 14 de março de 2013 10:41:41
Olho para Vardem e digo:
Muito bem Vardem, faremos do seu jeito.

Ao que Sam manifesta sua intenção, assinto com a cabeça, mas espero a fala de Jered.

Enviado por: bcsaulo - quinta-feira, 14 de março de 2013 11:42:53
"De sua parte? Desgraçado e ter essa cadela manca do Ricar no meu pé... Mas essa é minha única chance. Irei ter que contar com a palavra dele"Olho para Vardem e depois respondo a Jered:

- Me deixará com pelo menos meu cavalo e minhas armas, além de uma hora de distância antes que seus cachorros sigam meu rastro?

Em caso afirmativo de Jered, digo:

-Pois bem, Vardem descobriu nos palomares um veio do metal do qual é feito a adaga, contudo com a chegada dos sombrios aos palomares ficou dificil a extração desse metal. Ele usou você, sua influencia para negociar irvem em troca que os sombrios deixassem os Palomares dentro de Marana, pois não seria interessante para ele ou Lubliama, eles nada teriam a lucrar. Ele negociou diretamente com os Sombrios a ida deles a Fonte Nova, logo os anões de Fonte Nova migrariam para Lubliama aumentando o poderio de trabalho da cidade. Fonte Nova pararia os trabalhos para Verrogar e o reino seria obrigado a comprar as armas de qualidade superior fabricadas em Lubliama por preços exorbitantes. Eu diria que ele possui um tipo de pacto com os sombrios. Ou você acredita que eles fornecerão gemas poderosas em troca de apenas um homem? Pense bem Jered, vocês entregam Irven e depois!? Entregam as armas feitas com esse metal precioso para que eles façam feitiços sobre elas e depois repassem para vocês? Sinceramente não vejo isso muito inteligente. E depois se vocês se revoltam contra eles e usam os proprios feitiços negros contra eles?

Enviado por: Vercenorax - quinta-feira, 14 de março de 2013 15:23:28
Penso:
[Connor acabou de nos matar.]

Enviado por: Samyaza - sexta-feira, 15 de março de 2013 21:34:50
DERIN:
Os cães fazem uma cara de surpresa e reprovação quando vc joga a moeda. Assim que vc opta por Sam Vardem olha para vc e dá um sorriso.

SAM:
Jered se levanta, olha para seus homens e diz:
Vc partirá agora, com Jubelus e Ildor, dos seus vc levará apenas Connor.

Nesse instante ele olha para Ildor e diz apontando para vc e Connor:
Levem mais homens com vc´s, os dois irão desarmados, retirem também qualquer armadura, apenas um deverá voltar, se a adaga estiver lá tragam o pequenino ileso e deixem o filantiano a sua sorte. Se a adaga não estiver lá matem o pequenino e tragam o filantiano.

GLÓIN:
Jered sorri sarcasticamente e diz:
Sempre foi do meu jeito Glóin, eu apenas lhes dou o direito de escolher entre uma lista que sou eu que faço.

CONNOR:
Jered escuta com atenção enquanto olha para Vardem e diz em seguida:
Essa informação vale sua vida, como disse, vc irá com o pequenino e não terá Ricar querendo arrancar-lhe os culhões, mas aviso-o só volte aqui se adaga não estiver e se ela não estiver lá é bom que se lembre de onde a deixou pq vou torturá-lo até que fale e considere as ameaças de Ricar um carinho em comparação ao que pretendo fazer.

TODOS:
Jubelus e Ildor vão até Sam e Connor e pedem que vc´s se desarmem (é importante que vc´s digam se vão ou não largar a arma na próxima postagem) e então falam:
Venham conosco!

Ricar segura o braço de Ildor no meio do caminho e lhe diz algo no ouvido, olhando para Connor (quem quiser pode testar para ouvir).

Enviado por: bcsaulo - sexta-feira, 15 de março de 2013 21:55:58
Logo que Jered da a ordem olho para o pequenino e me encaminho atrás de Jubelus e Idhor, tento ouvir o que Ricar comenta com Idhor, quando chego ao local designado retiro meu escudo e minha armadura, me demoro um pouco para deixar a espada, até que a deixo.

[1d20] Escutar

Off: Thiago gostaria que descrevesse a quantidade de homens que irão nos escoltar e também suas proteções e armas. E também se vão a cavalo.

Enviado por: †_Junior_† - sexta-feira, 15 de março de 2013 22:12:52
Olho para Connor e pego minha adaga e entrego para os cães. Tento logo relembrar onde ficava a adaga, ficando um pouco nervoso enquanto acompanho os cães.

[Ficaria mais calmo se Gloin e Derin viessem também... Eu ou mestre Connor isso aqui...]


Enviado por: †_Junior_† - sexta-feira, 15 de março de 2013 22:13:45
O teste de escutar pra saber oq Ricar falou.

[1d20]

Enviado por: Ares - sexta-feira, 15 de março de 2013 23:31:05
Teste escutar
[1d20]

Enviado por: Vercenorax - sábado, 16 de março de 2013 15:02:00
Desato o machado da cintura e digo a Jered:
Muito bem Jered vamos esperar.

Sento-me a algumas almofadas, cruzo as pernas e espero.

Enviado por: Aurhus - segunda-feira, 18 de março de 2013 10:08:37
Apenas sigo os anões.

Enviado por: Samyaza - segunda-feira, 18 de março de 2013 18:44:51


CONNOR E SAM:
Connor Ricar diz o seguinte:
A menos que Jered precise vê-lo não o liberte, traga-o para mim, estarei esperando este desgraçado fora do acampamento.

Os dois cães os conduzem para o lado de fora e reúnem 7 soldados com eles. Três soldados estão levando gládios e arcos os outros estão levando lanças e escudos de madeira, todos os soldados estão usando couro leve.

Ildor está usando um machado, couro leve e escudo grande de metal.
Jubelus está usando 2 gládios e um couro leve.

Vc´s são colocados num cavalo só para ambos, Ildor comenta:
Esse cavalo aguenta dois verrogaris, deve aguentar um pequenino e um homem grande como vc.

Uma espécie de colar de aço é colocado no pescoço de vc´s e uma pequena corrente é presa no colar e no cavalo. O cavalo de vc´s é amarrado por cordas aos cavalos de Ildor e Jubelus, os outros soldados montam cavalos leves e vc´s e os cães montam cavalos pesados.

Vc´s começam a marcha em direção ao local sendo guiados por Sam.

Preciso saber duas coisas:
1 - se pretendem algo no caminho;
2 - se Sam vai guiálos pelo local certo, caso sim, darei continuidade a partir do ponto em que a adaga é encontrada.


DERIN E GLOIN:
Suas armas são retiradas com hostilidades pelos outros dois cães que ficaram na tenda, após serem desarmados Jered diz:
Agora são meus convidados, sentem-se e comam.

Vardem se senta entre vc´s dois e diz baixo:
Seu amigo colocou tudo a perder, não terem pena do que lhe acontecer, ao contrário, insistirei pelo pior para ele.

Com olhar maliciosos ele diz a Jered:
Diga-me, vc não vai realmente soltar o grandalhão neh? O que tem preparado para ele? Se me permite uma sugestão, acho que a imagem do seu soldado deve ser limpa, deixando que seus homens divirtam-se com ele e que depois vc o jogue na na prisão negra da Lutrúcia, junto com Jacus a quem ele tanto procura.

Jered sorri desdenhosamente e diz:
Os argumentos dele me parecem lógicos Vardem, vc não é digno de confiança, talvez eu até o condene àquele inferno mas estarei de olho em vc e se as palavras dele se cumprirem seu castigo será pior que o dele, então sugiro que meça suas ameaças.

Vardem finge um sorriso e diz:
Realmente, vc conhece bem aquele lugar para chamá-lo de inferno, devo conter-me.

Jered, rangendo os dentes depois da última frase de Vardem diz:
É melhor, pode lhe conservar os dentes da boca não trazer-me lembranças.


FIRIOM:
Vc come e descansa e no meio da noite Náin aparece, sozinho, senta-se no chão do lado de fora da cela e diz:
Conte-me! Sei que vc sabe mais do que me disse, quantos são no exército verrogari? Seus amigos foram até Seviala numa viagem com urgência, chegarão logo e avisarão ao rei e ele mandará reforços para Lubliama, essa é a única esperança e sei que eles não vão decepcionar meu pai, que tanto confia neles. Enquanto isso precisarei ficar aqui e resistir, mesmo que morra, até que a ajude chegue.

Agora conte-me mais, qualquer informação que me ajude a segurar os verrogaris por mais tempo, vc tem que saber algo, conte-me tudo e lhe darei cavalo e comida em troca de um último favor que é passar por Lubliama e avisar meu pai.


Enviado por: bcsaulo - segunda-feira, 18 de março de 2013 19:27:54
off1: Thiago vc disse que Sam está guiando o grupo, logo acredito que nosso cavalo esteja a frente do deles.

Enquanto cavalgamos digo alto para que todos escutem:

- Será uma viagem de algumas horas, Jubelus, se não formos rápidos poderemos entrar pela noite. Espero que tenham lembrado de trazer comida!

Depois tento desconversar rapidamente dizendo:

- Acho que Jered não gostará de saber que depois que Sam lhe entregar a adaga, vocês o desobedeceram e me entregaram a cadela do Ricar!

Bem depois procuro baixar a cabeça para alisar o pescoço do cavalo e aproveito para sussurar para o pequenino:

- Nós não precisamos morrer...

Irei sussurrar de tempos em tempos para Sam:

- Ganhe tempo.

- Vá na torre de guarda da fronteira.

Se ele seguir minhas instruções, já no fim da tarde, volto a sussurrar:

- Dê um nó frouxo nas cordas. - Digo indicando discretamente as cordas que prendem nosso cavalo ao de Jubelus e Idhor.

- Diga que estamos perto.

off2: Thiago acredito que como eu sou bemmmmm maior que o Sam daria para que ele desamarrasse as cordas que prendem nosso cavalo ao de Jubelus e Idhor, discretamente sem que eles percebecem certo?

Caso tudo saia como planejado, pretendo levá-los a machar pelo menos até que escurecer, assim se Sam conseguir nos livrar das cordas e com a cobertura da noite poderemos fugir na direção da torre de guarda na fronteira com Marana.

Enviado por: †_Junior_† - segunda-feira, 18 de março de 2013 19:37:29
Começo a indicar um caminho diferente ao que leva até a adaga, porém que não se afaste MUITO dela, caso seja necessário de fato ir até esta. Falo para os cães:

Creio que o caminho seja esse(e aponto uma árvore qualquer)Sim, essa árvore me é familiar...

E vou conduzindo-os durante quase umas 2h, e nesse meio tempo, caso o tamanho do Connor me permita realizar movimentos na corda, tento afrouxar o nó desta.


Enviado por: Aurhus - segunda-feira, 18 de março de 2013 19:46:53
Respondo a Náin de maneira pausada para evitar que meu maxilar doa muito:
Tudo o que sei...
É que Vardem pensa...
Que conseguiu uma aliança entre os elfos negros...
E os verrogaris

Faço uma pausa e continuo:

Estes elfos possuem algum tipo de metal...
Do mesmo tipo do metal que Gloin procurava...
Só que amaldiçoado e alguma forma...
Porem quando eu estava vindo para cá...
Encontrei alguns verrogaris mortos pelos elfos negros...
E se me me lembro bem Vrdem tem um documento falsificado com a assinatura falsa do rei!

Enviado por: Vercenorax - terça-feira, 19 de março de 2013 10:41:47
Sento-me às almofadas e pego alguma fruta para comer. Se meu corvo ainda estiver vivo o alimento com as sementes das frutas e com pedaços de pão. Quando Vardem comenta conosco sobre Connor:
Ajudar Connor já esteve ao meu alcanle, mas ele se distanciou muito. O que acontecer a ele estará sobre seus ombros.

Depois comento com Jered:
Como é essa prisão em Lutrúcia, Jered, que faz o inferno parecer acomchegante?

Enviado por: Ares - terça-feira, 19 de março de 2013 13:42:50
Volto a comer alguma coisa, para passar o tempo, enquanto ouço o que os outros falam.

Enviado por: Samyaza - quarta-feira, 20 de março de 2013 15:15:13
SAM:

Faça uma rolagem de 1d20 e por favor confirma se vai conduzir o pessoal até o anoitecer e até que ponto entre o lugar da adaga e o forte onde está Náin vc pretende levá-los.

Peço a gentileza dos outros de aguardarem o resultado do teste.


Enviado por: †_Junior_† - quarta-feira, 20 de março de 2013 20:01:28
Pretendo levá-los para mais próximo do forte do que da adaga, mas não tão próximo que eles percebam o que pretendo (isso é possível?).

[1d20]


Enviado por: Samyaza - sexta-feira, 22 de março de 2013 20:30:52


Enviado por: Samyaza - sexta-feira, 22 de março de 2013 21:05:49
confirmando as duas falhas críticas:

Enviado por: Samyaza - sexta-feira, 22 de março de 2013 21:25:50
CONNOR E SAM:
Citação:
Sistema de ataque dos sombrios arqueiros usando a técnica flechada dupla: L13+2 (ataque surpresa)+5(técnica Mira)-1=19, tiraram 9(laranja vira amarelo por flechada dupla 10+10 na EF), 2 (amarelo vira verde, falha) ,1 (falha crítica, tirou 11, vermelho, 25% de dano em si mesmo),1 (falha crítica, tirou 2, amarelo, a arma cai a 3m de distância) 17(azul escuro, vira azul claro, 25+25 de dano na EF), 12 (vermelho vira laranja 15+15 de dano).


Quando vc faz o comentário por comida Jubelus responde:
Há o suficiente para dez pessoas, como somos 11, alguém ficará sem comer, mas não me incomodo pois será vc ou seu amigo pequenino, já que um dos dois não vai voltar conosco!

Ildor responde em seguida:
Prefiro que seja o grandalhão a morrer, provavelmente ele come mais do que o pequeno. Aliás, trouxe comigo algumas rações dos nossos cães farejadores, como eles ficaram no acampamento, estou pensando em dar algumas ao pequenino e ficar com a parte dele da comida.

Ambos os cães começam a sorrir e incitam os outros verrogaris a caírem na gargalhada.

Quando vc fala sobre Jered e Ricar Ildor diz:
Vc realmente acha que Jered se importa? Nós nos chamamos de cães mas ele, ele é chamado de tigre ou leão, pq como um felino ele brinca com sua presa, torturando-o como um gato que encurrala um rato, antes de devorá-lo.

Enquanto Connor e os cães conversam, Sam se complica tentando afrouxar as cordas e acaba distraindo-se um pouco do caminho, nada que o fizesse se perder mas retirou-lhe um pouco a atenção.

Vc´s escutam vários zunidos, como abelhas furiosas defendendo a colméia e ao olhar ao redor percebem que 6 dos soldados verrogaris caem de seus cavalos, 4 deles caem já mortos com flechadas no pescoço, olhos e peitos.

Nas árvores ao redor vc´s percebem um grupo de 6 elfos sombrios no alto dos galhos, observando com mais atenção vc´s notam que dos 6, apenas 4 acertaram o disparo pois um sombrio deixou cair o arco e o outro errou o disparo.

Jubelus e Ildor olham assustados, desembainham suas armas e gritam:
ELFOS!!! NAS ÁRVORES!!! AFASTEM-SE!!!

Connor e Sam, antes de agirem façam uma rolagem de 1D20.


FIRIOM:
Náin esmorece ao ouvir falar sobre a carta, ele se levanta, segura as grades com as duas mãos e diz quase gritando:
Carta?! Que carta?!! Do rei Zeneri??? Por Parom me diga direito isso, se o que fala for verdade, Lubliama estará indefesa e seus amigos correm perigo!!!

Virando-se em direção a saída do salão onde ficam as celas ele grita:
Guardas! Guardas! Tragam a chave!!! Agora!!!!


GLOIN E DERIN:
Vardem sorri gentilmente e diz a Glóin:
O que lhe sobre em tamanho e músculos lhe falta em prudência e intelecto! Se tivesse me escutado, estaríamos bem melhor agora, mas sua mania de liderar e seus planos "infalíveis" que os trouxeram até aqui desta forma, sempre achei que fosse vc o líder, pelo menos acho que deveria ser, conheço os anões muito bem para acreditar em suas capacidades de comando.

Jered faz uma cara feia, ofendido e diz:
Não há nada demais na Lutrucia, se vc não achar importante que o responsável pelo local é, além de sádico, um devasso, que costuma realizar orgias entre cavalos e seus prisioneiros. Quer que eu conte mais?

Derin escuta a tudo de forma atenta e começa a imaginar, pelas palavras de Jered, que tipo de inimigo está prestes a enfrentar.
avatar
Samyaza
Admin

Mensagens : 1038
Data de inscrição : 04/10/2013
Idade : 32
Localização : Franco da Rocha / SP

Ver perfil do usuário http://vingadornegro.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum