Parte 6 - O general e a adaga

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Parte 6 - O general e a adaga

Mensagem por Samyaza em Sab 12 Out 2013, 00:08

Enviado por: Vercenorax - sexta-feira, 1 de março de 2013 10:45:51
Veja se é possível fazer o que eu quero.
pretendo virar com o cavalo e correr em direção as árvores, embaixo delas ficarei em pé na sela e agarrarei uma galho de árvore, sugerirei o mesmo para Derin e Vardem, depois com os cavalos em movimento, mas sem cavaleiros, creio que os verrogaris ainda os seguirão, quando passarem sob as árvores pulo em cima de Jubelus.

Se isso for possível digo aos outros enquanto viro o cavalo e o ponho em movimento:
Sigam-me e façam o que eu fizer!


Se não for possível simplesmente viro o cavalo e sigo para baixo das árvores, lá o combate pode ser mais favorável.

Enviado por: bcsaulo - sexta-feira, 1 de março de 2013 11:32:59
off: Vercenorax agora eu me invoquei com sua astucia... Tu é tipo uma mistura de Gimli com Legolas! Vou colocar minha ação em cima da ação do Samyaza.

Após esconder a carta e a adaga faço alguns símbolos na língua da pedra numa árvore próxima (Tipo "Terceira Arvore a 5 Metros a Esquerda)indicando qual seria a árvore correta. Em seguida monto no cavalo e sigo os outros.

Logo que vejo a os guerreiros rodeando meus companheiros, digo a Sam:

- Segure as redeas Sam! - Desenrolo a espada e fico com ela preparado para o ataque.

Quando próximo ao grupo grito:

- JUBELUS, TOQUE A MÃO EM UM DELES E ENTÃO TERÁ AS DUAS MÃOS ARRANCADAS POR JERED QUANDO ELE DESCOBRIR QUE A ENCOMENDA NÃO CHEGOU EM SUAS MÃOS!



Enviado por: Aurhus - sexta-feira, 1 de março de 2013 12:23:57
Me aproximo da entrada do fortim e grito:
Firiom, O Metade-Elfo, amigo de Lubliana pede permissão para entar e entregar uma importante mensagem a Náin!

Dito isto aguardo a resposta do guarda.

Enviado por: †_Junior_† - sexta-feira, 1 de março de 2013 13:24:06
Com a ordem de Connor, seguro as redeas atrapalhadamente, afinal, nem sei como cavalgar! (obs: eu estou sentado na frente de Connor? acho que é a unica opção para essa ação...)

Apenas seguro as redeas e rezo a Lena que Jubelus para de perseguir os outros.

Enviado por: Ares - sexta-feira, 1 de março de 2013 13:35:34
Se possível disparo com o cavalo logo atrás do Gloin, mas antes se pular na Arvore disparo uma flecha em direção a um dos soldados.

Enviado por: Samyaza - sexta-feira, 1 de março de 2013 19:49:31
GLÓIN:
Vc dá meia volta com o cavalo e galopa em direção as árvores e ao se aproximar tenta sua ação. Vardem vai lhe acompanhando mas quando vê Sam e Connor pára o cavalo voltando-o novamente para os verrogaris.

Faça duas rolagens de D20, uma é Acrobacia para manter-se equilibrado com o cavalo a galope e a outra de Escalar Superfícies para subir na árvore.


CONNOR E SAM:
Vc´s galopam e cruzam por Glóin, Vardem pára ao lado de vc´s e enquanto Connor grita ele diz a Sam:
A adaga, precisaremos dela logo!

Jubelus e os outros cavaleiros páram seus cavalos formando uma meia lua ao redor de vc´s, com um aceno os soldados baixam as armas e ele diz, olhando para Vardem:
Jered quer algo de vc! És prisioneiro ou líder deles?

Vardem olha para vc´s dois com uma expressão firme, suspira e diz:
Num grupo de pessoas, tenha certeza que estarei sempre entre os líderes ou, prestes a tomar a liderança. Eles são minha guarda pessoal, menos numerosos porém mais capazes e baratos do que toda uma guarda de Lubliama.

Jubelus sorri e devolve:
Capazes?? Meus irmãos já lhes surraram uma vez, não foram mortos por sorte mas ainda pagaram o que fizeram a Ricar.

Vardem acena com a mão pedindo calma.


DERIN:
Vc saca o arco e prepara a flecha mas desiste de disparar ao perceber que Jubelus cessou a intenção de ataque, vc conclui que é melhor não começar outra batalha agora.


FIRIOM:
Vc se aproxima dos portões para falar, o guarda observa do alto do fortim e grita que aguarde, ele some de seu local de vigília voltando depois alguns minutos. Ele lhe grita alguma coisa mas vc não escuta pois os portões começam a se abrir, depois de abertos um vigoroso porém velho anão, escoltado por dois anões mais jovens lhe diz:
Coloque suas armas no chão, e entre, se for mesmo amigo, será bem vindo. O sr. Náin está ceando.

Vc entra pelo fortim e percebe que há preparação para alguma batalha iminente, depois de caminhar pelo pátio vc sobe algumas escadas de pedra e entra numa sala pequena a escura, Náin está comendo um refeição pobre de sopa e pão, ao vê-lo ele se surpreende e pergunta:
Eu lhe conheço, já o vi antes. Onde estão os outros? Tem notícias de meu padrinho Glóin?

Enviado por: Aurhus - sexta-feira, 1 de março de 2013 21:04:50
Entrego minhas armas de bom grado aos guardas e quando a pergunta de Náin reaponde:
Gloin e os outros se renferam a cobiça meu caro e agora estão junto a Vardem eo verrogaris. Alias é sobre isso que venho lhr alertar: o exercito verrogari se aproxima com a intenção de isar o seu reino cominho para invadir Danttsen e temo que este seja o menor dos problemas!

Enviado por: †_Junior_† - sexta-feira, 1 de março de 2013 23:23:54
Respondo sem pensar para Jubelus:

Você nos atacou quando já estavamos feridos e cansados de outro embate! Se tivessemos em plenas capacidades, o resultado poderia ter sido diferente!

E me calo quando percebo que acabei falando o que estava pensando...

Enviado por: bcsaulo - sábado, 2 de março de 2013 00:27:59
Ignoro as palavras de Vardem.

Desço do cavalo e caminho, quando próximo de Jubelus finco a espada no chão e uso o cotovelo para me escorar nela, quando este provoca respondo:

- Nos surraram uma vez..? HaHaHa. - Olho para Sam- Você lembra do que aconteceu na taverna do seu pai? Eu lembro de Ricar caído sobre a mesa depois que chutei ele como um cachorro! A propósito como anda Ricar? Há esqueci que ele não esta andando direito, depois que enfiei aquele gládio na cocha dele... Hahaha

- Então onde está Jered? Aquele filho da mãe ficou com minha caixa de ferramentas...


Enviado por: Vercenorax - sábado, 2 de março de 2013 17:28:23
Se eu percebi que pararam, vou deixar de lado este meu plano de subir na árvore. Virá a calhar em outro momento.

Paro o cavalo e o viro de frente para os verrogaris quando estes refram suas montarias. Olhos-os fixamente e digo para Connor quando ele se aproxima demais de Jubelus:
Não o toque Connor, Cães não domados costumam morder quem os toca.

Então me dirijo a Jubelus:
Nos venceram, pois estavam em combate injusto e desonrado, verdadeiros guerreiros não combatem assim. Mas estamos acompanhando Vardem, como pode notar, quanto a liderança, pode-se dizer que estou aqui de livre e espontânea vontade.

Enviado por: Samyaza - segunda-feira, 4 de março de 2013 11:14:47
FIRIOM:
Náin o observa com uma expressão firme e quase rosnando responde:
Meu padrinho jamais se curvaria, mas vou levar em consideração o seu aviso sobre a invasão. Mas, diga-me, quais seriam os problemas maiores do que ter a cidade da qual sou capitão invadida?


SAM:
Jubelus olha para vc com desdém, nitidamente curvando a cabeça para comparar a distância de suas pernas até o chão e então diz:
É um cavalo muito grande para vc pequenino, um tombo desta altura poderia ser letal.

CONNOR:
Quando vc desce do cavalo Jubelus ameaça erguer o gládio mas de detém quando vc se apóia na espada, ao ouvi-lo falar de Ricar ele cerra os dentes e responde:
Um golpe de sorte contra um inimigo bêbado não é digno de ser lembrado, seque de achar isso glorioso. Em Lubliama Ricar não lutava com verrogaris, era na verdade, um único homem contra todos vc´s. Sua perna está melhorando mas ele não precisará dela para vencê-lo.

GLÓIN:
Jubelus responde sorrindo:
Desistiu da fuga? Não há justiça num combate, se procura condições ideais para uma luta seria bom vc procurar as arenas das cidades-estado e não uma guerra de verdade, no campo de batalha não espere justiça ou clemência do seu inimigo, é, no mínimo, ingenuidade.

TODOS:
Jubelus recua um pouco com o cavalo e olha para Vardem:
Venha comigo, mas saiba que as ações deles recairão sobre vc.

Vardem avança um pouco com o cavalo até onde está Connor e Sam e lhes diz:
Se continuarem com a língua afiada desse jeito não vão durar nem um minuto com os verrogaris, deixem que eu falo, façam silêncio total e ao menos respondam as perguntas ou provocações que fizerem, entenderam?

Jubelus aguarda que vc´s se posicionem a frente do seu grupo.



Enviado por: Samyaza - segunda-feira, 4 de março de 2013 11:14:48
FIRIOM:
Náin o observa com uma expressão firme e quase rosnando responde:
Meu padrinho jamais se curvaria, mas vou levar em consideração o seu aviso sobre a invasão. Mas, diga-me, quais seriam os problemas maiores do que ter a cidade da qual sou capitão invadida?


SAM:
Jubelus olha para vc com desdém, nitidamente curvando a cabeça para comparar a distância de suas pernas até o chão e então diz:
É um cavalo muito grande para vc pequenino, um tombo desta altura poderia ser letal.

CONNOR:
Quando vc desce do cavalo Jubelus ameaça erguer o gládio mas de detém quando vc se apóia na espada, ao ouvi-lo falar de Ricar ele cerra os dentes e responde:
Um golpe de sorte contra um inimigo bêbado não é digno de ser lembrado, seque de achar isso glorioso. Em Lubliama Ricar não lutava com verrogaris, era na verdade, um único homem contra todos vc´s. Sua perna está melhorando mas ele não precisará dela para vencê-lo.

GLÓIN:
Jubelus responde sorrindo:
Desistiu da fuga? Não há justiça num combate, se procura condições ideais para uma luta seria bom vc procurar as arenas das cidades-estado e não uma guerra de verdade, no campo de batalha não espere justiça ou clemência do seu inimigo, é, no mínimo, ingenuidade.

TODOS:
Jubelus recua um pouco com o cavalo e olha para Vardem:
Venha comigo, mas saiba que as ações deles recairão sobre vc.

Vardem avança um pouco com o cavalo até onde está Connor e Sam e lhes diz:
Se continuarem com a língua afiada desse jeito não vão durar nem um minuto com os verrogaris, deixem que eu falo, façam silêncio total e ao menos respondam as perguntas ou provocações que fizerem, entenderam?

Jubelus aguarda que vc´s se posicionem a frente do seu grupo.



Enviado por: Ares - segunda-feira, 4 de março de 2013 11:37:21
Penso comigo mesmo.
"Devíamos ter matado Vardem quanto era tempo, mas agora espero que pelo menos que me unir aos Verrogaris me aproxime deste Xartas Krum"
Me uno ao grupo em silencio.

Enviado por: Aurhus - segunda-feira, 4 de março de 2013 13:11:46
Olho nos olhos de Nain e digo:
Avredite no que quiser Nain! O que sei é que sua cidade não sera atacada por apenas um exercito e sim por dois, sendo um destes exercitos formado por elfos negros que possuem algum tipo de metal amaldiçoado que pode lhe matar facilmente meu caro anão

Enviado por: †_Junior_† - segunda-feira, 4 de março de 2013 13:43:37
Sinto a amaeaça de Jubelus mas a ignoro. Olho para os demais e fico calado aguardando o que virá em seguida.

Enviado por: bcsaulo - segunda-feira, 4 de março de 2013 13:49:23
Retiro a espada do chão e amarro de volta as minhas costas. Logo volto ao cavalo com Sam, após os comentários de Vardem, apenas me mantenho calado e seguindo os demais.

Enviado por: Vercenorax - segunda-feira, 4 de março de 2013 15:38:37
Penso quando Jubelus fala comigo:
[Combater em campo e singularmente são coisas diferentes verrogari burro!]

Quando eles começam a se mover sigo com eles quieto, analisando tudo.

Enviado por: Samyaza - segunda-feira, 4 de março de 2013 20:07:22
TODOS:

Vc´s cavalgam de forma lenta, com os verrogaris ao redor e tendo Jubelus a frente. Vardem manteve-se calado o tempo todo e perto do anoitecer vc´s chegam ao acampamento.

Muitos soldados ainda estão arrumando seus equipamentos, indicando que até a pouco estavam em treinamento, alguma fogueiras já começam a ser acesas e alguns homens já se reúnem ao redor delas para comer e distraírem-se um pouco.

Vc´s passam por diversas colunas e aos poucos muitos soldados se levantam e começam a acompanhar sua comitiva. Já no centro do acampamento e com pelo menos mais 20 soldados lhes observando (entre eles alguns inimigos conhecidos) vc´s são convidados a desmontar e a seguir a pé.

Vc´s caminham até o outro lado do acampamento e chegam numa tenda grande onde na entrada há uma bandeira com o brasão de verrogar, 4 soldados montam guarda na entrada com cães ao seu lado. Jubelus dispensa os outros soldados que ficam em frente a tenda enquanto vc´s e Vardem entram.

Dentro da cabana Jubelus faz uma reverência a Jered que está sentado sobre almofadas e comendo de uma bandeja de frutas e carne, e anuncia Vardem. Ambos, Vardem e Jered esboçam um sorriso, Jered quebra o silêncio:
Vc está atrasado.

Vardem responde acenando com a cabeça para vc´s enquanto Jered esboça espanto:
Tive alguns problemas, mas agora somos amigos, essa é minha guarda pessoal até que eu regresse para Lubliama.

Jered, tenso, responde:
Está com vc?

Vardem, sentindo-se senhor da situação diz:
Sim, está, conforme combinamos, lhe mostro o material, vc assina a carta, fazemos a troca e partirei o quanto antes.

Jered, reclina-se sobre as almofadas e diz:
Mostre-me.


Enviado por: †_Junior_† - segunda-feira, 4 de março de 2013 20:27:43
Permaneço calado o tempo todo, mas não consigo disfarcar meu nervosismo perante a situação. Esfrego minhas mãos e tento me acalmar, mas sem sucesso. Olho para Gloin e Connor e penso: [Eles vão pensar em algo ou estamos lascados...]

Enviado por: bcsaulo - segunda-feira, 4 de março de 2013 20:34:21
Quando Vardem acena pra nós, entro na cabana passando o olhar pelo local e me posiciono a direita e um pouco atrás de Vardem com os braços cruzados. Logo que Jered pede para mostrar a caixa, vou na direção dele, quando passo por perto de Vardem dou-lhe uma ombrada proposital e me acomodo em uma das almofadas, retiro a caixa da mochila e coloco sobre a mesa:

- Já que não me convidou para cear como bons colaboradores, me auto-convidarei - Dizendo isso pego uma caneca e encho com vinho, em seguida pego uma fruta qualquer para mastigar.

Enviado por: Samyaza - segunda-feira, 4 de março de 2013 20:44:50
TODOS:
Jered parece notar o nervosismo de Sam e fixa os olhos nele.
Vardem começa a tossir, protegendo a boca com as mãos um pouco antes de Connor dar-lhe uma ombrada, assim que Connor senta-se e começa a falar Vardem olha para os demais com uma cara de surpresa e desespero de quem teme as próximas ações de Connor.

Assim que senta-se e estende a mão para pegar o vinho Jered intervém com o pé, olha-o fixamente nos olhos e diz:
Aqui meu amigo, está falando com o general e não com o mercador, cordialidade não existe no exército verrogari, pelo menos não enquanto as partem tem pendências a resolver.

Acenando para a caixa com a cabeça Jered diz:
Se está aí, abra-a.

Vardem tossi ainda mais forte e vira-se de costas para Jered, como se fosse olhar o lado de fora da tenda e diz, em tom baixo para Glóin, Sam e Derin:
O que este idiota está pensando? Está na caixa, não está? Nossas cabeças ficarão em nossos corpos se a adaga estiver ali.



Enviado por: †_Junior_† - segunda-feira, 4 de março de 2013 21:12:48
Sorrio debilmente quando Jered fixa os olhos em mim e mentalizo uma oração a Lena. Caso ele tire seus olhos de mim e olhe para Connor, quando Vardem pergunta sobre a adaga, apenas balanço a cabeça levemente para os lados, sinalizando um "não". Tento fazer isso, apesar do nervosismo, sem que Jered veja.

Enviado por: Ares - segunda-feira, 4 de março de 2013 21:26:52
Permaneço em silencio com os olhos fixos no Jered.

Enviado por: bcsaulo - terça-feira, 5 de março de 2013 08:29:58
Digo sarcasticamente:

- Perdoe General, depois de tudo que passamos juntos acabei acreditando que fossemos amigos, engano meu. Maisss... não creio em ter me enganado quando a minha ação - Tento colocar novamente vinho no copo enquanto digo - Lembram do Firiom? Aquele cara maluco que ficava do lado de fora da casa de Rarurg feito um cachorro que pastora seu lar... Lembra Jubelus? Vardem concerteza lembra. Enfim, depois de ler o conteúdo da carta, acreditar fervorosamente que uma investida pelo território de Marana acabaria de vez com a guerra com Dantsem. E depois de ver o quanto a adaga é importante, afinal imagino que os sombrios não ficarão satisfeitos em não recebê-la como foi prometido, quem sabe o que poderiam fazer? Eu apostaria que desceriam das cavernas onde estão escondido e tomariam de vez Fonte Nova, um prejuízo para o poderio bélico de Verrogar, e sem o minério de Lubliama, sei não Jered mais você perderia toda a credibilidade perante os outros generais e mesmo ao rei.

- Pensando nessas duas posições, resolvi enviar Firiom até Lubliama - Nesse momento olho para Vardem, para despistar minha ação de pegar uma fruta na mesa, então digo - Aquilo foi tudo encenação, sabe? Ele levou consigo a carta e a adaga. Nesse momento um contingente de soldados humanos e anões de Lubliama devem estar se encaminhando para as Fronteiras, mensageiros já devem estar cavalgando para Magiara, Chipara e Caliana, para mandar um contingente de soldados maior. Sem falar que os elfos dourados já devem estar perto de Sensera e em pouco tempo uma comitiva real estará em Lubliama para apurar os fatos. Imagino que você não irá começar uma nova guerra contra Marana, seria trágico. O exécito de Verrogar iria fazer duas frentes, ficaria mais fraco, outras nações mais poderosas poderiam entrar na guerra. Portanto acredito que seu plano de subjulgar Dantsem, deverá ter um novo acordo...

Como um pedaço da fruta e continuo - Você nos entrega Jacus vivo na fronteira, fazemos a troca pela adaga, em seguida assinamos novos termos e carta passa a ter válidade e vocês podem seguir com seus planos. Detalhe se não aparecermos em 72 horas, estaremos mortos e o acordo desfeito. E tudo que eu disse anteriormente acontecerá e você falhará! Então quer seguir como um grande estrategista ou como uma vergonha, alguém que saiu com a missão de acabar com uma guerra e acabou por começar uma outra?

Enviado por: Vercenorax - terça-feira, 5 de março de 2013 09:34:37
Enquanto estamos andando pelo acampamento vou averiguando as maneiras bélicas de Verrogar, sua disposição de tentas, guardas e tudo mais. Penso comigo:
[Não de se espantar que os verrogaris vêm ganhando a guerra, suas técnicas são admiráveis, só não se equiparam a anões.]

Ao entrarmos na tenda mantenho-me calmo, fui treinado pra o combate, mas também fui educado para presenciar situações como está. Quando Sam me olha, dirijo a ele um olhar apassivador, querendo transmitir confiança. No momento em que Connor começa a fazer da suas, se identificar o olhar de Jered tento transmitir a seguinte ideia, por meio de gestos:
"Não tenho nada a ver com isso, são ideias dele, estou isento."

Quando vardem se vira e faz as perguntas, tento sussurrar para Sam aproveitando a tosse de Vardem:
Onde está a adaga Sam? Morrer aqui não é uma opição, objetivos e metas devem ser cumpridos.

Enviado por: Samyaza - terça-feira, 5 de março de 2013 20:03:45
SAM:
Vardem ainda estava olhando para fora e ao perceber seu sinal ele cruza os braços, suspira e então leva uma das mão ao queixo, mordendo os dedos de nervosismo para então falar com uma voz decepcionada:
Estaremos mortos antes da hora da ceia. O que vc´s fizeram com a adaga?

DERIN:
Jered olha para vc duas vezes de soslaio, nitidamente incomodado com sua postura ele se concentra para prestar atenção nas ações de Connor.

CONNOR:
Faça uma rolagem de 1d20.

Jered se levanta, joga os restos de uma maça sobre a mesa, olha para Jubelus e começa a circular devagar pela tenda olhando cada um nos olhos conforme passa, exceto por Vardem que estava de costas, ele termina a volta em silêncio e então diz estendendo o braço na direção da mesa:

É melhor vc´s comerem, serão meus convidados.

GLÓIN:
Vardem tosse mais alto quando vc fala com Sam para em seguida virar-se para frente do grupo, ele se inclina um pouco e lhe diz no ouvido:
Não acredito na cordialidade de Jered, não até que ele tenha a adaga, se me ajudarem ainda posso tentar salvar nossas cabeças mas, haverá um preço.


TODOS:
Jubelus vai até o lado de fora da tenda quando Jered olha para ele, assobia, dá algumas ordens ininteligíveis e volta para dentro da tenda em seguida, fitando cada um de vc´s.

Enviado por: †_Junior_† - terça-feira, 5 de março de 2013 20:08:13
Me arrepiro quando Vardem fala que estaremos mortos, mas tento responder o mais baixo possível, após Jubelus passar por mim e tirar atenção de mim:

Escondida. Eu sei onde.

OFF: (Samyaza, eu realmente sei onde a adaga está neh? Eu estava com Connor na hora, vi a arvore, mesmo não entendendo o que ele escreveu em anão.)


Enviado por: bcsaulo - terça-feira, 5 de março de 2013 20:23:14
- Muito bom General, de barriga cheia poderemos com certeza chegar a um acordo rapidamente!

[1d20] Cara se for persuasão to fud...


Enviado por: Ares - terça-feira, 5 de março de 2013 20:52:01
Pego algo para comer e falo rapidamente.
-Parece que ir investigar a caverna me trouxe para Verrogar, mas não da forma que esperava.

Enviado por: Vercenorax - quarta-feira, 6 de março de 2013 09:34:18
Sussurro a Sam quando houver maior ruído:
Então nos levará até ela, caso aconteca o imprevisto.

Depois digo a Vardem (sussurrado):
Se o preço não for alto.

Quando Jered nos ofereçe alimento, recusos educadamente, mas aproveito seu convite para lhe perguntar:
Verrogar possui anões em suas linhas, General ...* ?

*No pontilhado considere que chamei Jered pelo seu sobrenome, fiz desse jeito, pois esqueçe o sobrenome dele.

Enviado por: Samyaza - quarta-feira, 6 de março de 2013 16:06:14
SAM:
OFF: sim, vc onde está a adaga e a carta.
Vardem olha para vc com uma cara de espanto e diz:
É bom mesmo que saiba ou estaremos perdidos. Teremos visita veja:

Em seguida ele olha para frente, para fora da tenda e depois se vira e vai até a mesa comer alguma coisa.

CONNOR:
Jered caminha dá mais uma volta na tenda e se coloca perto de vc, apóia uma das mãos em seu ombro direito, toma um gole de vinho e diz:
E quais outros termos seriam esses meu amigo?

DERIN:
Jered desvia o olhar de Connor para voltá-lo para vc quando vc pega a comida e então ele diz:
Espero que estejam satisfeitos logo, não é bom negociar de barriga vazia, como salientou seu amigo aqui.

Faça duas rolagens.

GLÓIN:
Vc percebe que Jered passa a observá-lo com atenção tentando confirmar se vc e Sam estavam trocando informações, quando a pergunta é feita ele responde com outra pergunta, tentando evitar uma resposta precisa:
É voluntário Glóin? Temos armaduras que vão se ajeitar bem em seu corpo e se a adaga realmente funcionar logo teremos armaduras e armas bem melhores para usarmos contra nossos inimigos.



Enviado por: Samyaza - quarta-feira, 6 de março de 2013 16:10:13
FIRIOM:
Náin nitidamente nervoso bate as duas mãos sobre a mesa e fica de pé dizendo:
Não duvido das invasões mas acredito que vc esteja enganado quanto a Glóin, ele jamais se uniria a Verrogar e trairia meu pai.

Tentando controlar-se ele se senta, cruza os braços colocando os cotovelos sobre a mesa e apoiando o queixo com as mãos pergunta:
Suponho que não veio trazer essa informação de graça correto?
O que mais sabe e qual o preço pelas informações??
avatar
Samyaza
Admin

Mensagens : 1038
Data de inscrição : 04/10/2013
Idade : 32
Localização : Franco da Rocha / SP

Ver perfil do usuário http://vingadornegro.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum